Sábado, 26 de Maio de 2018
Matérias-Primas

Milho: após números do USDA, mercado encerra pregão desta 5ª feira próximo da estabilidade na Bolsa de Chicago
Campinas, SP, 11 de Maio de 2018 - A sessão desta quinta-feira (10) foi de estabilidade aos preços do milho praticados na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais posições da commodity reduziram as quedas e encerraram o dia com perdas de 0,75 pontos. O maio/18 terminou o pregão a US$ 3,94 por bushel, enquanto o julho/18 era cotado a US$ 4,02 por bushel. O setembro/18 era negociado a US$ 4,10 por bushel.

De acordo com informações da agência Reuters internacional, as cotações do cereal recuaram em "solidariedade ao trigo". Por sua vez, as cotações do trigo fecharam o dia com quedas entre 4,00 e 6,75 pontos no pregão desta quinta-feira.

Porém, as cotações do milho ainda encontraram sustentação nas novas projeções de oferta e demanda reportadas pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). Nesse boletim, o órgão já trouxe as primeiras estimativas para a safra 2018/19.

O USDA estimou os estoques finais globais da temporada 2018/19 em 159,15 milhões de toneladas. Do ciclo passado, da safra 2017/18, os estoques finais ficaram 194,85 milhões de toneladas do cereal.

"Isso é uma redução de 35 milhões de toneladas de safra antiga para nova safra. Para mim, esse é o número que realmente deve ser focado em. Isso é uma redução enorme ", disse Karl Setzer, analista da Cooperativa MaxYield, baseada em Iowa, em entrevista à Reuters.

No caso da safra americana, o departamento estimou a produção de milho em 356,64 milhões de toneladas na safra 2018/19. No ciclo passado, os agricultores colheram 370,96 milhões de toneladas do cereal.

Ainda hoje, o departamento também trouxe o relatório semanal de vendas para exportação. Na semana encerrada no dia 3 de maio, as vendas de milho da safra velha ficaram em 695,6 mil toneladas, contra as expectativas do mercado entre 700 mil toneladas a 1 milhão de toneladas.

No caso da safra nova, o número ficou em 90 mil toneladas. O volume ficou dentro do esperado pelos investidores, entre 50 mil a 300 mil toneladas.

Outra variável que também está no radar dos participantes do mercado é o andamento do plantio da safra nos Estados Unidos. O clima seco no Brasil e os efeitos para safrinha também continua no radar.

Mercado brasileiro

A quinta-feira (10) foi de ligeiras movimentações aos preços praticados no mercado doméstico. Segundo levantamento do economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, em Castro (PR), o preço caiu 7,14% e terminou o dia a R$ 39,00.

Já em Brasília e em Campo Grande (MS), a alta foi de 3,13%, com a saca a R$ 33,00. Ainda em Mato Grosso do Sul, a saca caiu 3,13% e terminou o dia a R$ 31,00 em São Gabriel do Oeste. No Porto de Paranaguá, a saca futura, para entrega em agosto/18, caiu 1,23% e encerrou o dia a R$ 40,00.

Todas as atenções dos participantes do mercado permanecem voltadas à ausência de chuvas registrada nas principais regiões produtoras. Hoje, a Agroconsult cortou a sua projeção para a safrinha de milho, de 63 milhões para 60 milhões de toneladas. "

Se a estiagem permanecer, a safra poderá ser ainda menor", alertou a consultoria, em nota.

Ainda hoje, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) estimou a segunda safra de milho em 62,94 milhões de toneladas.

Dólar

Nesta quinta-feira, a moeda norte-americana encerrou o dia a R$ 3,5467 na venda, com queda de 1,35%. No mês, a moeda já acumula alta de 2,62% e, na véspera, encostou no patamar de R$ 3,60, o maior em dois anos, conforme dados da Reuters.

"O câmbio caiu favorecido pelo recuo global da moeda norte-americana após dados mais fracos de inflação aliviarem a pressão sobre alta de juros adicionais nos Estados Unidos neste ano", destacou a Reuters.
(Notícias Agrícolas) (Fernanda Custódio)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 26/05
Sexta-Feira, 25/05
Greve dos caminhoneiros: quando um direito vira chantagem (15:04)
Evento Avicultor 2018 está de casa nova (14:55)
Temer sobe o tom e anuncia uso das forças federais para desbloquear estradas (14:53)
ACAV abre inscrições para o 12º Simpósio Técnico de Incubação, Matrizes de Corte e Nutrição (14:32)
ABPA alerta sobre risco de falta de ração nas granjas (14:28)
Manifestantes e governo selam acordo para liberação de cargas essenciais no Paraná (14:23)
BOI e SUÍNO: acompanhe as análises de mercado do CEPEA (09:06)
Maggi recebe na OIE certificado do Brasil livre da aftosa com vacinação (08:13)
Indústrias de suínos e aves param hoje (08:11)
CNA defende solução imediata para bloqueio nas estradas (08:09)
Greve já provoca canibalismo entre aves (08:07)
Produção global de milho em queda (08:06)
Milho: após altas recentes, mercado passa por correção nesta 5ª feira e exibe leves quedas na CBOT (08:05)
Área plantada de soja voltará a aumentar (08:01)
Soja fecha com leves baixas em Chicago nesta 5ª feira, mas preços se mantêm nos portos do BR (08:00)
Quinta-Feira, 24/05
Wisium reforça atuação na região Sul e apresenta Gerente de Negócios (11:53)
ABPA alerta para liberação das cargas vivas (11:41)
Greve dos caminhoneiros impacta o agronegócio de SC (10:21)
Conferência FACTA 2018 reúne setor avícola e coloca a salmonela em discussão (09:59)
Entrevista com Dr. Sérgio Puppin, autor do livro "Ovo - O Mito do Colesterol" (09:36)
Alimentos com maior peso no consumo das famílias ajudam a derrubar inflação (09:29)
Brasil recebe certificação oficial de País Livre da Aftosa (09:20)
Boehringer Ingelheim Saúde Animal promove Road Show Aves 2018 para discutir temas ligados à sanidade avícola (09:08)
STF reafirma constitucionalidade do Funrural e nega modulação (08:57)
Greve dos caminhoneiros paralisa frigoríficos e laticínios (08:22)
Brasil já deixou de exportar US$ 60 milhões em carnes por causa de greve (08:20)
Deus salve o frango! (08:10)
Preço do milho segue firme no mercado interno (08:08)
Soja tem boas altas em Chicago nesta 5ª de olho no clima do Corn Belt (08:00)
Quarta-Feira, 23/05
Justiça determina liberação imediata de 6 rodovias federais (21:32)
Associação de caminhoneiros ameaça interromper trânsito de carga viva (18:39)
Greve de caminhoneiros paralisa mais da metade da produção de carne suína e de aves (18:36)
Comer um ovo por dia pode proteger o coração, sugere estudo (08:52)
Ovos cage free: granjas da Argentina e Chile recebem selo Certified Humane (08:44)
Marfrig avança no processo de venda da Keystone (08:41)
Sem transporte, 40 processadoras de carnes serão paralisadas no Brasil (08:34)
Greve dos caminhoneiros atinge estradas de 22 estados, diz PRF (08:28)
Paralisação de caminhoneiros afetou chegada de grãos a Paranaguá (08:10)
Milho: em Chicago, mercado sobe pelo 2º dia consecutivo com suporte do trigo e de olho na demanda (08:05)
Soja: altas em Chicago amenizam pressão do dólar e portos do BR se mantêm acima dos R$ 85/saca (08:00)
Terça-Feira, 22/05
Greve dos caminhoneiros causa paralisação total na Aurora Alimentos (18:35)
ABPA alerta sobre os riscos de continuidade das paralisações e bloqueios nas rodovias federais e estaduais do País (10:31)
Fim do embargo russo a carnes está próximo (08:52)
Preços agropecuários em São Paulo subiram 2,14% em abril (08:24)
Rússia reabrirá seu mercado às carnes do Brasil (08:19)
Milho: mercado brasileiro apresenta leves movimentações (08:05)
MILHO/CEPEA: incertezas quanto à produtividade e alta do dólar elevam preço interno (08:02)
SOJA/CEPEA: dólar se valoriza, mas prêmio e preço externo recuam no Brasil (08:01)
Chicago x Dólar: preços da soja no BR mantêm equilíbrio após dia intenso (08:00)