Segunda-feira, 18 de Março de 2019
Agronegócios

Alta do dólar impulsiona margem dos frigoríficos de carne bovina
São Paulo, SP, 18 de Julho de 2018 - Depois de sofrerem com a concorrência acirrada na compra de bois para abate no primeiro trimestre, os frigoríficos de carne bovina do país foram ajudados no segundo trimestre pela valorização do dólar. Como resultado disso, a margem das indústrias — sobretudo as exportadoras — teve expressiva melhora.

As empresas de médio porte, que dependem mais do mercado doméstico e chegaram a trabalhar no vermelho em alguns momentos do ano, também contaram com um inesperado e positivo efeito da paralisação dos caminhoneiros. A greve afetou o escoamento e a produção de carne bovina no fim de maio, levando a desabastecimento pontual do atacado, o que elevou os preços no mercado interno, com reflexo positivo na rentabilidade.

Além disso, o preço do boi gordo ficou menor em decorrência da greve, o que fez os frigoríficos ganharem nessas duas pontas. “Compraram [o gado] mais barato e venderam a carne muito mais cara”, disse o analista da consultoria MB Agro, César Castro Alves.

“Tivemos um fôlego de um mês pós-greve”, admitiu Paulo Bellincanta, que é sócio-fundador do frigorífico Frialto e associado da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec).

Conforme o levantamento da consultoria MB Agro, o ‘spread’ — indicador de margem bruta que mede a diferença entre a carne vendida no atacado e o preço do boi gordo — atingiu em junho o melhor nível em praticamente um ano. No último mês, essa diferença ficou em 1,03%. A média da série histórica, que começou em 2010, é de 0,96% Em geral, esse indicador é baixo (muitas vezes negativo) porque não contempla a venda subprodutos como couro.

Na exportação, que contou com a ajuda do dólar apreciado, a melhora é ainda mais substancial, segundo a MB Agro. No primeiro trimestre, a diferença de preço entre a carne bovina exportada e a cotação do boi gordo no país ficou em 4%, de acordo com Alves. Em abril, esse indicador alcançou 9% e em maio, 24%.

A melhora é um reflexo, principalmente, da alta do dólar, disse o analista da MB Agro. “Com carne e boi estável, o dólar ajudou muito”, afirmou. No segundo trimestre, o cotação do dólar (ptax) ficou, em média, em R$ 3,60, de acordo com o Valor Data. Trata-se de uma apreciação de 11% na comparação com a média do primeiro trimestre, de R$ 3,24. “O dólar é o que está tornando o equilíbrio da indústria de carne bovina possível”, afirmou ao Valor o executivo de um frigorífico, que não quis ser identificado.

Na avaliação de Bellincanta, o dólar favorável às exportações tem reflexos positivos no mercado interno, sobretudo para os frigoríficos de médio porte. “Os três grandes se voltaram para as exportações com mutia força, o que dá um respiro no mercado interno”, disse, em alusão a JBS, Marfrig e Minerva.

Para o segundo semestre, as expectativas também são positivas, conforme o presidente da Abiec, Antônio Camardelli. “A perspectiva para o segundo semestre é ótima”, afirmou, ressaltando a possibilidade da reabertura do mercado americano de carne bovina in natura e a abertura da Indonésia ainda neste ano.

(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 18/03
Carnes necessitam de um marketing proativo, segundo analistas do setor (14:26)
Exportação de carne é principal tema na agenda de Tereza Cristina nos EUA (14:21)
Vetanco estará presente ao SBSA 2019 (14:14)
Estoque de soja elevado nos EUA reduz patamar de negócios no Brasil (10:00)
Milho: possível maior oferta pressiona valores internos (09:47)
Com Brexit, carne e açúcar do Brasil perdem fatia na União Europeia (08:24)
Declaração de chanceler sobre China gera mal-estar com o agronegócio (08:21)
Soja recua em Chicago nesta 2ª feira (08:00)
Acordo EUA-China e o agro brasileiro (07:05)
Peste na China causa disrupção no mercado de carnes e leva à disparada de BRF e JBS na bolsa (07:04)
A força do frango (07:03)
Sexta-Feira, 15/03
Governo libera R$ 73 milhões para serem aplicados no seguro rural neste e no próximo mês (14:33)
Cobb-Vantress patrocina Simpósio de Avicultura em Bogotá (13:17)
Wisium lançará linha com conceito Egg Quality Concept durante Congresso de Ovos (12:53)
Frango: exportação aumenta e china se torna principal destino da proteína (10:23)
Ovos: apesar do início da Quaresma, cotações seguem estáveis (10:22)
Agricultura brasileira é produtiva e sustentável, defende ministro (10:15)
CASP, da área de equipamentos, tem recuperação judicial deferida (10:14)
RJ cancela benefício fiscal e BRF terá de devolver R$ 300 milhões (08:15)
Rio Grande do Sul volta ao segundo lugar na soja (08:12)
FACTA prorroga inscrições para Prêmio Lamas 2019 até 22 de março (08:00)
Termo de cooperação técnica e financeira prevê R$ 1,4 milhão para a Agrodefesa goiana (07:39)
Mercado global de frango deve melhorar gradualmente em 2019 (07:38)
MPE vai investigar abate clandestinos de frango em Sergipe CIDADE (07:37)
Árabes encontram novos possíveis fornecedores no Brasil (07:36)
IMA apreende 1,5 tonelada de carne de frango na zona rural de Santa Rita do Sapucaí, MG (07:35)
Mercado do boi gordo segue firme (07:10)
Preços futuros do milho se mantêm fortes (07:05)
Soja: mercado está apático (07:00)
Quinta-Feira, 14/03
IBGE: Abate de frangos cai 2,5% em 2018, segunda queda consecutiva (10:52)
Produção de ovos aumenta 8,6% e chega a 3,6 bilhões de dúzias, aponta IBGE (10:51)
Menor preço do boi gordo deve favorecer confinador em 2019 (10:06)
Wisium lança projeto especial de logística (09:56)
Suínos: quantidade de carne exportada em fev/19 é recorde para o mês (09:53)
BRF reestrutura food service e prevê crescer ‘dois dígitos’ (08:00)
Agricultores mexicanos pedem tarifas equivalentes sobre produtos norte-americanos (07:34)
Reino Unido suprimirá tarifas de 87% das importações em caso de Brexit sem acordo (07:33)
Suíno Vivo: cotações estáveis nesta quarta (13) (07:15)
Exportação diária de carne bovina in natura sobe 70% (07:10)
Milho: quarta-feira registra poucas movimentações (07:07)
Soja em Chicago tem leve recuo na 5ª feira (07:00)
Conab deve fazer leilões de milho no Mato Grosso (06:33)
Quarta-Feira, 13/03
Exportações de carne suína crescem 5,65% em 2019 (10:46)
Probióticos: principais critérios de seleção e seu papel na saúde intestinal (09:00)
Nutriad e Adisseo divulgam dados de pesquisa sobre micotoxinas em milho no Brasil (08:50)
Evonik participa do Simpósio Brasil Sul de Avicultura (08:41)
Conab e IBGE baixam projeções para grãos (08:39)
Suíno Vivo: altas em SC e em SP (08:20)
Cotações do boi gordo ganham firmeza (08:15)
Milho ganha força em Chicago nesta terça-feira (08:05)
Soja fecha em alta nesta 3ª em Chicago (08:00)
Terça-Feira, 12/03
2019: o ano em que a avicultura vai brilhar na América do Sul (08:49)
Produção de aves livres de antibióticos e segurança alimentar (08:48)
Grupo Mantiqueira comemora conquista do selo ‘eureciclo’ (08:40)
Ovo e a alimentação da gestante e lactante (08:38)
SBSA: Vetanco participa da Poultry Fair com 100% do time de avicultura (08:21)
Exportações de carne de frango chegam a 316,9 mil toneladas em fevereiro (08:20)
Peste na China eleva e valoriza exportação de carne suína do Brasil (08:19)
Crise sanitária da suinocultura chinesa pode abrir portas para o Brasil, afirma Mendonça de Barros (08:17)
Demanda por crédito rural segue aquecida (08:15)
Milho encerra segunda-feira desvalorizado em Chicago (08:06)
Soja: fundos seguem vendendo posições e Chicago fecha em queda nesta 2ª feira (08:00)