Sábado, 26 de Maio de 2018
Empresas

Furlan busca acordo para pôr fim à disputa na BRF
São Paulo, SP, 18 de Abril de 2018 - Ainda vislumbrando um acordo do empresário Abilio Diniz com as fundações Petros e Previ, o ex-ministro e herdeiro da Sadia Luiz Fernando Furlan convocou a imprensa ontem para reforçar a intenção de atuar como o "pacificador" da BRF. Em entrevista coletiva, por telefone, que durou quase uma hora, o ex-ministro e possível presidente do novo conselho de administração da BRF disse que, a despeito do "ressentimentos" entre as partes, não é impossível fechar um acordo, inclusive no dia da assembleia, em 26 de abril.

"Acho que é possível se chegar a algum tipo de acordo. Trabalho para isso", afirmou Furlan, mesmo reconhecendo que na semana passada as conversas dos fundos de pensão com a Península Participações, veículo de investimento de Abilio, foram interrompidas. Nos bastidores, o ex-ministro não é o único esperançoso. Ao Valor, uma fonte afirmou que um desfecho "surpreendente" está no radar. Segundo essa mesma fonte, uma saída negociada para o imbróglio pode avançar ainda esta semana - amanhã, o conselho de administração se reunirá, lembrou a fonte.

Em outro trecho da entrevista, no qual enfatizou a complexidade e raridade da eleição por voto múltiplo, Furlan citou a possibilidade de retirada do pedido de voto múltiplo. De acordo com ele, o conselho de administração da BRF se reunirá na quinta-feira porque é preciso estar preparado para as inúmeras possibilidades da assembleia. "Quem vai presidir [a assembleia] precisa ter treinamento para uma situação inusitada. Até com a possibilidade de retirada do voto múltiplo e volta de duas chapas. Há muita insegurança em relação ao que pode acontecer", ponderou.

Independentemente do cenário que marcará a assembleia, o ex-ministro lamentou o conflito societário. "A disputa de blocos tem que terminar na assembleia e ponto. A partir daí, os membros do conselho são representantes de todos [os acionistas]", afirmou o ex-ministro, que é o 15º maior acionista da BRF, com pouco mais de 1% do capital. Juntos, Petros e Previ têm 22%. Aliada das fundações, a gestora Aberdeen tem 5%. Abilio tem quase 4%.

Mas Furlan também admitiu que o atual conselho da BRF, do qual ele faz parte, pode ter errado ao propor uma chapa alternativa ao colegiado sem consultar previamente os envolvidos. Na semana passada, quatro executivos solicitaram a exclusão de seus nomes da chapa. Eles só haviam concordado em participar da chapa apresentada pelas fundações.

"Infelizmente, talvez tenha sido uma falha, mas o que não invalida a intenção", afirmou, alegando falta de tempo hábil para a consulta antecipada. O objetivo, disse, era apresentar uma chapa de "convergência", 70% idêntica à das fundações, mas com novo presidente - o próprio Furlan. A proposta não soou bem para as fundações. Na visão dele, a proposta foi apresentada de modo errado pela imprensa. "Foi falado em chapa do Abilio. Quem presenciou as reuniões [do conselho] sabe que a ideia de uma chapa do conselho não foi do Abilio", disse.

Na entrevista, Furlan também disse que o clima entre os acionistas dificulta a resolução de outros problemas da BRF, que neste momento sofre com a impossibilidade de exportar para a União Europeia. "Me dói muito ver essa disputa de poder que tem destruído valor num momento em que a empresa tem outros desafios muito mais diretos ligados ao negócio", afirmou Furlan.

Por mais de vez durante a entrevista, o ex-ministro disse manter boas relações com os atuais conselheiros da BRF, com os fundos de pensão e a Península. "Vocês sabem que sou isento. Me dou bem com os diversos segmentos de acionistas".

Por outro lado, o ex-ministro também fez críticas veladas aos nomes indicados pelas fundações Petros e Previ para o novo conselho da BRF. As fundações defendem o nome de Augusto Cruz, que é o presidente do conselho da BR Distribuidora, para o comando do novo colegiado da BRF.

Agora, disse Furlan, os acionistas da companhia terão a oportunidade de eleger conselheiros que conheçam a longa cadeia produtiva da BRF - que vai da incubação de ovos até o processamento da carne. Para dar uma dimensão das dificuldades em gerir a companhia, afirmou que a BRF é a maior produtora de ração do país e abate cerca de 7 milhões de aves por dia. Disse ainda que produzir alimentos processados "não é igual a um produto petroquímico".

Com essa avaliação, o ex-ministro propôs três candidatos para o conselho de administração da BRF. Os nomes sugeridos são o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues, Luiza Helena Trajano, dona da Magazine Luiza, e Vicente Falconi, consultor especializado em reestruturação da companhias.

Além das sugestões para o novo colegiado da BRF, Furlan também defendeu a continuidade da atual diretoria-executiva da BRF, liderada pelo CEO José Aurélio Drummond desde dezembro. Segundo o ex-ministro, os planos do atual CEO para a empresa foram apresentados em fevereiro ao conselho de administração. Na ocasião, segundo Furlan, todos - inclusive os conselheiros indicados pela Petros e pela Previ - gostaram do plano.
(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 26/05
Sexta-Feira, 25/05
Greve dos caminhoneiros: quando um direito vira chantagem (15:04)
Evento Avicultor 2018 está de casa nova (14:55)
Temer sobe o tom e anuncia uso das forças federais para desbloquear estradas (14:53)
ACAV abre inscrições para o 12º Simpósio Técnico de Incubação, Matrizes de Corte e Nutrição (14:32)
ABPA alerta sobre risco de falta de ração nas granjas (14:28)
Manifestantes e governo selam acordo para liberação de cargas essenciais no Paraná (14:23)
BOI e SUÍNO: acompanhe as análises de mercado do CEPEA (09:06)
Maggi recebe na OIE certificado do Brasil livre da aftosa com vacinação (08:13)
Indústrias de suínos e aves param hoje (08:11)
CNA defende solução imediata para bloqueio nas estradas (08:09)
Greve já provoca canibalismo entre aves (08:07)
Produção global de milho em queda (08:06)
Milho: após altas recentes, mercado passa por correção nesta 5ª feira e exibe leves quedas na CBOT (08:05)
Área plantada de soja voltará a aumentar (08:01)
Soja fecha com leves baixas em Chicago nesta 5ª feira, mas preços se mantêm nos portos do BR (08:00)
Quinta-Feira, 24/05
Wisium reforça atuação na região Sul e apresenta Gerente de Negócios (11:53)
ABPA alerta para liberação das cargas vivas (11:41)
Greve dos caminhoneiros impacta o agronegócio de SC (10:21)
Conferência FACTA 2018 reúne setor avícola e coloca a salmonela em discussão (09:59)
Entrevista com Dr. Sérgio Puppin, autor do livro "Ovo - O Mito do Colesterol" (09:36)
Alimentos com maior peso no consumo das famílias ajudam a derrubar inflação (09:29)
Brasil recebe certificação oficial de País Livre da Aftosa (09:20)
Boehringer Ingelheim Saúde Animal promove Road Show Aves 2018 para discutir temas ligados à sanidade avícola (09:08)
STF reafirma constitucionalidade do Funrural e nega modulação (08:57)
Greve dos caminhoneiros paralisa frigoríficos e laticínios (08:22)
Brasil já deixou de exportar US$ 60 milhões em carnes por causa de greve (08:20)
Deus salve o frango! (08:10)
Preço do milho segue firme no mercado interno (08:08)
Soja tem boas altas em Chicago nesta 5ª de olho no clima do Corn Belt (08:00)
Quarta-Feira, 23/05
Justiça determina liberação imediata de 6 rodovias federais (21:32)
Associação de caminhoneiros ameaça interromper trânsito de carga viva (18:39)
Greve de caminhoneiros paralisa mais da metade da produção de carne suína e de aves (18:36)
Comer um ovo por dia pode proteger o coração, sugere estudo (08:52)
Ovos cage free: granjas da Argentina e Chile recebem selo Certified Humane (08:44)
Marfrig avança no processo de venda da Keystone (08:41)
Sem transporte, 40 processadoras de carnes serão paralisadas no Brasil (08:34)
Greve dos caminhoneiros atinge estradas de 22 estados, diz PRF (08:28)
Paralisação de caminhoneiros afetou chegada de grãos a Paranaguá (08:10)
Milho: em Chicago, mercado sobe pelo 2º dia consecutivo com suporte do trigo e de olho na demanda (08:05)
Soja: altas em Chicago amenizam pressão do dólar e portos do BR se mantêm acima dos R$ 85/saca (08:00)
Terça-Feira, 22/05
Greve dos caminhoneiros causa paralisação total na Aurora Alimentos (18:35)
ABPA alerta sobre os riscos de continuidade das paralisações e bloqueios nas rodovias federais e estaduais do País (10:31)
Fim do embargo russo a carnes está próximo (08:52)
Preços agropecuários em São Paulo subiram 2,14% em abril (08:24)
Rússia reabrirá seu mercado às carnes do Brasil (08:19)
Milho: mercado brasileiro apresenta leves movimentações (08:05)
MILHO/CEPEA: incertezas quanto à produtividade e alta do dólar elevam preço interno (08:02)
SOJA/CEPEA: dólar se valoriza, mas prêmio e preço externo recuam no Brasil (08:01)
Chicago x Dólar: preços da soja no BR mantêm equilíbrio após dia intenso (08:00)