Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018
Matérias-Primas

Seca afeta produção mundial, diz USDA
São Paulo, SP, 13 de Junho de 2018 - Em relatório de oferta e demanda de grãos divulgado ontem, o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) reduziu sua previsão para a produção mundial de trigo na safra 2018/19, que terá início em setembro. Segundo o órgão, serão colhidas 744,7 milhões de toneladas do cereal, 3,1 milhões a menos que estimado em maio e volume 1,8% inferior ao de 2017/18.

O ajuste foi determinado por problemas na Rússia, onde o tempo seco tem prejudicado as lavouras. Após uma safra recorde de quase 85 milhões de toneladas em 2017/18, o país deverá colher 68,5 milhões de toneladas na atual temporada - em maio, o USDA previa 72 milhões. Com isso, o órgão reduziu a projeção para as exportações russas para 35 milhões de toneladas em 2018/19, ante 40,5 milhões no ciclo 2017/18.

Com a menor oferta da Rússia, o USDA elevou sua projeção para as exportações americanas para 25,9 milhões de toneladas em 2018/19, ante 24,5 milhões em 2017/18. Em maio, o órgão previa exportações de 25,17 milhões de toneladas para os EUA. Já os estoques finais americanos, que têm grande influência na formação das cotações do cereal da bolsa, deverão somar 25,7 milhões de toneladas ao fim da temporada 2018/19, ante 29,4 milhões no ciclo anterior.

Segundo Arlan Suderman, economista-chefe de commodities da FCStone, o mercado encara esses cortes como "o início de uma tendência", que inclui problemas provocados pela falta de chuvas na região do Mar Negro, Europa e Austrália. Os dados oficiais para a safra europeia indicam produção de 149,1 milhões de toneladas, ante 151 milhões em 2017/18. "Dada a seca em várias partes da Europa, essa provavelmente ainda não é a palavra final", comentou o Commerzbank, em nota na semana passada.

Ontem, o USDA projetou uma safra de 149,4 milhões de toneladas para a União Europeia, com estoques finais estimados em 10,47 milhões de toneladas, ante 13,07 milhões no fim da safra anterior.

Com um consumo mundial avaliado em 750,9 milhões de toneladas pelo USDA, a safra 2018/19 deverá apresentar déficit de mais de 6 milhões de toneladas. O departamento de agricultura estimou estoques mundiais de 266,16 milhões de toneladas no fim da safra 2018/19, ante 272,37 milhões no ciclo anterior. Apesar da queda de 2,27%, o volume ainda é considerado confortável pelos analistas.

(Valor) (Cleyton Vilarino )
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 19/10
Quinta-Feira, 18/10
Vetanco participa do ACAV 2018 (14:46)
Chile reabre mercado para avicultura do RS (13:32)
SUÍNOS/CEPEA: exportação elevada sustenta preços no Brasil (10:15)
BOI/CEPEA: produtividade de carne por animal é maior em SP (09:44)
Adaptação veterinária (08:55)
Guerra comercial já eleva os preços na China (08:45)
BRF negocia acordo de leniência com MPF e CGU (08:14)
Agro olhou para eleição presidencial e esqueceu representantes do setor (08:11)
Soja: mercado no Brasil tem novo dia de pressão nesta 4ª e continua sentindo peso do câmbio (08:00)
Força-tarefa encontra três novos focos de peste suína no Ceará (07:28)
O frigorífico que produz carne de frango sem matar nenhuma ave (06:51)
Quarta-Feira, 17/10
Em Goiás, IOB prepara série de ações em parceria com a Associação Goiana de Avicultura (13:52)
Em MG, NECTA realiza 1º Dia do Ovo, com apoio do IOB (08:20)
Movimentação do Porto de Itajaí aumenta 81% em setembro (06:33)
Road Show Aves e Suínos da Boehringer fortalece a cadeia de proteína animal com conhecimento técnico (06:32)
Para ampliar exportação, setor de aves e de suínos vai à feira em Paris (06:31)
Importações chinesas de carne suína devem crescer 8% neste ano (06:10)
Soja: com previsão de melhora do clima nos EUA, mercado em Chicago ainda opera estável nesta 4ª (06:00)
Terça-Feira, 16/10
Da ABPA aos candidatos (09:18)
PF indicia Abilio Diniz e Pedro Faria no âmbito da Operação Trapaça (07:49)
Após relatório da PF, BRF defende tolerância zero e afasta 14 pessoas (07:48)
Milho fecha em alta na Bolsa de Chicago nesta 2a feira com clima adverso para colheita nos EUA (07:44)
Com demanda forte e clima adverso no Corn Belt, soja fecha com mais de 2%de alta em Chicago (07:40)
Plantio de soja evolui em ritmo acelerado em quase todo o país (07:39)
Brasil ganha mercado de soja na China, mas perde espaço para EUA na Europa (07:31)
MILHO/CEPEA: indicador recua quase 6% no acumulado do mês (07:30)
SOJA/CEPEA: dólar cai e pressiona valores internos da soja (07:29)
Segunda-Feira, 15/10
CBNA debate nutrição animal e produção sustentável de alimentos a partir de amanhã, no VIII CLANA, em Campinas, SP (13:29)
Programa Ovos RS: Atividades e Eventos (10:57)
Vetanco realiza Oficina de Trabalho em Carpina-PE (10:35)
Conheça a campanha Ovo Capixaba (10:32)
Da ABPA aos candidatos (09:19)
Agronegócio teme radicalismo e falta de experiência em equipe de Bolsonaro (08:15)
FRANGO/CEPEA: preços registram alta no atacado paulista (08:11)
SUÍNO/CEPEA: menor oferta para abate mantém preços estáveis na maior parte das regiões (08:07)
BOI/CEPEA: indicador oscila com força, mas acumula queda na parcial deste mês (08:05)
Projeções confirmam o peso do Brasil nas exportações de grãos (08:05)
Milho: mercado em Chicago ainda sente efeitos positivos do USDA e fecha em alta nesta 6ª feira (08:02)
Soja começa semana com estabilidade em Chicago nesta 2ª feira e foca colheita nos EUA (08:00)