Quinta-feira, 23 de Maio de 2019
Matérias-Primas

Milho em Chicago fecha a 6ª em alta, mas negativo na semana
Campinas, SP, 11 de Junho de 2018 - Ao fechamento da sexta-feira (8) na Bolsa de Chicago (CBOT), o milho esfriou um pouco do esforço de alta maior que foi visto horas antes, depois de abrir o dia em leve queda. As margens perdidas deixaram a commodity próxima da estabilidade, mas ainda pesando as incertezas do comércio dos Estados Unidos nas disputas comerciais.

As variações positivas ficaram no intervalo de 1,5 a 1,25 ponto, com o julho a US$ 3,77, o setembro a US$ 3,86 e o dezembro a US$ 3,98.

Como reforçou Ted Seifried, analista da Zaner Ag Hedge, à Reuters, “temos boas condições e uma previsão relativamente não ameaçadora, por isso retiramos muito do prêmio climático. Isso foi agravado pela incerteza sobre o comércio”.

As chuvas previstas ajudaram a retirada da precificação climática, apesar do risco de precipitações fortes em áreas do Cinturão do Milho, além do que os índices de condição da safra, do USDA, estão entre positivos para o milho.

E o USDA traz novo relatório na terça (12), com um panorama mundial, o que deixa o mercado de sobreaviso.

A alta desta última sessão da semana não tirou do negativo o acumulado na CBOT desde o dia 1º de junho, em todos os vencimentos – mas todos relativamente dentro da margem de estabilidade.

BM&F Bovespa

Na BM&F Bovespa, as cotações futuras do milho encerraram o pregão desta sexta-feira (8) em campo negativo. As principais posições da commodity recuaram entre 0,59% e 1,76%. O vencimento julho/18 era cotado a R$ 42,00 a saca e o setembro/18 fechou o dia a R$ 39,87 a saca.

As cotações acompanharam a queda registrada no dólar, que mesmo após a atuação do Banco central, caiu 5% nesta sexta-feira e fechou o pregão a R$ 3,7065 na venda. A queda é a maior desde 13 de outubro de 2008, quando o câmbio recuou 7,74%.

"A atuação mais firme do Banco Central no mercado de câmbio e o lembrete do presidente da autoridade, Ilan Goldfajn, de que há outros instrumentos que pode usar para ampliar a liquidez surtiu efeito e o dólar despencou mais de 5,5 por cento nesta sexta-feira, voltando ao patamar de 3,70 reais, maior tombo em quase dez anos", informou a Reuters.
(Notícias Agrícolas) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 23/05
Tereza Cristina: “Vamos democratizar mais o crédito agrícola” (07:33)
Diretor-Geral da FAO: voto do Brasil vai para vice-ministro da agricultura chinês (07:31)
Abertura do CPAgro Copacol tem a participação de 1,7 mil pessoas (07:31)
SRB debate futuro dos contratos agrários com Ministro do STJ (07:30)
Em São Paulo, preços agropecuários caíram 0,43% na primeira semana de maio (07:29)
Oeste catarinense busca internacionalização da região (07:28)
Soja fecha em alta na CBOT nesta 4ª feira (07:00)
Quarta-Feira, 22/05
SP: preços agropecuários caem 0,43% na primeira semana de maio (11:14)
5ª FAVESU: maior evento de avicultura e suinocultura do ES será em junho (11:03)
Regulamento traz organização e transparência para o Concurso de Qualidade de Ovos de Bastos (09:36)
Yes amplia equipe e anuncia novo gerente comercial para o Brasil (08:47)
Venda de participação em ativos no Oriente Médio no foco da BRF (08:27)
Mercado do boi: alterações pontuais nas cotações (08:15)
Peste suína africana na China deve dar suporte aos preços da carne nos Estados Unidos (08:10)
Milho fecha terça-feira em alta pela sétima sessão seguida (08:05)
Soja: mercado inverte movimento e fecha em queda na 3ª feira (08:00)
Matopiba deverá ser o principal fornecedor de milho brasileiro para o México (07:17)
Terça-Feira, 21/05
Marcas apostam em 'carne vegetal' no país (15:39)
Safeeds apresenta linha de conservantes na Fenagra 2019 (15:35)
Vetanco do Brasil promoverá o produto Uniwall MOS 25 no Simpósio Goiano de Avicultura (09:23)
PIB do agronegócio brasileiro mantém queda no primeiro bimestre do ano (09:15)
PIB do agronegócio caiu no 1º bimestre, diz Cepea (09:10)
SC: exportações do agronegócio crescem 7,7% em 2019 (08:00)
Boi recupera a estabilidade em SP e a mantém em outras praças (07:55)
Milho: produtores se retraem e preços voltam a subir no Brasil (07:51)
Soja segue em alta nesta 3ª feira em Chicago refletindo plantio lento nos EUA (07:50)
Soja: cotações têm forte alta no Brasil e nos EUA (07:49)
Comitiva visita Santa Catarina visando à Rota do Milho (07:29)
Controle de gastos para otimizar a produção e ajudar na negociação (07:28)
Segunda-Feira, 20/05
'Frango 4.0’: 7 milhões de frangos por ano (09:02)
Mercado do Boi: cotações podem retomar fôlego (08:06)
Soja: semana de bons negócios no Brasil (08:00)
Retaliação da China cria pânico na suinocultura dos EUA e abre brecha para o Brasil (07:53)
SC quer estimular a produção de cereais de inverno para alimentação animal (07:51)
SC busca solução para o recolhimento de animais mortos (07:50)
Ovos no Amazonas: produção chegou a 520 milhões de unidades em 2018 (07:48)
Aves contrabandeadas são sacrificadas por falta de documentação sanitária (07:47)
Sexta-Feira, 17/05
Custos de produção de suínos e de frangos de corte caem 2% em abril (16:21)
Concurso de Qualidade de Ovos tem data definida (16:14)
Evonik foca sua participação no Simpósio Goiano de Avicultura em seu portfólio de produtos para saúde intestinal (15:19)
Frango: alta no valor da carne suína eleva competitividade (15:10)
Exportadores de aves e suínos fecham US$ 148,7 milhões em negócios durante a SIAL China 2019 (15:06)
Palestra Sobre Sucessão Familiar na 5ª FAVESU (13:08)
Nelson Barbudo contra a carne de laboratório (09:35)
Com influências de plantio, dólar e até peste suína, negociações de commodities se complicam (08:27)
China frustra expectativas de frigoríficos (08:20)
Exportações brasileiras de carnes cresceram 41% em abril (08:16)
Mercado do boi: pressão de baixa perdendo força (08:12)
Soja e milho têm novo dia de altas em Chicago (08:00)
Paraná é referência nacional na implantação de Cadecs (07:09)