Sábado, 20 de Outubro de 2018
Empresas

DSM tem forte crescimento no mundo e na América Latina

Nos primeiros nove meses do ano, a DSM teve alta de 9% das vendas globais, que atingiram € 6,45 bilhões; na América Latina, o crescimento foi de 26,5%, onde a companhia registrou vendas de € 501 milhões no período.
São Paulo, 08 de Novembro de 2017 - Novembro de 2017 – A DSM, empresa global baseada na ciência, com atividades nas áreas de nutrição, saúde e materiais e forte atuação na América Latina, anuncia os resultados globais do terceiro trimestre do ano (3T17), que contribuíram para o desempenho positivo da companhia nos nove meses. De janeiro a setembro, a empresa registrou vendas globais de € 6,45 bilhões, o que representa uma alta de 9% das vendas e crescimento orgânico de 8% sobre igual período do ano passado. A área de Nutrição (nutrição e saúde humana, nutrição animal, especialidades alimentícias) registrou vendas de € 4,15 bilhões (8% a mais que o igual período de 2016) e a de materiais teve vendas de € 2,13 bilhões (14% a mais que igual período de 2016); também contribuíram para este desempenho as vendas de € 126 milhões do Innovation Center e de € 47 milhões das Atividades Corporativas.

Outros indicadores confirmam os resultados positivos da DSM no acumulado dos três trimestres deste ano. Entre eles, o lucro operacional (EBITDA ajustado) cresceu 15%, alcançando € 1,08 bilhão; o Retorno Sobre o Capital Empregado (Return on Capital Employed, ROCE) teve alta de 12,3%; o lucro líquido ajustado cresceu 29%, chegando a € 504 milhões, sendo que o lucro líquido total foi de € 1,6 bilhão (incluindo o ganho de € 1,25 bilhão referente à conclusão da aquisição da Patheon N.V., empesa da qual a DSM detinha participação acionária).

No 3T17, especificamente, as vendas globais da DSM foram de € 2,13 bilhões, 7% a mais que a de igual período do ano passado. A área de Nutrição registrou vendas de € 1,37 bilhão (5% a mais que no 3T16) e a de Materiais alcançou € 706 milhões (11% a mais que no 3T16); as vendas do Innovation Center no período foram de € 42 milhões e a das Atividades Corporativas de € 15 milhões. O EBITDA ajustado do trimestre foi de € 365 milhões e o ROCE foi de 12,3%, em linha com o índice registrado ao longo deste ano, de janeiro a setembro.

“Registramos outro trimestre forte, resultando em um ótimo desempenho nos primeiros nove meses e as áreas de Nutrição e Materiais, mais uma vez, apresentaram taxas de crescimento acima dos seus mercados. Os resultados, assim, demonstram um melhor desempenho operacional e financeiro, e antes do planejado, em um cenário em que todas as nossas empresas têm atuado em ambiciosas iniciativas de crescimento e em que seguimos firmes no controle dos nossos programas de redução de custos e eficiência”, comenta Feike Sijbesma, CEO e presidente do Conselho de Administração da DSM, que completa: “A DSM confirma a perspectiva de todo o ano de 2017, apesar de desenvolvimentos monetários ligeiramente menos favoráveis”.

Forte desempenho também na América Latina

Ao longo deste ano, a DSM registrou um excelente desempenho na América Latina nos primeiros nove meses, com crescimento de 26,5% nas vendas, que atingiram € 501 milhões. Na região, em que a DSM está presente com plantas em 13 países, a companhia conta com uma equipe de 2.076 colaboradores (em âmbito global, a DSM conta com 21.013 colaboradores).
(DSM) (Assessoria de comunicação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 20/10
Sexta-Feira, 19/10
Exportadores de aves e de suínos lançam campanha de imagem na União Europeia (09:58)
FRANGO/CEPEA: menor produção sustenta valor do pintainho em 2018 (09:48)
OVOS/CEPEA: preços iniciam segunda quinzena em forte queda (09:46)
BRF mantém conversas "amplas" com autoridades sobre investigações da PF (09:15)
Por carnes, Brasil faz proposta a Hong Kong (07:28)
Condomínio Vespasiano Corrêa assina contrato para liberação de financiamento (07:14)
Milho em Chicago dá continuidade às baixas da sessão anterior e testa ligeiras perdas nesta 6ª feira (07:13)
Após queda intensa, soja passa por leve correção técnica em Chicago nesta 6ª feira (07:12)
Fraca demanda pela soja dos EUA derruba preço em Chicago (07:00)
Quinta-Feira, 18/10
Vetanco participa do ACAV 2018 (14:46)
Chile reabre mercado para avicultura do RS (13:32)
SUÍNOS/CEPEA: exportação elevada sustenta preços no Brasil (10:15)
BOI/CEPEA: produtividade de carne por animal é maior em SP (09:44)
Adaptação veterinária (08:55)
Guerra comercial já eleva os preços na China (08:45)
BRF negocia acordo de leniência com MPF e CGU (08:14)
Agro olhou para eleição presidencial e esqueceu representantes do setor (08:11)
Soja: mercado no Brasil tem novo dia de pressão nesta 4ª e continua sentindo peso do câmbio (08:00)
Força-tarefa encontra três novos focos de peste suína no Ceará (07:28)
O frigorífico que produz carne de frango sem matar nenhuma ave (06:51)
Quarta-Feira, 17/10
Em Goiás, IOB prepara série de ações em parceria com a Associação Goiana de Avicultura (13:52)
Em MG, NECTA realiza 1º Dia do Ovo, com apoio do IOB (08:20)
Movimentação do Porto de Itajaí aumenta 81% em setembro (06:33)
Road Show Aves e Suínos da Boehringer fortalece a cadeia de proteína animal com conhecimento técnico (06:32)
Para ampliar exportação, setor de aves e de suínos vai à feira em Paris (06:31)
Importações chinesas de carne suína devem crescer 8% neste ano (06:10)
Soja: com previsão de melhora do clima nos EUA, mercado em Chicago ainda opera estável nesta 4ª (06:00)
Terça-Feira, 16/10
Da ABPA aos candidatos (09:18)
PF indicia Abilio Diniz e Pedro Faria no âmbito da Operação Trapaça (07:49)
Após relatório da PF, BRF defende tolerância zero e afasta 14 pessoas (07:48)
Milho fecha em alta na Bolsa de Chicago nesta 2a feira com clima adverso para colheita nos EUA (07:44)
Com demanda forte e clima adverso no Corn Belt, soja fecha com mais de 2%de alta em Chicago (07:40)
Plantio de soja evolui em ritmo acelerado em quase todo o país (07:39)
Brasil ganha mercado de soja na China, mas perde espaço para EUA na Europa (07:31)
MILHO/CEPEA: indicador recua quase 6% no acumulado do mês (07:30)
SOJA/CEPEA: dólar cai e pressiona valores internos da soja (07:29)