Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2018
Análise

Socorro bilionário do Tesouro americano para commodities ameaça mercado

Ajuda de US$ 12 bi, além de compensar produtor pela guerra comercial, poderá promover compra de mercadorias não comercializadas.
São Paulo, SP, 23 de Agosto de 2018 - As birras comerciais do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, devem alterar as negociações no mercado de commodities e podem custar caro para os produtores brasileiros de grãos.

Principais apoiadores do presidente durante a campanha eleitoral e atualmente os mais prejudicados pela guerra comercial entre Estados Unidos e seus parceiros, os produtores americanos vão ser recompensados com um pacote de apoio, que começa a ser desenhado.

As informações ainda não são oficiais, mas circula pelo mercado que o pacote de ajuda de US$ 12 bilhões vai repor a queda de 20% dos preços da soja. Essa queda ocorreu, em parte, devido à batalha comercial de Trump com a China e outros importadores de produtos dos EUA.

Se essa promessa for cumprida, os produtores receberiam para a soja próximo de US$ 1,72 por bushel (27,4 quilos) em parte da área semeada. Esse valor representa 20% do preço atual de negociação —US$ 8,58 por bushel— na Bolsa de Chicago nesta quarta-feira (22).

Preocupa mais ainda outras medidas que estariam sendo preparadas para reparar os estragos que a política atual provoca no setor agropecuário.

Segundo informações do Agri Pulse, publicação especializada no setor, a ajuda do governo americano poderá vir em duas outras frentes, ainda mais preocupantes para os brasileiros.

Primeiro, o governo garantiria a compra de produtos não exportados. Segundo, abriria uma frente de financiamento para a busca de novos mercados que pudessem compensar as perdas com China, México, União Europeia e outros.

Essa intromissão do governo americano no mercado de commodities, se persistir também na próxima safra, levaria os produtores americanos a plantar com renda garantida.

Já os brasileiros, que atualmente são beneficiados pelo pelo dólar elevado, poderão perder as benesses do mercado em uma eventual redução do valor da moeda americana.

Por ora, é difícil prever a queda do dólar no Brasil, devido às incertezas das eleições e das poucas perspectivas da continuidade das reformas econômicas.

Os brasileiros vão iniciar o plantio da safra 2018/19 com dificuldades até de prever os custos de produção e de comercialização. Pior ainda se tiverem que concorrer com o bilionário Tesouro americano.

Essa política de ajuda não se limitaria ao setor de grãos, mas se estenderia também às proteínas.

O volume de soja a mais exportado pelo Brasil para a China, em vista das taxas chinesas colocadas no produto americano, não deve compensar a intromissão do governo dos EUA no setor. 

Escudo do dólar A soja foi negociada a R$ 90 nesta quarta-feira em Cascavel (PR). O câmbio ajudou a manutenção desse preço, que é o maior do ano, mas a queda em Chicago limitou a alta.

Escudo do dólar 2 Em Sorriso (MT), a saca de soja foi negociada a R$ 73,20 no disponível. Na segunda-feira (20), tinha registrado R$ 74. Os dados de acompanhamento de mercado são da AgRural.

Fretes Para Cláudio Frischtak, diretor da Inter.B Consultoria, a crise vivida pelos caminhoneiros não está relacionada ao preço do frete, mas ao baixo volume de investimentos em infraestrutura no país.

Falta investimento Na avaliação de Frischtak, há um hiato de investimento de 24 pontos percentuais em relação ao PIB (Produto Interno Bruto). Ele participou do seminário sobre fretes realizado nesta quarta-feira, em Brasília.
(Folha de S.Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 12/12
Pioneirismo e inovação marcam 10 anos da Yes (10:12)
Exportações de carne bovina deverão bater novos recordes no ano que vem (08:41)
Embrapa fecha acordo com Sindan para pré-análise de novos produtos veterinários (08:40)
Granja do Cedro é destaque de pecuária no prêmio “As melhores da Dinheiro Rural” (08:40)
Safra pode repetir recorde com 238,4 milhões de toneladas (07:57)
Encontro de Avicultores premia os melhores da Integração Aurora/Cocari (07:56)
Assembleia Legislativa de Goiás homenageia dirigentes da Pif Paf Alimentos (07:54)
BRDE assina contratos de R$ 100 milhões com cooperativas paranaenses durante encontro da Ocepar (07:53)
A crescente preocupação com ectoparasitas e os prejuízos econômicos causados por estes (07:50)
Milho: Bolsa de Chicago segue tendência do dia e fecha terça-feira com pouca movimentação (07:50)
Além do enriquecimento de ovos, selênio apresenta benefícios produtivos (07:48)
Aviagen Estreia “I Escola de Incubação” da América Latina (07:25)
Terça-Feira, 11/12
Cresce dependência do agronegócio brasileiro das importações chinesas (08:06)
Milho: cotação da Bolsa de Chicago encerra segunda-feira próxima da estabilidade (08:03)
Soja: Brasil fecha o dia com estabilidade com recuo de Chicago e dos prêmios (08:00)
Mercado do boi gordo apresenta cenários distintos (07:58)
Inaugurado laboratório de referência em Campinas (07:55)
Segunda-Feira, 10/12
Sexta-Feira, 07/12
Cresce mobilização de caminhoneiros por nova paralisação (16:15)
Conferência FACTA WPSA-Brasil 2019 já tem data e temas definidos (12:52)
Qualidade de água é tema de palestra da Vetanco (09:50)
Cobb-Vantress premia melhores lotes da região Nordeste (09:07)
NUCLEOVET apresenta planejamento 2019 em evento em SP (09:03)
FRANGO/CEPEA: exportações recuam, mas valores da carne sobem em novembro (08:14)
Início de dezembro apresenta maior firmeza nas cotações do boi gordo (08:04)
Milho: Bolsa de Chicago fecha quinta-feira com leves baixas (08:00)
A pedido da CNA, STF suspende multas pelo descumprimento da tabela do frete (07:37)
Paraná desburocratiza processo de licenciamento ambiental (07:30)
Depois do frango, Marrocos libera importação de carne bovina dos EUA (06:28)
Quinta-Feira, 06/12
Avicultura gaúcha sofre após desabilitação de unidades de abate (23:34)
“Conexão Aviagen” promove o crescimento e o sucesso do Ross 308 AP (08:50)
SUÍNOS/CEPEA: em novembro, média do vivo é a maior em 2018 em muitas regiões (08:28)
BOI/CEPEA: diferentes necessidades seguem resultando em oscilação do indicador (08:20)
Efeito da trégua entre EUA e China já é menor sobre commodities agrícolas (08:15)
Boi Gordo: preço sobe em São Paulo (08:10)
Milho: Bolsa de Chicago fecha quarta-feira com preços do milho estáveis (08:05)
Soja: Chicago estável e prêmios em queda levam disponível em Paranaguá aos R$ 79 nesta 4ª feira (08:00)
PIB do agronegócio do Brasil deve crescer 2% em 2019, prevê CNA (07:23)
SC aumenta exportação de frango em 14% e a de suínos em 33,6% (07:21)
Licenciamento ambiental em São Paulo para a avicultura (07:19)