Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018
Exportação

Disputa entre EUA e México pode beneficiar carne suína do Brasil
São Paulo, SP, 08 de Junho de 2018 - Os exportadores brasileiros de carne suína pediram nesta semana ao Ministério da Agricultura para acelerar as tratativas com as autoridades do México em torno da abertura do mercado do país norte-americano, afirmou ao Valor o vice-presidente de mercados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin.

A intenção é aproveitar a oportunidade política aberta pela disputa comercial entre Estados Unidos e México. Em retaliação à sobretaxa aplicada pelo presidente americano Donald Trump contra o aço e o alumínio, o México anunciou ontem uma sobretaxa de 20% sobre uma lista de produtos americanos, entre os quais a carne suína.

De acordo com dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o México é o terceiro maior importador mundial de carne suína, perdendo somente para Japão e China. No ano passado, os mexicanos importaram 1 milhão de toneladas do produto. Os Estados Unidos são os principais fornecedores de carne suína para os mexicanos.

“Com a tarifa de 20% [aplicada aos americanos], passamos a ser competitivos”, afirmou Santin. De acordo com ele, o México também criou uma cota livre de tarifa de 350 mil toneladas para ocupar o espaço que era normalmente preenchido pelos Estados Unidos.

Segundo o vice-presidente da ABPA, o Brasil já tem a documentação necessária para pleitar a abertura do mercado do México. Diante disso, o Ministério da Agricultura já acionou a adida agrícola no México para agendar uma reunião com autoridades do país.

A abertura efetiva do mercado do México deve demandar uma missão sanitária de técnicos ao Brasil, o que costuma demorar. No entanto, as tratativas podem acontecer mais rapidamente diante da necessidade mexicana de ampliar o número de fornecedores, avaliou Santin. O vice-presidente da ABPA não mencionou um prazo para a abertura.

No momento, os grandes beneficiários da sobretaxa mexicana à carne suína dos EUA são os produtores europeus. Na terça-feira, o ministro da Economia do México, Ildefonso Guarjado, disse que o país “seguramente” buscará a Europa para importar carne suína.

No ano passado, a União Europeia liderou as exportações globais de carne suína, com 2,8 milhões de toneladas, de acordo com dados do USDA. Os Estados Unidos ficaram na segunda posição no ranking dos maiores exportadores, com 2,5 milhões de toneladas.

O Canadá ocupou a terceira posição e o Brasil a quarta, com 1,3 milhão de toneladas e 786 mil toneladas comercializadas, respectivamente. Ao todo, as exportações mundiais de carne suína somaram 8,3 milhões de toneladas no ano passado, de acordo com o USDA.

Se conseguir abrir o mercado mexicano, o Brasil ganhará uma opção alternativa à Rússia, que segue fechada para os produtos brasileiros. Até novembro do ano passado, os russos respondiam por 40% das exportações de carne suína do Brasil. Em dezembro do ano passado, Moscou embargou o produto alegando problemas sanitárias.

No mês passado, o Ministério da Agricultura avisou aos exportadores que Moscou poderia reabrir o mercado ainda em maio, mas a expectativa foi frustrada. O mercado russo continua fechada e muitos duvidam que haverá uma reabertura antes da Copa do Mundo, que começa semana que vem na Rússia.

(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 15/08
Terça-Feira, 14/08
Crédito rural: necessário manter e inovar (09:38)
Frango deve ficar mais caro para consumidores de MT nesta semana (09:26)
MILHO/CEPEA: estimativas de menor oferta mantêm vendedor recuado e preço segue em alta (07:57)
SOJA/CEPEA: dólar, exportação à China e menor estoque impulsionam cotações no Brasil (07:56)
Decisão sobre o glifosato alerta sojicultor no Brasil (07:51)
Milho: com clima favorável nos EUA, mercado recua nesta 2ª na CBOT e consolida 3ª desvalorização consecutiva (07:48)
Soja trabalha com estabilidade nesta 3ª feira na Bolsa de Chicago ainda se ajustando (07:47)
Segunda-Feira, 13/08
Luciano Roppa assume Presidência do Conselho da Yes (14:48)
Horácio Rostagno enfoca tabelas brasileiras no LPN Congress 2018 (09:10)
Horácio Rostagno enfoca tabelas brasileiras no LPN Congress 2018 (09:05)
Dívida cresce, mas acordo com bancos anima BRF (08:26)
Soja avança no campo paulista (08:23)
Milho: em Chicago, mercado ainda reflete números do USDA e inicia semana com desvalorização de mais 1% (08:14)
Soja dá continuidade às baixas em Chicago nesta 2ª ainda refletindo USDA e clima nos EUA (08:13)
Sexta-Feira, 10/08
Aplicativo Cobb Connection traz informações sobre produtos, manejo e melhor resultado em campo (14:29)
Quinto encontro do Qualificaves será durante a 7ª STA (14:11)
BRF tem prejuízo de R$ 1,57 bilhão no segundo trimestre (11:48)
FACTA comemora 29 anos e já planeja próxima Conferência (11:20)
FRANGO/CEPEA: preços recuam e competitividade da carne de frango aumenta (10:27)
OVOS/CEPEA: após cinco meses em queda, exportações reagem em julho (10:26)
Setor avícola terá oportunidade para discutir impacto das salmonelas em Campinas (SP) (09:30)
SUÍNOS/CEPEA: maior demanda aumenta liquidez e preços sobem (08:08)
BOI/CEPEA: menor oferta sustenta valor da arroba do boi gordo (08:07)
Frete pode tirar US$ 1,75 bi das exportações de milho (08:05)
Agro registra recorde de US$ 59,2 bi em vendas externas desde janeiro (08:04)
Apesar da quebra de safra, estoque de milho será de 10 milhões de toneladas (08:03)
Milho: com alta do dólar, preço sobe 2,47% e bate R$ 41,50/sc nesta 5ª feira no Porto de Paranaguá (08:01)
Soja fecha em queda nesta 5ª à espera de números maiores do USDA para safra dos EUA (08:00)
Quinta-Feira, 09/08
Produtores de alimentos e consumidores perdem com tabela de frete, afirma a ABPA (14:35)
Agroindústrias terão plano de contingência para emergência (14:26)
CNA reitera no STF pedido de suspensão do tabelamento do frete (13:43)
Temer sanciona lei que institui tabela de fretes no país (11:44)
Ovos chegam a 857,6 milhões, recorde para um 2º trimestre (09:46)
IBGE: no 2º trimestre abate de frangos cai em todas as comparações (09:45)
Rússia expõe fragilidade da suinocultura (08:07)
EUA exportam 220% mais soja para Europa em junho (07:48)
Produtores contratam quase R$ 12 bi no primeiro mês do plano agrícola (07:45)
Milho: mercado foca clima no Meio-Oeste e encerra pregão desta 4ª feira com ligeiras valorizações em Chicago (07:43)
Soja tem leve realização de lucros nesta 5ª feira em Chicago após duas altas consecutivas (07:42)
Importação chinesa de soja tem forte retração (07:40)