Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018
Análise

Socorro bilionário do Tesouro americano para commodities ameaça mercado

Ajuda de US$ 12 bi, além de compensar produtor pela guerra comercial, poderá promover compra de mercadorias não comercializadas.
São Paulo, SP, 23 de Agosto de 2018 - As birras comerciais do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, devem alterar as negociações no mercado de commodities e podem custar caro para os produtores brasileiros de grãos.

Principais apoiadores do presidente durante a campanha eleitoral e atualmente os mais prejudicados pela guerra comercial entre Estados Unidos e seus parceiros, os produtores americanos vão ser recompensados com um pacote de apoio, que começa a ser desenhado.

As informações ainda não são oficiais, mas circula pelo mercado que o pacote de ajuda de US$ 12 bilhões vai repor a queda de 20% dos preços da soja. Essa queda ocorreu, em parte, devido à batalha comercial de Trump com a China e outros importadores de produtos dos EUA.

Se essa promessa for cumprida, os produtores receberiam para a soja próximo de US$ 1,72 por bushel (27,4 quilos) em parte da área semeada. Esse valor representa 20% do preço atual de negociação —US$ 8,58 por bushel— na Bolsa de Chicago nesta quarta-feira (22).

Preocupa mais ainda outras medidas que estariam sendo preparadas para reparar os estragos que a política atual provoca no setor agropecuário.

Segundo informações do Agri Pulse, publicação especializada no setor, a ajuda do governo americano poderá vir em duas outras frentes, ainda mais preocupantes para os brasileiros.

Primeiro, o governo garantiria a compra de produtos não exportados. Segundo, abriria uma frente de financiamento para a busca de novos mercados que pudessem compensar as perdas com China, México, União Europeia e outros.

Essa intromissão do governo americano no mercado de commodities, se persistir também na próxima safra, levaria os produtores americanos a plantar com renda garantida.

Já os brasileiros, que atualmente são beneficiados pelo pelo dólar elevado, poderão perder as benesses do mercado em uma eventual redução do valor da moeda americana.

Por ora, é difícil prever a queda do dólar no Brasil, devido às incertezas das eleições e das poucas perspectivas da continuidade das reformas econômicas.

Os brasileiros vão iniciar o plantio da safra 2018/19 com dificuldades até de prever os custos de produção e de comercialização. Pior ainda se tiverem que concorrer com o bilionário Tesouro americano.

Essa política de ajuda não se limitaria ao setor de grãos, mas se estenderia também às proteínas.

O volume de soja a mais exportado pelo Brasil para a China, em vista das taxas chinesas colocadas no produto americano, não deve compensar a intromissão do governo dos EUA no setor. 

Escudo do dólar A soja foi negociada a R$ 90 nesta quarta-feira em Cascavel (PR). O câmbio ajudou a manutenção desse preço, que é o maior do ano, mas a queda em Chicago limitou a alta.

Escudo do dólar 2 Em Sorriso (MT), a saca de soja foi negociada a R$ 73,20 no disponível. Na segunda-feira (20), tinha registrado R$ 74. Os dados de acompanhamento de mercado são da AgRural.

Fretes Para Cláudio Frischtak, diretor da Inter.B Consultoria, a crise vivida pelos caminhoneiros não está relacionada ao preço do frete, mas ao baixo volume de investimentos em infraestrutura no país.

Falta investimento Na avaliação de Frischtak, há um hiato de investimento de 24 pontos percentuais em relação ao PIB (Produto Interno Bruto). Ele participou do seminário sobre fretes realizado nesta quarta-feira, em Brasília.
(Folha de S.Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 18/10
Vetanco participa do ACAV 2018 (14:46)
Chile reabre mercado para avicultura do RS (13:32)
SUÍNOS/CEPEA: exportação elevada sustenta preços no Brasil (10:15)
BOI/CEPEA: produtividade de carne por animal é maior em SP (09:44)
Adaptação veterinária (08:55)
Guerra comercial já eleva os preços na China (08:45)
BRF negocia acordo de leniência com MPF e CGU (08:14)
Agro olhou para eleição presidencial e esqueceu representantes do setor (08:11)
Soja: mercado no Brasil tem novo dia de pressão nesta 4ª e continua sentindo peso do câmbio (08:00)
Força-tarefa encontra três novos focos de peste suína no Ceará (07:28)
O frigorífico que produz carne de frango sem matar nenhuma ave (06:51)
Quarta-Feira, 17/10
Em Goiás, IOB prepara série de ações em parceria com a Associação Goiana de Avicultura (13:52)
Em MG, NECTA realiza 1º Dia do Ovo, com apoio do IOB (08:20)
Movimentação do Porto de Itajaí aumenta 81% em setembro (06:33)
Road Show Aves e Suínos da Boehringer fortalece a cadeia de proteína animal com conhecimento técnico (06:32)
Para ampliar exportação, setor de aves e de suínos vai à feira em Paris (06:31)
Importações chinesas de carne suína devem crescer 8% neste ano (06:10)
Soja: com previsão de melhora do clima nos EUA, mercado em Chicago ainda opera estável nesta 4ª (06:00)
Terça-Feira, 16/10
Da ABPA aos candidatos (09:18)
PF indicia Abilio Diniz e Pedro Faria no âmbito da Operação Trapaça (07:49)
Após relatório da PF, BRF defende tolerância zero e afasta 14 pessoas (07:48)
Milho fecha em alta na Bolsa de Chicago nesta 2a feira com clima adverso para colheita nos EUA (07:44)
Com demanda forte e clima adverso no Corn Belt, soja fecha com mais de 2%de alta em Chicago (07:40)
Plantio de soja evolui em ritmo acelerado em quase todo o país (07:39)
Brasil ganha mercado de soja na China, mas perde espaço para EUA na Europa (07:31)
MILHO/CEPEA: indicador recua quase 6% no acumulado do mês (07:30)
SOJA/CEPEA: dólar cai e pressiona valores internos da soja (07:29)
Segunda-Feira, 15/10
CBNA debate nutrição animal e produção sustentável de alimentos a partir de amanhã, no VIII CLANA, em Campinas, SP (13:29)
Programa Ovos RS: Atividades e Eventos (10:57)
Vetanco realiza Oficina de Trabalho em Carpina-PE (10:35)
Conheça a campanha Ovo Capixaba (10:32)
Da ABPA aos candidatos (09:19)
Agronegócio teme radicalismo e falta de experiência em equipe de Bolsonaro (08:15)
FRANGO/CEPEA: preços registram alta no atacado paulista (08:11)
SUÍNO/CEPEA: menor oferta para abate mantém preços estáveis na maior parte das regiões (08:07)
BOI/CEPEA: indicador oscila com força, mas acumula queda na parcial deste mês (08:05)
Projeções confirmam o peso do Brasil nas exportações de grãos (08:05)
Milho: mercado em Chicago ainda sente efeitos positivos do USDA e fecha em alta nesta 6ª feira (08:02)
Soja começa semana com estabilidade em Chicago nesta 2ª feira e foca colheita nos EUA (08:00)
Sexta-Feira, 12/10