Domingo, 21 de Janeiro de 2018
Matérias-Primas

Mercado interno do milho fechou a última semana estável
Campinas,SP, 17 de Abril de 2017 - A última quinta-feira foi de estabilidade aos preços do milho praticados no mercado doméstico, segundo levantamento realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes. Em Sorriso (MT), o valor caiu 11,76%, com a saca a R$ 15,00. Já em São Gabriel do Oeste (MS), a alta foi de 2,63%, com a saca do cereal a R$ 19,50.

Ainda conforme ressaltam os analistas, as cotações do cereal continuam pressionadas negativamente diante da projeção de uma grande safra de milho no Brasil. Segundo dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), os produtores deverão colher 91,46 milhões de toneladas do cereal nesta temporada.

Inclusive, em alguns lugares, os preços praticados estão abaixo dos valores mínimos fixados pelo Governo. Esse é o caso de Goiás, onde a saca futura é cotada a R$ 18,50 e o preço mínimo para o estado é de R$ 19,21 a saca.

“Estamos em conversação com a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) pata trazer essas medidas em tempo hábil aos produtores. Através de leilões de PEP (Prêmio para Escoamento de Produto), Pepro (Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural) e também leilões de opções. São conversas que já estão bem avançadas”, disse o consultor técnico da Faeg (Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás) e da Aprosoja Goiás, Cristiano Palavro.

Além dessas medidas, os especialistas ponderam que as exportações podem ajudar a enxugar o excedente de oferta no mercado interno. Para essa temporada, a perspectiva é que os embarques fiquem próximos de 24 milhões de toneladas.

Até agora, o acumulado na trimestre é de 2,18 milhões de toneladas de milho. No mesmo período do ano anterior, o volume era de 11,86 milhões de toneladas. Em março, o volume embarcado ficou em 243 mil toneladas. Os dados são da Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

Enquanto isso, na BM&F Bovespa, as cotações do cereal encerraram o pregão com ligeiras altas. As principais posições da commodity subiram entre 0,36% e 0,70%. O maio/17 era cotado a R$ 27,20 a saca e o setembro/17 a R$ 27,55 a saca. Já o novembro/17 operava a R$ 27,80 a saca.

As cotações subiram impulsionadas pelos ganhos em Chicago e também com influência do câmbio. A moeda norte-americana encerrou o dia a R$ 3,1465 na venda, com alta de 0,40%. Conforme dados da Reuters, a cautela foi mantida antes do Feriado de Páscoa no Brasil e com preocupações no cenário político internacional.
(Notícias Agrícolas) (Fernanda Custódio)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 21/01
Sexta-Feira, 19/01
Alegra refaz planos e prevê chegar a R$ 1 bi só em 2021 (10:00)
Trouw Nutrition apresenta produtos e soluções inovadores para a indústria avícola na IPPE 2018 (09:46)
JBS encerra programa de desinvestimentos com R$ 1,2 bi a menos (09:20)
Quinta-Feira, 18/01
ABPA comemora decisão da Camex de não sobretaxar aço chinês (15:14)
Rússia deverá avaliar com celeridade reabertura ao mercado de carne (15:00)
IB organiza treinamento para validação de métodos de acordo com norma internacional para análises laboratoriais (11:39)
Zoetis promove discussão sobre sanidade avícola para contribuir com crescimento da produção de carne de frango do país (11:33)
Desenvolvimento de dentro para fora (10:42)
Tectron presente no Dia de Campo Copagril (10:38)
Associados conhecem detalhes do América Programa Avícola (08:36)
Quarta-Feira, 17/01
Yamasa estará presente na IPPE, em Atlanta, pela 13ª vez consecutiva (09:43)
Terça-Feira, 16/01
Médicos Veterinários e Zootecnistas paulistas poderão votar on-line pela primeira vez (21:09)
Conab negocia mais remoções de milho para o Nordeste (15:45)
Superavit de US$ 81,86 bilhões do agronegócio foi o 2º maior da história (15:43)
Coopavel: um show de atrações nos 30 anos de um dos maiores eventos do agronegócio mundial (15:41)
Brasil busca ampliar vendas de produtos agrícolas para a Ásia (14:31)
CASP participa de edição histórica do Show Rural Coopavel (08:43)