Segunda-feira, 18 de Março de 2019
Exportação

Na OMC, Brasil cobra da China fim de barreiras a açúcar e frango
Genebra, 12 de Julho de 2018 - Durante o exame da política comercial da China, ontem, na Organização Mundial do Comércio (OMC), o Brasil cobrou de Pequim que normalize o mais rápido possível a entrada de açúcar e frango brasileiros no mercado chinês. O embaixador brasileiro Evandro Didonet destacou em sua intervenção a mensagem chinesa de compromisso com aprofundamento de reformas e de abertura do mercado.

A China é o maior parceiro comercial do Brasil. Desde 2009 é o principal destino das exportações brasileiras. Em 2017, as vendas atingiram US$ 47,4 bilhões ou 22% das exportações totais brasileiras.

Ao mesmo tempo, a China continua a aumentar sua participação nas importações feitas pelo Brasil. Tornou-se a principal origem das importações, ou a segunda, se a União Europeia for considerada como grupo, num total de US$ 27,3 bilhões.

O embaixador destacou que as relações econômicas bilaterais se expandiram além do comércio. Segundo dados do Banco Central brasileiro, o fluxo líquido de investimentos diretos chineses no Brasil atingiu US$ 10,9 bilhões em 2017.

No meio desse cenário positivo, Didonet citou pontos que precisam ser melhorados. Reiterou a importância que o Brasil dá para diversificar o fluxo bilateral de comércio. Cerca de 80% das vendas brasileiras à China continuam limitadas a commodities, principalmente soja, minério de ferro e petróleo.

Relatório da OMC que serve para o exame chinês mostra que o Brasil é agora o sétimo maior fornecedor de petróleo para a China. Suas vendas tiveram o maior aumento, de 20,6%, entre os fornecedores, no ano passado. No setor industrial, o Brasil vende à China basicamente jatos regionais, mas isso representa menos de 1% do total exportado.

Além da falta de diversificação, o Brasil lamentou a aplicação de taxas antidumping sobre a carne de frango e medidas de salvaguarda contra o açúcar.

Para o Brasil, a investigação chinesa não conseguiu produzir evidências de dumping, dano ou vínculo causal no caso do frango. As exportações brasileiras representam apenas 5% do que a China importa. Didonet lembrou que o produto brasileiro nunca foi submetido à salvaguarda definitiva por nenhum outro membro da OMC. Ele disse confiar que as autoridades chinesas vão concluir a investigação sem aplicação de sobretaxa.

Com relação ao açúcar, o Brasil segue buscando esclarecimentos e maior acesso a estatísticas para avaliar como retomar as exportações. A sobretaxa imposta pelos chineses derrubou as vendas brasileiras em 87% em 2017, segundo a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), que defende abertura de disputa na OMC contra Pequim.

Depois de destacar a contribuição da China como crucial para preservar as regras multilaterais de comércio, o Brasil pediu para Pequim adotar procedimentos simplificados em questões sanitárias e fitossanitárias (SPS) para carnes bovina, suína e de frango, assim como o credenciamento de estabelecimentos para exportar àquele mercado.

Brasília também demandou mais previsibilidade na administração de licença ou autorizações relacionadas à compra de jatos. No ano passado, durante visita do presidente Michel Temer a Pequim, a China adiou as autorizações para a compra de 20 aviões da Embraer e a entrega de outras 18 aeronaves pela companhia brasileira no mercado chinês.

(Valor) (Assis Moreira)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 18/03
Carnes necessitam de um marketing proativo, segundo analistas do setor (14:26)
Exportação de carne é principal tema na agenda de Tereza Cristina nos EUA (14:21)
Vetanco estará presente ao SBSA 2019 (14:14)
Estoque de soja elevado nos EUA reduz patamar de negócios no Brasil (10:00)
Milho: possível maior oferta pressiona valores internos (09:47)
Com Brexit, carne e açúcar do Brasil perdem fatia na União Europeia (08:24)
Declaração de chanceler sobre China gera mal-estar com o agronegócio (08:21)
Soja recua em Chicago nesta 2ª feira (08:00)
Acordo EUA-China e o agro brasileiro (07:05)
Peste na China causa disrupção no mercado de carnes e leva à disparada de BRF e JBS na bolsa (07:04)
A força do frango (07:03)
Sexta-Feira, 15/03
Governo libera R$ 73 milhões para serem aplicados no seguro rural neste e no próximo mês (14:33)
Cobb-Vantress patrocina Simpósio de Avicultura em Bogotá (13:17)
Wisium lançará linha com conceito Egg Quality Concept durante Congresso de Ovos (12:53)
Frango: exportação aumenta e china se torna principal destino da proteína (10:23)
Ovos: apesar do início da Quaresma, cotações seguem estáveis (10:22)
Agricultura brasileira é produtiva e sustentável, defende ministro (10:15)
CASP, da área de equipamentos, tem recuperação judicial deferida (10:14)
RJ cancela benefício fiscal e BRF terá de devolver R$ 300 milhões (08:15)
Rio Grande do Sul volta ao segundo lugar na soja (08:12)
FACTA prorroga inscrições para Prêmio Lamas 2019 até 22 de março (08:00)
Termo de cooperação técnica e financeira prevê R$ 1,4 milhão para a Agrodefesa goiana (07:39)
Mercado global de frango deve melhorar gradualmente em 2019 (07:38)
MPE vai investigar abate clandestinos de frango em Sergipe CIDADE (07:37)
Árabes encontram novos possíveis fornecedores no Brasil (07:36)
IMA apreende 1,5 tonelada de carne de frango na zona rural de Santa Rita do Sapucaí, MG (07:35)
Mercado do boi gordo segue firme (07:10)
Preços futuros do milho se mantêm fortes (07:05)
Soja: mercado está apático (07:00)
Quinta-Feira, 14/03
IBGE: Abate de frangos cai 2,5% em 2018, segunda queda consecutiva (10:52)
Produção de ovos aumenta 8,6% e chega a 3,6 bilhões de dúzias, aponta IBGE (10:51)
Menor preço do boi gordo deve favorecer confinador em 2019 (10:06)
Wisium lança projeto especial de logística (09:56)
Suínos: quantidade de carne exportada em fev/19 é recorde para o mês (09:53)
BRF reestrutura food service e prevê crescer ‘dois dígitos’ (08:00)
Agricultores mexicanos pedem tarifas equivalentes sobre produtos norte-americanos (07:34)
Reino Unido suprimirá tarifas de 87% das importações em caso de Brexit sem acordo (07:33)
Suíno Vivo: cotações estáveis nesta quarta (13) (07:15)
Exportação diária de carne bovina in natura sobe 70% (07:10)
Milho: quarta-feira registra poucas movimentações (07:07)
Soja em Chicago tem leve recuo na 5ª feira (07:00)
Conab deve fazer leilões de milho no Mato Grosso (06:33)
Quarta-Feira, 13/03
Exportações de carne suína crescem 5,65% em 2019 (10:46)
Probióticos: principais critérios de seleção e seu papel na saúde intestinal (09:00)
Nutriad e Adisseo divulgam dados de pesquisa sobre micotoxinas em milho no Brasil (08:50)
Evonik participa do Simpósio Brasil Sul de Avicultura (08:41)
Conab e IBGE baixam projeções para grãos (08:39)
Suíno Vivo: altas em SC e em SP (08:20)
Cotações do boi gordo ganham firmeza (08:15)
Milho ganha força em Chicago nesta terça-feira (08:05)
Soja fecha em alta nesta 3ª em Chicago (08:00)
Terça-Feira, 12/03
2019: o ano em que a avicultura vai brilhar na América do Sul (08:49)
Produção de aves livres de antibióticos e segurança alimentar (08:48)
Grupo Mantiqueira comemora conquista do selo ‘eureciclo’ (08:40)
Ovo e a alimentação da gestante e lactante (08:38)
SBSA: Vetanco participa da Poultry Fair com 100% do time de avicultura (08:21)
Exportações de carne de frango chegam a 316,9 mil toneladas em fevereiro (08:20)
Peste na China eleva e valoriza exportação de carne suína do Brasil (08:19)
Crise sanitária da suinocultura chinesa pode abrir portas para o Brasil, afirma Mendonça de Barros (08:17)
Demanda por crédito rural segue aquecida (08:15)
Milho encerra segunda-feira desvalorizado em Chicago (08:06)
Soja: fundos seguem vendendo posições e Chicago fecha em queda nesta 2ª feira (08:00)