Sábado, 19 de Janeiro de 2019
Matérias-Primas

USDA traça cenário positivo para preços de grãos
São Paulo, SP, 11 de Maio de 2018 - Tanto soja quanto milho registrarão produções globais inferiores aos respectivos consumos na próxima safra (2018/19), e essas relações menos confortáveis entre ofertas e demandas tendem a permitir que as cotações internacionais de ambos os grãos permaneçam, nos próximos meses, nos patamares mais elevados nos quais se encontram em razão da quebra das safras argentinas, que se tornou evidente no início deste ano.

É o que sinalizou o primeiro levantamento do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) sobre a temporada que "oficialmente" começará em setembro, quando as colheitas do Hemisfério Norte estiverem entrando no mercado e as semeaduras começarem a ganhar ritmo no Hemisfério Sul - desde que, é claro, o clima colabore. Um cenário promissor para os produtores do Brasil, protagonista de peso nos dois mercados.


No tabuleiro da soja, as estimativas divulgadas pelo USDA sinalizam que os estoques finais mundiais (86,7 milhões de toneladas) representarão 19,5% da demanda total (357,72 milhões), bem menos que neste ciclo 2017/18 (25%). Analistas consideram que o percentual ainda indica uma relação confortável - em 2016/17, os estoques representaram 14,8% da demanda -, mas de qualquer forma é menos gordura para armazenar.

E nesse cenário mais favorável aos preços, projeta o USDA, o Brasil deverá retomar a liderança da produção global da oleaginosa. Conforme o órgão, o país produzirá 117 milhões de toneladas em 2018/19, volume similar ao previsto para 2017/18, e superará os EUA, cuja colheita está calculada em 116,5 milhões de toneladas.

Levantamentos divulgados ontem por Conab e IBGE sobre a safra atual dão força aos novos números do USDA. Também segundo a Conab, a produção brasileira de soja somará 117 milhões de toneladas em 2017/18 enquanto o IBGE prevê 115,6 milhões. Mesmo que o número do IBGE prevaleça, um novo recorde histórico será batido.

Nas exportações, a liderança permanecerá com os brasileiros em 2018/19, conforme o USDA. O órgão projeta que os embarques do país alcançarão 72,3 milhões de toneladas, 1 milhão a menos que em 2017/18, ao passo que para os EUA a previsão é de 62,3 milhões de toneladas, 6,1 milhões a mais na mesma comparação.

Depois dos problemas climáticos que derrubaram sua produção na temporada atual, apontou o USDA, a Argentina deverá se recuperar no próximo ciclo, ao passo que as importações da China, principal âncora do mercado global de soja, tendem a registrar incremento de 6,2%, para 103 milhões de toneladas.

No caso do milho, as primeiras previsões do USDA para 2018/19 sinalizaram que os estoques finais mundiais (159,2 milhões de toneladas) representarão 13,5% da demanda total (1,1 bilhão de toneladas), ante 17,4% em 2017/18 e 18,6% em 2016/17. Isso mesmo com um aumento de 20 milhões de toneladas na produção, também para cerca de 1,1 bilhão de toneladas, que contará com a ajuda da recuperação da produção argentina.

Nesse mercado, o Brasil será, de acordo com o USDA, o terceiro maior produtor (87 milhões de toneladas) e o segundo principal exportador (30 milhões) em 2018/19. De acordo com as projeções da Conab, a colheita brasileira será de 89,2 milhões nesta safra 2017/18, e o IBGE prevê a produção em 86,6 milhões de toneladas.

(Valor) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 19/01
Sexta-Feira, 18/01
FRANGO/CEPEA: desaquecimento de negócios pressiona valores da carne (09:51)
OVOS/CEPEA: poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda (09:50)
Milho: produtor de MT revê planos para safrinha (09:45)
Porto de Itajaí fecha o ano com melhor resultado desde 2011 (09:23)
Estudo sugere 'dieta universal' para salvar o planeta (09:22)
Ministério remove 'blindagem' de superintendências estaduais (08:22)
Boi Gordo: oferta regulada à demanda (08:09)
Milho: quinta-feira chega ao fim com preços em alta de até 6 pontos na Bolsa de Chicago (08:05)
Soja fecha a 5ª feira com altas de mais de 13 pts em Chicago com correção técnica e olhos no Brasil (08:00)
Quinta-Feira, 17/01
SUÍNOS/CEPEA: média do vivo é a menor para janeiro desde 2007 (11:06)
BOI/CEPEA: bom planejamento pode garantir margens positivas no fim de 2019 (11:03)
Balança Comercial Paulista registra superávit de US$ 11,49 bilhões, aponta IEA (11:02)
2ª Conbrasul Ovos 2019 vai reunir lideranças da avicultura de postura nacional e internacional de 16 a 19 de junho (09:28)
Presidente da ABPA se reúne governador Eduardo Leite (09:05)
Ministério tenta reabrir UE a carnes e pescados (08:28)
Milho: Bolsa de Chicago mantem tendência ao longo do dia e encerra quarta-feira em alta (08:23)
Carrefour vai monitorar fornecedores de carne por câmeras na França (08:20)
Fiscais Agropecuários gaúchos passarão por capacitação em inspeção (08:05)
STF abre investigação contra políticos na Operação Carne Fraca (08:02)
Três laboratórios têm selo Inmetro cancelado após descobertas da Operação Trapaça (08:00)
Cotação do boi gordo estável em São Paulo e frouxa em Mato Grosso do Sul (07:30)
Em mais um dia vazio de informações, soja fecha estável em Chicago nesta 4ª feira (07:18)
Quarta-Feira, 16/01
Brasil fomenta o maior projeto agropecuário da África (09:01)
ICC Brazil participa do IPPE 2019 (09:01)
Presença diária de fiscais em frigoríficos deverá ser mantida (08:56)
Quantos likes um ovo merece? (08:30)
Boi Gordo: atenção com as vacas e novilhas (08:04)
Milho: Bolsa de Chicago encerra terça-feira com quedas nos preços (08:02)
Soja trabalha em campo positivo nesta 4ª feira em Chicago em ajuste técnico depois das baixas (08:00)
Valor da Produção fecha 2018 em R$ 569,8 bilhões (07:49)
Terça-Feira, 15/01
FRANGO/PERSPEC 2019: após ano difícil, cenário sinaliza recuperação para 2019 (11:27)
OVOS/PERSPEC 2019: excesso de produção pode limitar ganho; produtores devem ter cautela em 2019 (11:25)
SUÍNOS/PERSPEC 2019: exportação e custo menor podem garantir ano mais positivo (11:23)
BOI/PERSPEC 2019: após exportação recorde em 2018, setor aposta em demanda interna em 2019 (11:21)
Foto de ovo tem o maior número de “curtidas” do mundo (07:39)
Redes de fast-food não se comprometem com bem-estar de frangos, diz ONG (07:38)
eSocial: o que o empregador PF precisa saber sobre CAEPF (07:37)
Baixa demanda por carne bovina mantém mercado do boi com pouca movimentação (07:20)
Importações chinesas de soja recuaram 8% em 2018 (07:18)
Soja testa leves altas em Chicago nesta 3ª feira corrigindo as últimas baixas (07:17)