Agronegócios

Após um ano, agroindústria normaliza abates em Chapecó

Após um período de demissões e férias coletivas, as agroindústrias normalizaram os abates e estão contratando novamente. Neste mês de abril finalmente voltaram ao normal os abates na unidade da BRF de Chapecó, que no ano passado demitiu 350 funcionários, deu férias coletivas de um mês e aplicou o lay-off, que é a suspensão de contrato de trabalho por cinco meses. Em janeiro foi retomado o abate normal de frangos e, agora, o segundo turno de perus, que recomeçou em março, neste mês atingiu o volume total que é similar ao que era antes das paralisações. De acordo com a assessoria de comunicação da empresa foram contratados 600 funcionários entre janeiro e março e, outros 100 devem ser contratados em breve. A unidade de Chapecó passa a ser a única da empresa a abater perus. O volume de abate não foi informado pela empresa mas gira em torno de 220 mil frangos e 30 mil perus por dia. A volta dos empregos representa um alívio para o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados de Chapecó (Sitracarnes). — Agora está mais tranquilo. A empresa recontratou funcionários que tinham sido demitidos, abriu mais vagas e pode até abrir uma nova linha de abate até o final do ano. Esperamos que siga contratando — afirmou o vice-presidente do Sitracarnes, Aldemar Danelli. No ano passado a unidade foi um dos alvos da Polícia Federal na Operação Trapaça, que investigava fraude em laudos de salmonella. Depois a unidade foi uma das 20 que foram suspensas de exportar para a União Europeia. A suspensão dos abates levou apreensão para os trabalhadores e também no campo, onde avicultores ficaram sem alojar durante o período de lay-off. Houve também férias coletivas em Capinzal e Concórdia, pela BRF. A Aurora Alimentos também concedeu férias coletivas em quatro unidades – Abelardo Luz, Guatambu, Quilombo e Maravilha – após o agravamento da crise provocada pela greve dos caminhoneiros. Mas agora o abate também está normal e a agroindústria está ampliando um dos frigoríficos de suínos de Chapecó. A Jaguafrangos, que assumiu a unidade de GTB Foods em Ipuaçu, que estava fechando, está contratando 70 novos funcionários segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Xanxerê e Região, Marionice Bavaresco Machado. O presidente da Associação Catarinense de Avicultura, José Antônio Ribas Jr, disse que apesar de alguns problemas, o cenário vem melhorando. — O cenário vem melhorando sim, de maneira lenta, mas há sinais positivos, com retomada de volumes, crescimento de exportação. O ideal seria que mais plantas e mais unidades pudessem exportar. A China terá um impacto grande na demanda de carnes de suínos, de bovinos e de frango. O mercado interno também está numa recuperação, muito tímida, mas está acontecendo — destacou. Em março Santa Catarina exportou US$ 151 milhões em frango, 5,3% a mais do que no mesmo período do ano passado. Em suínos o crescimento foi de 10,3%, com US$ 57 milhões.

(NSC Total) (Darci Debona)



Visite  www.ovosite.com.br  - O Portal do Ovo na Internet