Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018
Matérias-Primas

Milho em Chicago fecha a 6ª em alta, mas negativo na semana
Campinas, SP, 11 de Junho de 2018 - Ao fechamento da sexta-feira (8) na Bolsa de Chicago (CBOT), o milho esfriou um pouco do esforço de alta maior que foi visto horas antes, depois de abrir o dia em leve queda. As margens perdidas deixaram a commodity próxima da estabilidade, mas ainda pesando as incertezas do comércio dos Estados Unidos nas disputas comerciais.

As variações positivas ficaram no intervalo de 1,5 a 1,25 ponto, com o julho a US$ 3,77, o setembro a US$ 3,86 e o dezembro a US$ 3,98.

Como reforçou Ted Seifried, analista da Zaner Ag Hedge, à Reuters, “temos boas condições e uma previsão relativamente não ameaçadora, por isso retiramos muito do prêmio climático. Isso foi agravado pela incerteza sobre o comércio”.

As chuvas previstas ajudaram a retirada da precificação climática, apesar do risco de precipitações fortes em áreas do Cinturão do Milho, além do que os índices de condição da safra, do USDA, estão entre positivos para o milho.

E o USDA traz novo relatório na terça (12), com um panorama mundial, o que deixa o mercado de sobreaviso.

A alta desta última sessão da semana não tirou do negativo o acumulado na CBOT desde o dia 1º de junho, em todos os vencimentos – mas todos relativamente dentro da margem de estabilidade.

BM&F Bovespa

Na BM&F Bovespa, as cotações futuras do milho encerraram o pregão desta sexta-feira (8) em campo negativo. As principais posições da commodity recuaram entre 0,59% e 1,76%. O vencimento julho/18 era cotado a R$ 42,00 a saca e o setembro/18 fechou o dia a R$ 39,87 a saca.

As cotações acompanharam a queda registrada no dólar, que mesmo após a atuação do Banco central, caiu 5% nesta sexta-feira e fechou o pregão a R$ 3,7065 na venda. A queda é a maior desde 13 de outubro de 2008, quando o câmbio recuou 7,74%.

"A atuação mais firme do Banco Central no mercado de câmbio e o lembrete do presidente da autoridade, Ilan Goldfajn, de que há outros instrumentos que pode usar para ampliar a liquidez surtiu efeito e o dólar despencou mais de 5,5 por cento nesta sexta-feira, voltando ao patamar de 3,70 reais, maior tombo em quase dez anos", informou a Reuters.
(Notícias Agrícolas) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 15/08
Terça-Feira, 14/08
Crédito rural: necessário manter e inovar (09:38)
Frango deve ficar mais caro para consumidores de MT nesta semana (09:26)
MILHO/CEPEA: estimativas de menor oferta mantêm vendedor recuado e preço segue em alta (07:57)
SOJA/CEPEA: dólar, exportação à China e menor estoque impulsionam cotações no Brasil (07:56)
Decisão sobre o glifosato alerta sojicultor no Brasil (07:51)
Milho: com clima favorável nos EUA, mercado recua nesta 2ª na CBOT e consolida 3ª desvalorização consecutiva (07:48)
Soja trabalha com estabilidade nesta 3ª feira na Bolsa de Chicago ainda se ajustando (07:47)
Segunda-Feira, 13/08
Luciano Roppa assume Presidência do Conselho da Yes (14:48)
Horácio Rostagno enfoca tabelas brasileiras no LPN Congress 2018 (09:10)
Horácio Rostagno enfoca tabelas brasileiras no LPN Congress 2018 (09:05)
Dívida cresce, mas acordo com bancos anima BRF (08:26)
Soja avança no campo paulista (08:23)
Milho: em Chicago, mercado ainda reflete números do USDA e inicia semana com desvalorização de mais 1% (08:14)
Soja dá continuidade às baixas em Chicago nesta 2ª ainda refletindo USDA e clima nos EUA (08:13)
Sexta-Feira, 10/08
Aplicativo Cobb Connection traz informações sobre produtos, manejo e melhor resultado em campo (14:29)
Quinto encontro do Qualificaves será durante a 7ª STA (14:11)
BRF tem prejuízo de R$ 1,57 bilhão no segundo trimestre (11:48)
FACTA comemora 29 anos e já planeja próxima Conferência (11:20)
FRANGO/CEPEA: preços recuam e competitividade da carne de frango aumenta (10:27)
OVOS/CEPEA: após cinco meses em queda, exportações reagem em julho (10:26)
Setor avícola terá oportunidade para discutir impacto das salmonelas em Campinas (SP) (09:30)
SUÍNOS/CEPEA: maior demanda aumenta liquidez e preços sobem (08:08)
BOI/CEPEA: menor oferta sustenta valor da arroba do boi gordo (08:07)
Frete pode tirar US$ 1,75 bi das exportações de milho (08:05)
Agro registra recorde de US$ 59,2 bi em vendas externas desde janeiro (08:04)
Apesar da quebra de safra, estoque de milho será de 10 milhões de toneladas (08:03)
Milho: com alta do dólar, preço sobe 2,47% e bate R$ 41,50/sc nesta 5ª feira no Porto de Paranaguá (08:01)
Soja fecha em queda nesta 5ª à espera de números maiores do USDA para safra dos EUA (08:00)
Quinta-Feira, 09/08
Produtores de alimentos e consumidores perdem com tabela de frete, afirma a ABPA (14:35)
Agroindústrias terão plano de contingência para emergência (14:26)
CNA reitera no STF pedido de suspensão do tabelamento do frete (13:43)
Temer sanciona lei que institui tabela de fretes no país (11:44)
Ovos chegam a 857,6 milhões, recorde para um 2º trimestre (09:46)
IBGE: no 2º trimestre abate de frangos cai em todas as comparações (09:45)
Rússia expõe fragilidade da suinocultura (08:07)
EUA exportam 220% mais soja para Europa em junho (07:48)
Produtores contratam quase R$ 12 bi no primeiro mês do plano agrícola (07:45)
Milho: mercado foca clima no Meio-Oeste e encerra pregão desta 4ª feira com ligeiras valorizações em Chicago (07:43)
Soja tem leve realização de lucros nesta 5ª feira em Chicago após duas altas consecutivas (07:42)
Importação chinesa de soja tem forte retração (07:40)