Domingo, 16 de Dezembro de 2018
Matérias-Primas

Milho: mercado sobe pelo 3º dia consecutivo em Chicago
Campinas, SP, 20 de Julho de 2018 - As principais posições do milho negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) subiram pelo terceiro dia consecutivo. Ao longo da sessão desta quinta-feira (19), os vencimentos ampliaram os ganhos e finalizaram o pregão com altas entre 3,50 e 4,00 pontos, uma valorização de mais de 1%.

O contrato setembro/18 era cotado a US$ 3,51 por bushel, enquanto o dezembro/18 operava a US$ 3,65 por bushel. O março/19 encerrou o dia a US$ 3,76 por bushel e o maio/19 trabalhava a US$ 3,82 por bushel.

De acordo com informações das agências internacionais, o mercado ainda encontra suporte nas preocupações com o clima no Meio-Oeste dos EUA. Com boa parte da safra já em fase de polinização, a preocupação é com as previsões climáticas, que indicam poucas chuvas nos próximos dias no cinturão de produção.

Entre os dias 25 a 29 de julho, as chuvas ficarão abaixo da média, conforme dados do NOAA - Serviço Oficial de Meteorologia do país. Já as temperaturas deverão ficar abaixo da normalidade no mesmo período.

Outro fator que também deu suporte aos preços nesta quinta-feira foi o boletim de vendas semanais. Segundo dados do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), na semana encerrada no dia 12 de julho, as vendas do cereal somaram 641 mil toneladas da safra velha.

O volume ficou acima das expectativas dos participantes do mercado, que estavam entre 300 mil a 600 mil toneladas. No acumulado da temporada, as vendas somam 58.736,4 milhões de toneladas, superando o ano passado, e frente à estimativa total do USDA de 60,96 milhões de toneladas. O Japão foi o principal destino do cereal.

As vendas da safra nova, por sua vez, somaram 774,5 mil toneladas, enquanto as projeções variavam de 200 mil a 500 mil toneladas somente. O México foi o maior comprador.

"A demanda pelo milho dos EUA é forte tanto no mercado interno quanto no global e queremos permanecer fortes por algum tempo", disse Arlan Suderman, principal economista de commodities da corretora INTL FCStone.

Mercado interno

A quinta-feira foi de ligeiras movimentações aos preços do milho no mercado doméstico. Segundo levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, em Sorriso (MT), a alta foi de 5,88%, com a saca a R$ 18,00. Já em Rio Verde (GO), a valorização foi de 3,85%, com a saca do cereal a R$ 27,00.

Na região de Ubiratã (PR), o ganho foi de 1,71%, com a saca a R$ 29,70. Ainda no Paraná, em Pato Branco, o preço subiu 1,62% e a saca fechou o dia a R$ 31,40. Por outro lado, no Porto de Paranaguá, a saca futura, para entrega em agosto/18 caiu 1,30% e a saca cotada a R$ 38,00.

"Os negócios continuam lentos e acompanhamos apenas entrega de contratos. Com o clima seco, o produtor dá preferência à colheita do grão e espera para ver que rumo tomar", afirma o consultor de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze.

Ainda na visão do especialista, os altos valores dos fretes ainda inviabilizam os negócios com o cereal. A expectativa é que seja reportada nesta sexta-feira (20) uma nova tabela de fretes pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).
(Notícias Agrícolas) (Fernanda Custódio)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 16/12
Sexta-Feira, 14/12
Encontro de Qualidade Industrial recebe patrocínio e palestra da Cobb-Vantress (16:04)
Sindirações projeta crescimento de até 3% para 2019 (14:37)
FRANGO/CEPEA: abate avança no terceiro trimestre (10:15)
OVOS/CEPEA: maior produção impacta negativamente o setor em 2018 (09:59)
Inscrições abertas para os Trabalhos Científicos na 5ª FAVESU (09:57)
Venda de frango a árabes cai, mas pode voltar a crescer (08:11)
Volume de aves e suínos será menor neste ano, aponta a ABPA (08:07)
Produção de ração no Brasil cresce 0,6% e tem novo recorde em 2018 (08:06)
2ª Conbrasul Ovos 2019: Gramado será a capital internacional da avicultura de postura de 16 a 19 de junho (08:04)
Programa técnico do Congresso de Ovos já tem principais temas definidos (08:03)
Quinta-Feira, 13/12
_produção de ovos de galinha é a maior da série histórica (11:04)
Abate de frangos em agosto foi o segundo maior do ano (11:03)
Já começa a faltar crédito rural a juros controlados (09:17)
IBGE confirma avanço em abates de bovinos e suínos, e queda no frango (09:08)
Plasson investe R$ 28 milhões em expansão da unidade fabril, em Criciúma (08:20)
ABRA protocola ofício com solicitação que impacta indústrias produtoras de farinhas de pena, peixe e sangue (08:14)
Indústria de ovos dos EUA: desafios e oportunidades (08:11)
Fundamentos teóricos e aplicação no processamento de ovos e derivados (08:08)
Quarta-Feira, 12/12
Pioneirismo e inovação marcam 10 anos da Yes (10:12)
Exportações de carne bovina deverão bater novos recordes no ano que vem (08:41)
Embrapa fecha acordo com Sindan para pré-análise de novos produtos veterinários (08:40)
Granja do Cedro é destaque de pecuária no prêmio “As melhores da Dinheiro Rural” (08:40)
Safra pode repetir recorde com 238,4 milhões de toneladas (07:57)
Encontro de Avicultores premia os melhores da Integração Aurora/Cocari (07:56)
Assembleia Legislativa de Goiás homenageia dirigentes da Pif Paf Alimentos (07:54)
BRDE assina contratos de R$ 100 milhões com cooperativas paranaenses durante encontro da Ocepar (07:53)
A crescente preocupação com ectoparasitas e os prejuízos econômicos causados por estes (07:50)
Milho: Bolsa de Chicago segue tendência do dia e fecha terça-feira com pouca movimentação (07:50)
Além do enriquecimento de ovos, selênio apresenta benefícios produtivos (07:48)
Aviagen Estreia “I Escola de Incubação” da América Latina (07:25)
Terça-Feira, 11/12
Cresce dependência do agronegócio brasileiro das importações chinesas (08:06)
Milho: cotação da Bolsa de Chicago encerra segunda-feira próxima da estabilidade (08:03)
Soja: Brasil fecha o dia com estabilidade com recuo de Chicago e dos prêmios (08:00)
Mercado do boi gordo apresenta cenários distintos (07:58)
Inaugurado laboratório de referência em Campinas (07:55)