Sexta-feira, 22 de Junho de 2018
Bem-estar Animal

Ranking de bem-estar animal BBFAW aponta avanço de empresas brasileiras
São Paulo, SP, 14 de Março de 2018 - Práticas mais humanas e responsáveis de criação estão cada vez mais na pauta das empresas do setor alimentício. E para avaliar o comportamento destas companhias em relação ao tema, o ranking de bem-estar animal Business Benchmark on Farm Animal (BBFAW), publicado por ONGs internacionais, apresenta dados atualizados anualmente.

São informações que relatam como frigoríficos, restaurantes e agroindústrias, por exemplo, lidam com práticas mais humanas e responsáveis de criação. Ainda, o ranking de bem-estar animal relata como essas empresas se reportam quanto ao tema para o público e para a sociedade. Esta, que já é a sexta edição publicada da pesquisa, avaliou 110 grandes marcas, classificando-as entre o nível 1 (melhor) e o nível 6 (pior).

Empresas brasileiras avançaram

O Brasil se saiu bem no ranking de bem-estar animal. As companhias que representam o nosso país na lista, as gigantes BRF, JBS e Marfrig, progrediram no relatório divulgado na última semana. A Marfrig apresentou bom desempenho, subindo uma posição na pesquisa. A empresa, que havia caído para o nível 4 no ano passado, avançou para o nível 3, que abrange negócios que já realizam boas práticas de bem-estar animal mas que ainda necessitam evoluir no tema. A JBS também prosperou, passando do nível 3, em que estava estacionada por três anos, para o nível 2. Até o ano passado, a BRF era a única representante do país nesta posição. A multinacional manteve o seu lugar, continuando no nível 2.

Duas das três empresas brasileiras estão classificadas no nível 2 do ranking de bem-estar animal, atingindo um grande progresso em comparação aos dados registrados em 2016. O nível 2 significa um estágio bem próximo da liderança quando o assunto é bem-estar animal, comprovando que as companhias do país estão cada vez mais atentas sobre quanto às regras de manejo humanizado.

O BBFAW
O Business Benchmark on Farm Animal Welfare é um ranking de bem-estar animal com alcance global. O material é resultado de uma parceria entre as ONGs World Animal Protection, Compassion in World Farming e Coller Capital. As empresas são classificadas conforme a sua responsabilidade e comprometimento com boas práticas de bem-estar animal. As categorias avaliadas são: Compromisso e Política de Gestão, Governança e Implementação de Políticas, Liderança e Inovação e Relatórios de Desempenho e Impacto. Todas as informações verificadas são divulgadas pelas próprias empresas avaliadas.

O desempenho de destaque do país no ranking de bem-estar animal também pode ser explicado pelo fato de as empresas brasileiras avaliadas serem grandes exportadoras para os EUA e a Europa, locais onde já é preciso assegurar o bem-estar animal. O Brasil ainda continua com o mesmo número de empresas consideradas e sem nenhum representante no topo da lista. Estamos crescendo, mas ainda engatinhando.
(Certified Humane Brasil) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 22/06
BRF confirma que pode vender em bloco parte de suas ações na Minerva (07:31)
Na copa da Rússia, quem perde é a carne suína brasileira (07:28)
SUÍNOS e BOI CEPEA: acompanhe como estão os mercados (07:25)
Compradores chineses cancelam 65 mil tons de soja americana (07:23)
Quinta-Feira, 21/06
CARNE DE FRANGO: exportações totalizam 1,6 milhão de ton em 2018 (13:58)
Revista Brasileira de Ciência Avícola passa a ser apenas digital (09:03)
VIII CLANA tem algumas das principais cotas de patrocínio esgotadas (08:06)
Blairo tentará reverter antidumping chinês em viagem à África do Sul (08:02)
Greve dos caminhoneiros obriga BRF a dar férias coletivas a 5,6 mil (08:00)
Grãos caem, mas prêmio da soja sobe (07:58)
Preços da soja voltam a subir nos portos do BR nesta 4ª (07:57)
Quarta-Feira, 20/06
Frigoríficos precisam buscar soluções técnicas para problemas, afirma Vargas (09:49)
Prima-irmã dos frangos de corte, produção de ovos vive longe da crise (08:23)
Motivo para embargo da UE ao frango brasileiro é disputa comercial, diz Blairo (08:21)
Valor da Produção Agropecuária de 2018 é de R$ 552 bilhões (08:10)
Milho: com foco na China e na safra americana, mercado recua pelo 5º pregão consecutivo em Chicago (08:09)
Soja: prêmios sobem mais de 20% no Brasil, mas queda forte em Chicago limita preços nos portos (08:00)
Terça-Feira, 19/06
BRF anuncia encerramento de produção de aves em Campo Verde (MT) (15:19)
AB Vista atualiza estudos sobre os efeitos de Cálcio X Fitase na alimentação dos monogástricos (14:24)
VIII CLANA tem inscrições com desconto até 10 de agosto (14:21)
Embrapa: ICPFrango foi de 225,89 pontos em maio, alta de 2,72% (08:50)
Em cinco anos, produção de carnes de Mato Grosso vai subir 40%, diz banco (07:49)
MILHO/CEPEA: preços recuam quase 8% em sete dias (07:46)
SOJA/CEPEA: preços caem devido à baixa externa, dólar e produção elevada (07:44)
Após greve dos caminhoneiros, BRF suspenderá abates em Concórdia (SC) (07:41)
Ministro Blairo Maggi vai à Comissão de Agricultura da Câmara (07:35)
Mercado interno do milho apresenta poucas movimentações na abertura da semana (07:32)
Soja sobe nos portos do Brasil nesta 2ª feira estimulada pela alta do dólar e dos prêmios (07:30)
Segunda-Feira, 18/06
Justiça livra adquirente de produto agrícola de recolher o Funrural (08:33)
Nova taxa da China para importação de frango preocupa avicultores e indústria (08:30)
EUA e China travam guerra comercial e, com ela, Brasil só tem a perder (08:29)
Ovo ganha papel de destaque em páginas sobre dietas no Instagram (08:10)
Rally em Chicago retira pressão de queda maior do milho (08:08)
Soja: mercado interno com poucos negócios (08:00)