Segunda-feira, 23 de Julho de 2018
Mercado

Oferta e preços dos alimentos in natura voltam ao 'normal'
São Paulo, SP, 14 de Junho de 2018 - Primeiro segmento a acusar os reflexos negativos da greve dos caminhoneiros, os alimentos in natura também são os produtos cujo processo de normalização da oferta está mais acelerado. Com parte da colheita represada após os bloqueios das estradas, tomate, batata e cenoura, entre outros, apresentaram forte queda de preços já no primeiro dia após o fim das manifestações. E a tendência perdura, o que deixa os picos recentes cada vez mais distantes.

"Como o ciclo das hortaliças é muito rápido, o prejuízo é pontual, de uma colheita, e a oferta se normaliza rapidamente", afirma Luciano Vilela, diretor-executivo do Instituto Brasileiro de Horticultura (Ibrahort). No entreposto da estatal Ceagesp na capital paulista, o maior do país, o preço da caixa de 7 quilos da alface crespa tipo especial, por exemplo, chegou a subir 54% entre os dias 23 e 30, para R$ 18,01, mas na semana seguinte houve baixa de 47%, para R$ 9,37 - menos que os R$ 13,09 do dia 18, a sexta-feira que antecedeu o início da greve.

"Todos os segmentos apresentaram normalização de preços, mas as verduras caíram mais porque foram as que mais apresentaram excedente de produção, uma vez os produtos ficaram acumulados nas roças", diz Flavio Godas, economista da Ceagesp. Com a greve, muitos produtores adiaram a colheita, o que elevou a oferta disponível nos primeiros dias de desbloqueio das estradas. O mesmo se deu com alimentos como batata, cebola e cenoura.

De acordo com dados da Neogrid, empresa que monitora os estoques de 25 mil pontos de venda em todo o país, a ruptura na oferta de frutas, verduras e legumes chegou a 20,3% no dia 30 - o que significa dizer que 20,3% dos estabelecimentos apresentavam falta de algum produto dessas categorias. No dia 10, esse percentual já havia caído para 8,8%. "Quando a greve deu sinais de encerramento, já na véspera do feriado [Corpus Christi] e no feriado, o varejo em geral começou a receber muitos caminhões", afirma Robson Munhoz, vice-presidente da Neogrid.

O volume de entregas, segundo o executivo, foi "surpreendentemente" grande, embora, em muitos casos, a qualidade estivesse comprometida por causa da demora no frete. "Os produtos estavam próprios para o consumo, mas não tinham a mesma qualidade que observamos quando o processo de entrega está normal", afirma Munhoz. Com isso, na Ceagesp as entregas de hortifrútis em geral superaram as 20 mil toneladas diárias no pós-greve, ante uma média de 11 mil toneladas em dias normais. Durante o auge da paralisação, apenas 10% desse volume estava sendo entregue no entreposto paulistano.

A velocidade da recuperação da oferta doméstica de frutas, verduras e legumes contrasta com a de outros alimentos, sobretudo os processados. No caso do frango in natura, por exemplo, o índice de ruptura observado pela Neogrid em 10 de junho ainda era de 14,1% ante um percentual de 18,9% no dia 30 e uma média mensal de 9,5% até 21 de maio.

"Na produção industrial nós percebemos que determinados produtos tiverem problemas de matéria-prima e a linha de produção parou. No caso de frutas, verduras e legumes, isso não ocorreu e o campo continuou produzindo", afirma Munhoz. Segundo informações do Cepea, o preço médio do frango congelado no atacado na Grande São Paulo acumula alta de 44,5% em junho, cotado a R$ 4,84 o quilo.

(Valor) (Cleyton Vilarino )
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 23/07
Sexta-Feira, 20/07
Cobb-Vantress promoverá amanhã a quarta edição da Queima do Frango (13:46)
Turra debate proteína animal e expansão agrícola durante o GAF 18 (10:54)
Biosseguridade na Avicultura entra na Programação do Canal Rural (10:52)
Granja Pinheiros bate recorde de produção em matrizes com o Ross 308 AP (AP95) no Brasil (09:49)
Embrapa lança cartilha de boas práticas de produção de postura comercial (08:50)
Inscrições abertas para o 2º Concurso de Qualidade de Ovos Capixaba (08:29)
Plano de Parente para BRF anima investidor (08:21)
Suíno segue se desvalorizando e Boi busca recuperação: acompanhe as análises de mercado do CEPEA (08:15)
CNA levanta custos de produção de grãos no PR (08:12)
Milho: mercado sobe pelo 3º dia consecutivo em Chicago (08:09)
Soja tem mais um pregão estável na Bolsa de Chicago nesta 6ª feira com traders cautelosos (08:00)
Quinta-Feira, 19/07
Instituto Ovos Brasil participa da Festa do Ovo de Bastos (09:33)
Biovet Vaxxinova anuncia nova Diretora de P&D e Assuntos Regulatórios (09:15)
FAO mostra um Brasil de importador a exportador de alimentos em duas décadas (09:00)
ABPA pede retirada de barreiras na exportação de carne de ave e de frango (08:30)
Cobb-Vantress é eleita a melhor empresa para trabalhar na região de São José do Rio Preto (08:14)
Milho: mercado inicia pregão desta 5ª feira próximo da estabilidade na CBOT (08:02)
Soja testa ligeiras baixas em Chicago nesta 5ª feira com mercado ainda bastante técnico (08:00)
Quarta-Feira, 18/07
Vetanco se faz presente em mais uma Festa do Ovo de Bastos (14:18)
Novo sistema da Secex gera dúvidas sobre dados de exportação de carne (08:30)
Alta do dólar impulsiona margem dos frigoríficos de carne bovina (08:20)
Valor Bruto da Produção Agropecuária está estimado em R$ 562,4 bilhões (08:10)
Milho: mercado testa tímidos ganhos na manhã desta 4ª feira em Chicago (08:06)
Soja tem estabilidade em Chicago nesta 4ª feira e busca manter movimento de recuperação (08:00)
Terça-Feira, 17/07
Frango fica menor e mais caro um mês e meio depois do fim da greve dos caminhoneiros (09:33)
Exportação de material genético avícola cresce 33% no semestre (09:31)
Inscrições pela internet para o Encontro Técnico Avícola terminam nesta terça-feira (09:00)
Aviagen investe estrategicamente em seu programa de melhoramento genético no Reino Unido (08:50)
Itaú BBA, Bradesco BBI e Morgan Stanley irão assessorar BRF em vendas (08:33)
5ª FAVESU já tem data e local confirmados (08:19)
Curso sobre incubação de ovos começa nesta quarta-feira 18/07, em Cascavel (PR) (08:14)
Com guerra comercial, cotação da carne suína desce a ladeira nos EUA (08:11)
Exportações de carne suína totalizam 278,3 mil toneladas no 1° semestre (08:10)
Milho: mercado tem dia correção técnica e fecha pregão desta 2ª com ligeiras valorizações em Chicago (08:06)
Soja sobe pelo 2º dia consecutivo em Chicago nesta 3ª feira com suporte nas condições das lavouras dos EUA (08:00)
USDA reduz índice de lavouras de soja e milho em boas ou excelentes condições (07:48)