Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2019
Fiscalização

Pressão derruba diretor de inspeção do Ministério da Agricultura
Brasília, DF, 15 de Junho de 2018 - Sob pressão dos frigoríficos, a cúpula do Ministério da Agricultura decidiu demitir o fiscal José Luís Vargas do cargo de diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), área responsável pela fiscalização federal de carnes, laticínios, fábricas de mel, ovos e pescados.

A exoneração de Vargas, que ficou pouco mais de três anos na função, foi publicada na edição de hoje do “Diário Oficial da União”. Como é fiscal de carreira, Vargas continuará atuando na Secretaria de Defesa Agropecuária do ministério. Ele foi comunicado da dispensa no fim de semana, e na última segunda-feira avisou sua equipe que estava de saída. Para o seu lugar, já foi escolhido o também fiscal agropecuário Alexandre Pontes, que estava ocupando o posto de secretário-adjunto de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura.

Vargas vinha sendo alvo de uma grande pressão das empresas do segmento de carnes nos últimos meses, que não raro se queixavam ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi sobre sua postura “inflexível” e pouco eficiente no enfrentamento de diversas crises desde a Operação Carne Fraca, em março de 2017. Dirigentes sindicais e empresários também reclamaram que as respostas do Dipoa às irregularidades que vieram à tona com a operação estavam sendo adotadas numa velocidade abaixo do esperado.

A ação da Polícia Federal revelou um esquema de corrupção envolvendo fiscais agropecuários e funcionários de frigoríficos, e abalou a confiança de importadores de carnes do Brasil. Como efeito, veio o fechamento de mercados como o da Rússia, que até hoje está sem comprar carne suína do Brasil, e o da União Europeia, que em abril embargou 20 plantas de carne de frango.

Procurado, Vargas confirmou sua saída da função, mas não quis comentar as motivações do ministério para exonerá-lo.

Fiscais que estiveram com Vargas nos últimos dias disseram ao Valor que acreditam que o agora ex-diretor foi vítima de desgastes com o setor privado por ter adotado medidas que endureceram a fiscalização de estabelecimentos processadores de carne e que acabaram desagradando aos empresários. Vargas foi o responsável, por exemplo, por verticalizar o processo de inspeção animal, que tirou poder de superintendências regionais da Pasta.

Além disso, a decisão de Vargas de suspender em abril as exportações de frigoríficos brasileiros de frango à UE — após a Operação Trapaça —, antes mesmo de o próprio bloco fazê-lo, também o enfraqueceu.

“Vargas apertou muito o processo de sanidade para as indústrias para dar uma visão de austeridade, e o setor privado atribuiu isso tudo só a ele pessoalmente. Mas tudo que ele fez foi com respaldo do ministro”, disse uma fonte do Ministério da Agricultura.

O secretário de Defesa Agropecuária da Pasta, Luís Eduardo Rangel, descartou possíveis “insatisfações” da indústria e  disse que Vargas promoveu uma “revolução no Dipoa”.

Rangel citou a edição de um novo Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de produtos de Origem (Riispoa) e a maior agilidade nos processos de fiscalização. Mas disse que a troca do diretor foi “estratégica” e teve relação com um novo perfil de atuação na área de inspeção animal pretendido pelo ministério.

“Ele era a pessoa certa para fazer as mudanças no sistema de inspeção, mas precisamos agora de uma abordagem muito mais agressiva do ponto comercial e de mais relações internacionais. Foi uma motivação estratégica”, afirmou Rangel.

Procurada, a ABPA, que representa frigoríficos de carnes de frango e suína, informou, por meio de nota, que "reconhece o trabalho realizado por José Luís Eduardo Vargas. A entidade, no entanto, não se manisfetará sobre questões de caráter estritamente administrativo que competem ao governo".

(Valor) (Cristiano Zaia)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 20/02
Mesmo obrigatória, barreira sanitária é condenada pelo TST (09:12)
Em Dubai, quem quer carne ignora política (08:47)
Abertas inscrições para seleção de participantes da Feira de Investimentos em Dubai (07:38)
Ministério e polícias vão tornar fiscalização do transporte de cargas vivas mais rigorosa (07:34)
SP: preços agropecuários caem 0,88% em janeiro, aponta IEA (07:10)
Suíno Vivo: altas em SP e em SC nesta terça (19) (07:08)
Soja: disputa entre demandas interna e para exportação deve se acirrar e preços no Brasil (07:02)
Milho: mercado brasileiro sem movimentações (07:00)
Terça-Feira, 19/02
No Congresso de Ovos, Biocamp lança nova logomarca e comemora 20 anos de pioneirismo (11:54)
ABPA e DIPOA promovem encontro sobre inspeção (11:04)
Ministério promove, em Brasília, seminário sobre autocontrole na produção agropecuária (09:42)
JBS importa milho pela primeira vez em 2019, diz fonte (09:38)
Dívidas de financiamento para produtores e cooperativas no BNDES são prorrogadas (09:36)
Ação&Manejo: Controle e análise dos dados em granjas produtoras de ovos (09:07)
Frigoríficos buscam atalhos para vender ao Irã (08:20)
Indústria de ração do Brasil sente impacto de menor crescimento do setor de aves (08:15)
Mercado do boi gordo permanece travado (08:10)
Milho: mercado interno encerra segunda-feira com poucas movimentações (08:05)
Preços da soja no Brasil ainda dependem das relações comerciais China x EUA para definir direção (08:00)
ICC Brazil participa da VIV Asia 2019 (07:30)
Segunda-Feira, 18/02
Cobb-Vantress lança novos guias de manejo (13:50)
Blitz de Verão: ASGAV e COBB realizam atividade de promoção do consumo de carne de frango (10:34)
Milho: demanda firme e recuo vendedor sustentam altas (10:17)
Vetanco promove ciclo de palestras no Polo Avícola da Bahia (09:22)
Serviço de inspeção de Caxias do Sul tem equivalência ao Sisbi-Poa reconhecida (07:26)
Ministra defende que Congresso discuta retorno de desconto na conta de energia dos produtores (07:24)
Prazo da Frango Ad’Oro termina no próximo dia 22 (07:21)
Boi Gordo: frigoríficos testam preços abaixo das referências, mas volume de negócios é pequeno (07:06)
Soja: prêmios no Brasil sobem mais de 30% em 1 mês e ajudam cotações no mercado interno (07:00)
Sexta-Feira, 15/02
Frango: Cepea aponta que poder de compra vem registrando mais um mês de queda (09:32)
Ovos: preços de fevereiro são os maiores desde junho/2018, destaca Cepea (09:30)
China anuncia tarifas de até 32,4% ao frango brasileiro por 5 anos (08:21)
Para cobrir rombo, Estados elevam tributação sobre agronegócio (08:11)
Suíno Vivo: altas em SP, PR, MG e GO (08:08)
Boi Gordo: mercado em ritmo lento (08:06)
Boi Gordo: volume de animais abatidos no BR se eleva em 2018 (08:05)
Milho: mercado estável (08:04)
Soja: preços registram alta (08:00)
MSD Saúde Animal patrocina Congresso de Ovos e debate complexo respiratório em espaço empresarial (07:43)
Quinta-Feira, 14/02
Mercado será foco dos debates na abertura do Simpósio Brasil Sul de Avicultura (13:52)
2ª Conbrasul Ovos abre período de inscrições online (13:38)
Indústria de alimentos prevê avanço de até 4% (09:34)
Etanol de milho avança (09:32)
Nova regra incentiva emissão de letras de crédito do agronegócio (08:50)
Pilgrim’s Pride registra prejuízo de US$ 8,2 milhões no 4º trimestre (08:40)
Recall da BRF expõe falha e transparência (08:38)
IOB segue sua campanha em São Paulo (08:26)
Vetanco homenageia Cooperitaipu (08:22)
Suíno Vivo: estabilidade nas cotações (08:16)
Boi: em SP, preço da arroba está estável (08:12)
Milho: estabilidade domina o dia (08:05)
Preços da soja sobem no Brasil nesta 4ª feira (08:00)