Sexta-feira, 22 de Junho de 2018
Empresas

Tarpon diz a cotistas que não vai rifar BRF e nem vender outros ativos
São Paulo, SP, 09 de Março de 2018 - A Tarpon dedicou a semana a gerir a crise deflagrada pela terceira fase da Operação Carne Fraca, com foco na BRF e que incluiu a prisão temporária do sócio-fundador Pedro de Andrade Faria. O executivo presidiu a BRF entre 2015 e 2017. O trabalho, desde então, está totalmente concentrado nas conversas com investidores.

A gestora está assegurando aos seus cotistas que não vai rifar as ações da BRF – porque o regulamento protege o fundo dessa necessidade – e que também não há reflexos sobre os demais grandes investimentos: a companhia Somos Educação (antiga Abril Educação) e a empresa de energia Ômega, listada no fim do ano passado na B3.

Mas, além de lidar com crise tão aguda, também está tratando da performance do fundo. No fim de 2017, antes das sucessivas ondas de queda dos papéis da BRF, a participação na empresa equivalia a 48% dos ativos sob gestão, excluídos os fundos dedicados a coinvestimentos. A informação consta do balanço de Tarpon, divulgado em 9 de fevereiro.

Portanto, a forte queda nas cotações prejudicará o resultado do fundo. A BRF perdeu nada menos do que R$ 10 bilhões em valor de mercado só neste ano. Começou janeiro valendo R$ 30 bilhões e está agora em R$ 20 bilhões.

A Tarpon teve três anos consecutivos de saques. Do auge dos R$ 10,5 bilhões em ativos sob gestão ao fim de 2014, a gestora perdeu R$ 1,8 bilhão em resgates, considerando a liquidação de um fundo por meio do qual Abilio Diniz e o fundo soberano de Cingapura (GIC). Ao fim de dezembro, havia R$ 7,2 bilhões em ativos sob gestão – R$ 5,5 bilhões dos fundos principais e mais R$ 1,7 bilhão em carteiras para coinvestimentos.

“Pensamos toda nossa estrutura e regulamentos justamente para não nos tornamos vendedores em situação de estresse”, contou um investidor sobre o que ouviu dos sócios da gestora.

As conversas com os investidores visam espantar boatos – que se multiplicaram nesta semana e garantir que não haverá fechamento do fundo para resgastes inclusive porque não há pressão para tanto. Pelas regras do fundo, se todos os investidores apertassem hoje o botão do saque, o pagamento só terminaria dentro de três anos, com desembolsos fracionados.

Somos e Ômega são os outros ativos que a Tarpon detêm e nos quais, diferentemente de BRF, é a única responsável pela gestão. A antiga Abril Educação respondia por 28% do fundo principal ao fim de dezembro de 2017.

Com desempenho positivo, não há espaço, tecnicamente, para que esses ativos sejam vendidos para pagar cotistas de BRF, pois são carteiras e cotistas diferentes. Esses ativos, classificados como ilíquidos pela Tarpon, conforme os balanços, estão em fundos com prazo de oito anos e que são renováveis e nos quais o pagamento só ocorre na liquidação da carteira.

A despeito de não estarem dispostos a vender BRF pelos preços atuais de mercado, a percepção dos investidores que estão mantendo contado com a gestora é a de que estariam abertos a discussões com compradores de todo o bloco. A gestora tem atualmente pouco menos de 8% da BRF. Na bolsa, essa fatia vale hoje R$ 1,6 bilhão.

O time à frente da crise também procura explicar que vai se posicionar na discussão sobre o futuro da BRF, a respeito da chapa para o conselho de administração apresentada pelas fundações Petros e Previ, donas de 22% do capital, para troca de 70% dos membros do colegiado.

Exceto as conversas com investidores, todos os demais assuntos, porém, receberão atenção após a solução para a situação de Pedro Faria. Esse é o tema prioritário na Tarpon neste momento.
(Valor ) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 22/06
BRF confirma que pode vender em bloco parte de suas ações na Minerva (07:31)
Na copa da Rússia, quem perde é a carne suína brasileira (07:28)
SUÍNOS e BOI CEPEA: acompanhe como estão os mercados (07:25)
Compradores chineses cancelam 65 mil tons de soja americana (07:23)
Quinta-Feira, 21/06
CARNE DE FRANGO: exportações totalizam 1,6 milhão de ton em 2018 (13:58)
Revista Brasileira de Ciência Avícola passa a ser apenas digital (09:03)
VIII CLANA tem algumas das principais cotas de patrocínio esgotadas (08:06)
Blairo tentará reverter antidumping chinês em viagem à África do Sul (08:02)
Greve dos caminhoneiros obriga BRF a dar férias coletivas a 5,6 mil (08:00)
Grãos caem, mas prêmio da soja sobe (07:58)
Preços da soja voltam a subir nos portos do BR nesta 4ª (07:57)
Quarta-Feira, 20/06
Frigoríficos precisam buscar soluções técnicas para problemas, afirma Vargas (09:49)
Prima-irmã dos frangos de corte, produção de ovos vive longe da crise (08:23)
Motivo para embargo da UE ao frango brasileiro é disputa comercial, diz Blairo (08:21)
Valor da Produção Agropecuária de 2018 é de R$ 552 bilhões (08:10)
Milho: com foco na China e na safra americana, mercado recua pelo 5º pregão consecutivo em Chicago (08:09)
Soja: prêmios sobem mais de 20% no Brasil, mas queda forte em Chicago limita preços nos portos (08:00)
Terça-Feira, 19/06
BRF anuncia encerramento de produção de aves em Campo Verde (MT) (15:19)
AB Vista atualiza estudos sobre os efeitos de Cálcio X Fitase na alimentação dos monogástricos (14:24)
VIII CLANA tem inscrições com desconto até 10 de agosto (14:21)
Embrapa: ICPFrango foi de 225,89 pontos em maio, alta de 2,72% (08:50)
Em cinco anos, produção de carnes de Mato Grosso vai subir 40%, diz banco (07:49)
MILHO/CEPEA: preços recuam quase 8% em sete dias (07:46)
SOJA/CEPEA: preços caem devido à baixa externa, dólar e produção elevada (07:44)
Após greve dos caminhoneiros, BRF suspenderá abates em Concórdia (SC) (07:41)
Ministro Blairo Maggi vai à Comissão de Agricultura da Câmara (07:35)
Mercado interno do milho apresenta poucas movimentações na abertura da semana (07:32)
Soja sobe nos portos do Brasil nesta 2ª feira estimulada pela alta do dólar e dos prêmios (07:30)
Segunda-Feira, 18/06
Justiça livra adquirente de produto agrícola de recolher o Funrural (08:33)
Nova taxa da China para importação de frango preocupa avicultores e indústria (08:30)
EUA e China travam guerra comercial e, com ela, Brasil só tem a perder (08:29)
Ovo ganha papel de destaque em páginas sobre dietas no Instagram (08:10)
Rally em Chicago retira pressão de queda maior do milho (08:08)
Soja: mercado interno com poucos negócios (08:00)