Domingo, 23 de Julho de 2017
Matérias-Primas

Milho: leves movimentações no mercado interno
Campinas, SP, 18 de Abril de 2017 - No mercado interno do milho as cotações iniciaram a semana com ligeiras movimentações. Segundo levantamento realizado pelo economista André Lopes, o valor subiu 13,33% em Sorriso (MT), com a saca do cereal a R$ 17,00. Em Castro (PR), o ganho foi de 1,96%, com a saca a R$ 26,00.

Em contrapartida, o valor recuou 4,35% na localidade de Tangará da Serra (MT) e a saca encerrou o dia a R$ 22,00. Nas praças de Jataí e Rio Verde, a queda foi de 2,38%, com a saca a R$ 20,50. Em Campo Grande (MS), o recuo ficou em 2,56%, com a saca a R$ 19,00. No Porto de Paranaguá, o valor futuro, para entrega em setembro, permaneceu em R$ 29,00 a saca.

Na visão do consultor de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, a perspectiva é de estabilização nos preços do cereal. "Isso porque nos últimos dias, os preços já tocaram o fundo do poço e temos os compradores que começam a voltar às compras após a Operação Carne Fraca", pondera o especialista.

Embora a perspectiva não é de uma reação expressiva nos preços, uma vez que quase metade da safra de verão, de cerca de 30 milhões de toneladas, ainda precisa ser negociada, conforme ressalta o consultor. "Temos em torno de 15 milhões de toneladas de milho, da primeira safra, a ser comercializada. E se considerarmos o nosso consumo mensal, de 5 milhões de toneladas, temos milho suficiente para abastecer o mercado até a chegada da safrinha", acredita.

Para a safrinha, os produtores seguem preocupados com a queda nos preços. Em muitas regiões, os preços praticados já estão abaixo do valor mínimo fixado pelo Governo, como é o caso de Mato Grosso. Algumas localidades do estado já registram valor de R$ 14,00 a saca, contra o preço mínimo de R$ 16,50 a saca.

Diante desse cenário, as negociações seguem lentas, o que gera mais uma preocupação em relação à armazenagem do produto. Em muitas regiões, os silos estão ocupados com a soja, já que o recuo registrado nos preços fez com que os produtores segurassem as vendas.

Paralelamente, na BM&F Bovespa, as cotações futuras do milho subiram na sessão desta segunda-feira. As principais posições do cereal acumularam ganhos entre 0,03% e 1,47%. O contrato maio/17 era cotado a R$ 27,60 a saca e o setembro/17 a R$ 27,60 a saca também. O novembro/17 encerrou o dia a R$ 28,01 a saca.

Os preços subiram apesar da queda registrada nos preços em Chicago e também no dólar. A moeda norte-americana caiu mais de 1,34% nesta segunda-feira e encerrou o dia a R$ 3,1044 na venda. Segundo a Reuters, o câmbio recuou "com atuação do Banco Central no mercado e esforços do governo para manter o cronograma de votação da reforma da Previdência no Congresso Nacional animando os investidores".
(Notícias Agrícolas) (Fernanda Custódio)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 23/07
Sexta-Feira, 21/07
Cobb-Vantress promove 3ª edição da Queima do Frango, em Rio Preto (SP) (13:29)
Proposta de UE e Brasil para subsídios causa divergência (09:17)
Futuro para a produção de carnes é bastante positivo e frango se destaca (08:41)
OVOS/CEPEA: clima frio controla oferta e sustenta cotações (08:25)
Cresce demanda em leilão de milho (08:12)
Em dez anos, produção de grãos pode superar 300 milhões de toneladas (08:10)
Milho sobe 8,5 pontos na CBOT com os fundos alongando posições sobre as mesmas notícias de clima quente nos EUA (08:08)
Com clima quente e seco nos EUA, soja sobe mais de 1% em Chicago e puxa preços no Brasil (08:00)
Quinta-Feira, 20/07
Portarias autorizam Mapa a contratar 300 médicos veterinários (15:19)
HatchTech apresenta dois novos Gerentes de Vendas Internacionais (14:09)
Aurora deve aproveitar crise da concorrência e dobrar abates (09:04)
Brasil facilita entrada de produtos agropecuários da UE (08:40)
Santa Catarina encerra colheita de milho com incremento de 17% na produção (08:36)
Governo atualiza preços mínimos da safra de verão (08:25)
Conab anuncia novos leilões de milho para garantia de preços ao produtor (08:04)
Soja: apesar das altas em Chicago, 4ª feira de poucos negócios no Brasil frente à queda do dólar (08:00)
Quarta-Feira, 19/07
Cobb-Vantress realiza encontro com especialistas do Serviço Técnico (13:29)
SIAVS debate formação profissional para a produção animal (10:25)
CBNA realiza IV Congresso de Tecnologia da Produção de Alimentos para animais (09:28)
Receita altera normas de restituição (08:55)
Fiscal brasileiro presidirá Codex (08:52)
MP do Funrural deverá frustrar os frigoríficos (08:49)
Frio vai afetar ainda mais o preço do boi, que está em queda (08:12)
Começa disparada de fretes dos grãos (08:09)
Milho: dia de leves movimentações nas cotações (08:07)
Mercado interno da soja se mantêm estável (08:00)
Terça-Feira, 18/07
SIAVS debate controle da Salmonella e Listeria (10:34)
Fiscais ameaçam fazer novas mobilizações no país (09:11)
Avicultura vai dobrar valores de contribuição para Fundesa (09:05)
Theseo participa em mais uma edição da Festa do Ovo (08:39)
BRF não tira proveito de crise da JBS (08:27)
Mobilização: fiscais federais agropecuários paralisaram as atividades (08:24)
Mercado dos EUA à carne brasileira deve ser reaberto em até 60 dias (08:15)
Milho: mercado interno em busca de ajustes (08:05)
Soja: preços no Brasil apresentam queda (08:00)