Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2019
Análise

Socorro bilionário do Tesouro americano para commodities ameaça mercado

Ajuda de US$ 12 bi, além de compensar produtor pela guerra comercial, poderá promover compra de mercadorias não comercializadas.
São Paulo, SP, 23 de Agosto de 2018 - As birras comerciais do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, devem alterar as negociações no mercado de commodities e podem custar caro para os produtores brasileiros de grãos.

Principais apoiadores do presidente durante a campanha eleitoral e atualmente os mais prejudicados pela guerra comercial entre Estados Unidos e seus parceiros, os produtores americanos vão ser recompensados com um pacote de apoio, que começa a ser desenhado.

As informações ainda não são oficiais, mas circula pelo mercado que o pacote de ajuda de US$ 12 bilhões vai repor a queda de 20% dos preços da soja. Essa queda ocorreu, em parte, devido à batalha comercial de Trump com a China e outros importadores de produtos dos EUA.

Se essa promessa for cumprida, os produtores receberiam para a soja próximo de US$ 1,72 por bushel (27,4 quilos) em parte da área semeada. Esse valor representa 20% do preço atual de negociação —US$ 8,58 por bushel— na Bolsa de Chicago nesta quarta-feira (22).

Preocupa mais ainda outras medidas que estariam sendo preparadas para reparar os estragos que a política atual provoca no setor agropecuário.

Segundo informações do Agri Pulse, publicação especializada no setor, a ajuda do governo americano poderá vir em duas outras frentes, ainda mais preocupantes para os brasileiros.

Primeiro, o governo garantiria a compra de produtos não exportados. Segundo, abriria uma frente de financiamento para a busca de novos mercados que pudessem compensar as perdas com China, México, União Europeia e outros.

Essa intromissão do governo americano no mercado de commodities, se persistir também na próxima safra, levaria os produtores americanos a plantar com renda garantida.

Já os brasileiros, que atualmente são beneficiados pelo pelo dólar elevado, poderão perder as benesses do mercado em uma eventual redução do valor da moeda americana.

Por ora, é difícil prever a queda do dólar no Brasil, devido às incertezas das eleições e das poucas perspectivas da continuidade das reformas econômicas.

Os brasileiros vão iniciar o plantio da safra 2018/19 com dificuldades até de prever os custos de produção e de comercialização. Pior ainda se tiverem que concorrer com o bilionário Tesouro americano.

Essa política de ajuda não se limitaria ao setor de grãos, mas se estenderia também às proteínas.

O volume de soja a mais exportado pelo Brasil para a China, em vista das taxas chinesas colocadas no produto americano, não deve compensar a intromissão do governo dos EUA no setor. 

Escudo do dólar A soja foi negociada a R$ 90 nesta quarta-feira em Cascavel (PR). O câmbio ajudou a manutenção desse preço, que é o maior do ano, mas a queda em Chicago limitou a alta.

Escudo do dólar 2 Em Sorriso (MT), a saca de soja foi negociada a R$ 73,20 no disponível. Na segunda-feira (20), tinha registrado R$ 74. Os dados de acompanhamento de mercado são da AgRural.

Fretes Para Cláudio Frischtak, diretor da Inter.B Consultoria, a crise vivida pelos caminhoneiros não está relacionada ao preço do frete, mas ao baixo volume de investimentos em infraestrutura no país.

Falta investimento Na avaliação de Frischtak, há um hiato de investimento de 24 pontos percentuais em relação ao PIB (Produto Interno Bruto). Ele participou do seminário sobre fretes realizado nesta quarta-feira, em Brasília.
(Folha de S.Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 20/02
Mesmo obrigatória, barreira sanitária é condenada pelo TST (09:12)
Em Dubai, quem quer carne ignora política (08:47)
Abertas inscrições para seleção de participantes da Feira de Investimentos em Dubai (07:38)
Ministério e polícias vão tornar fiscalização do transporte de cargas vivas mais rigorosa (07:34)
SP: preços agropecuários caem 0,88% em janeiro, aponta IEA (07:10)
Suíno Vivo: altas em SP e em SC nesta terça (19) (07:08)
Soja: disputa entre demandas interna e para exportação deve se acirrar e preços no Brasil (07:02)
Milho: mercado brasileiro sem movimentações (07:00)
Terça-Feira, 19/02
No Congresso de Ovos, Biocamp lança nova logomarca e comemora 20 anos de pioneirismo (11:54)
ABPA e DIPOA promovem encontro sobre inspeção (11:04)
Ministério promove, em Brasília, seminário sobre autocontrole na produção agropecuária (09:42)
JBS importa milho pela primeira vez em 2019, diz fonte (09:38)
Dívidas de financiamento para produtores e cooperativas no BNDES são prorrogadas (09:36)
Ação&Manejo: Controle e análise dos dados em granjas produtoras de ovos (09:07)
Frigoríficos buscam atalhos para vender ao Irã (08:20)
Indústria de ração do Brasil sente impacto de menor crescimento do setor de aves (08:15)
Mercado do boi gordo permanece travado (08:10)
Milho: mercado interno encerra segunda-feira com poucas movimentações (08:05)
Preços da soja no Brasil ainda dependem das relações comerciais China x EUA para definir direção (08:00)
ICC Brazil participa da VIV Asia 2019 (07:30)
Segunda-Feira, 18/02
Cobb-Vantress lança novos guias de manejo (13:50)
Blitz de Verão: ASGAV e COBB realizam atividade de promoção do consumo de carne de frango (10:34)
Milho: demanda firme e recuo vendedor sustentam altas (10:17)
Vetanco promove ciclo de palestras no Polo Avícola da Bahia (09:22)
Serviço de inspeção de Caxias do Sul tem equivalência ao Sisbi-Poa reconhecida (07:26)
Ministra defende que Congresso discuta retorno de desconto na conta de energia dos produtores (07:24)
Prazo da Frango Ad’Oro termina no próximo dia 22 (07:21)
Boi Gordo: frigoríficos testam preços abaixo das referências, mas volume de negócios é pequeno (07:06)
Soja: prêmios no Brasil sobem mais de 30% em 1 mês e ajudam cotações no mercado interno (07:00)
Sexta-Feira, 15/02
Frango: Cepea aponta que poder de compra vem registrando mais um mês de queda (09:32)
Ovos: preços de fevereiro são os maiores desde junho/2018, destaca Cepea (09:30)
China anuncia tarifas de até 32,4% ao frango brasileiro por 5 anos (08:21)
Para cobrir rombo, Estados elevam tributação sobre agronegócio (08:11)
Suíno Vivo: altas em SP, PR, MG e GO (08:08)
Boi Gordo: mercado em ritmo lento (08:06)
Boi Gordo: volume de animais abatidos no BR se eleva em 2018 (08:05)
Milho: mercado estável (08:04)
Soja: preços registram alta (08:00)
MSD Saúde Animal patrocina Congresso de Ovos e debate complexo respiratório em espaço empresarial (07:43)
Quinta-Feira, 14/02
Mercado será foco dos debates na abertura do Simpósio Brasil Sul de Avicultura (13:52)
2ª Conbrasul Ovos abre período de inscrições online (13:38)
Indústria de alimentos prevê avanço de até 4% (09:34)
Etanol de milho avança (09:32)
Nova regra incentiva emissão de letras de crédito do agronegócio (08:50)
Pilgrim’s Pride registra prejuízo de US$ 8,2 milhões no 4º trimestre (08:40)
Recall da BRF expõe falha e transparência (08:38)
IOB segue sua campanha em São Paulo (08:26)
Vetanco homenageia Cooperitaipu (08:22)
Suíno Vivo: estabilidade nas cotações (08:16)
Boi: em SP, preço da arroba está estável (08:12)
Milho: estabilidade domina o dia (08:05)
Preços da soja sobem no Brasil nesta 4ª feira (08:00)