Matérias-Primas

Milho: quarta-feira registra poucas movimentações

Os preços internacionais do milho operaram muito próximos da estabilidade, com poucas movimentações ontem, quarta-feira (13) na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram valorizações de 0,75 pontos. O vencimento março/19 foi cotado a US$ 3,57, o maio/19 valeu US$ 3,66 e o julho/19 foi negociado por US$ 3,76. Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, as compras técnicas mantiveram os preços do milho e da soja em alta nesta quarta-feira, embora os ganhos tenham sido mais modestos do que o grande impulso de ontem. As ofertas de base de milho americanas foram firmes em quase todas as localidades do Centro-Oeste na quarta-feira, mas foram firmes em 3 centavos em um terminal fluvial de Illinois hoje. Analistas esperam que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) mostre vendas de milho entre 31,5 e 59,1 milhões de bushels (entre 800.131 e 1,5 milhões de toneladas) para a semana que se encerra em 7 de março em seu próximo levantamento de dados, na manhã de quinta-feira. De acordo com a Agência Reuters, os fundos de investimento mantiveram posições curtas e maciças, incomuns para esta época do ano, e muitos comerciantes estavam preocupados que começariam a cobri-los se os esforços de semeadura dos agricultores fossem bloqueados por campos úmidos e temperaturas frias do solo. As plantações de milho já foram atrasadas nas áreas de cultivo no sul dos Estados Unidos e uma grande tempestade no final do inverno pode atrasar a preparação do campo no meio-oeste americano pelo resto do mês. "Um enorme sistema de tempestades está varrendo a região central do país hoje, trazendo tempestades às planícies com ventos fortes e mais inundações possíveis em outros lugares", disse Bryce Knorr, analista da Farm Futures, em nota aos clientes. Mercado interno Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, as desvalorizações apareceram somente nas praça de Palma Sola/SC (2,99% e preço de R$ 32,50), Pato Branco/PR (3,15% e preço de R$ 30,70), Castro/PR (5,13% e preço de R$ 37,00) e São Gabriel do Oeste/MS (7,58% e preço de R$ 30,50). Não foram registradas valorizações. A Radar Investimentos aponta que o cenário do mercado físico desta semana está próximo com o da semana anterior, mas com uma ligeira melhora da oferta do cereal. Já a Agrifatto Consultoria destaca que a expectativa é que o país alcance 66,6 milhões de toneladas na safrinha do milho. Se confirmado, será um resultado 23,6% superior ao colhido na temporada anterior. A produção maior deve acontecer pela expansão da área, combinado com produtividades melhores. Nesse sentido, calcula-se que será plantado 12,05 milhões de hectares – avanço de 4,4% em relação aos 11,53 milhões de hectares da safra 2017/18. Com incremento de produtividade de 18,30% - passando de 77,88 sacas (4.673 kg) para 92,13 sc/ha (5.528 kg). Assim a projeção atual para a colheita total fica em 92,80 milhões de toneladas – representando alta de 15% ante a safra anterior. Quando o país colheu 80,71 milhões de toneladas.

(Notícias Agrícolas) (Guilherme Dorigatti)



Visite  www.ovosite.com.br  - O Portal do Ovo na Internet