Sábado, 15 de Junho de 2019
Matérias-Primas

Soja: diante da alta do dólar, preços sobem mais de 2% nesta 5ª no Porto de Paranaguá
Piracicaba, SP, 14 de Setembro de 2018 - Diante da forte valorização cambial, os preços da soja subiram nos portos brasileiros nesta quinta-feira (13). Em Paranaguá, o valor disponível subiu 2,08% e bateu R$ 98,00 a saca, já o futuro, para entrega março/19, registrou alta de 2,33%, com a saca da oleaginosa a R$ 88,00.

Em Rio Grande, o disponível subiu 0,54%, com a saca da soja a R$ 93,00. O futuro, para entrega em outubro/18, apresentou valorização de 0,54% e a saca a R$ 93,50. Enquanto isso, a moeda norte-americana fechou o dia a R$ 4,1957 na venda, com alta de 1,21%, maior nível desde a sua criação.

"As preocupações com o cenário eleitoral doméstico fizeram com que o dólar superasse 1 por cento de valorização nesta quinta-feira e batesse a máxima recorde do Plano Real, ao terminar próximo dos 4,20 reais", informou a Reuters.

No mercado interno, a saca da soja subiu 2,78% no Oeste da Bahia e encerrou o dia a R$ 74,00. Na região de Primavera do Leste (MT), a alta foi de 2,47%, com a saca a R$ 83,00. Conforme levantamento da equipe do Notícias Agrícolas, outras praças também apresentaram ganhos nesta quinta-feira.

Na visão do consultor de mercado da Carlos Cogo Consultoria Agroeconômica, Carlos Cogo, novas altas ainda podem ocorrer entre os meses de outubro e novembro. "Teremos uma escassez interna e mantemos o bom ritmo de exportação, os prêmios voltaram a subir e temos um dólar acima de R$ 4,10. Teremos um momento de venda física de soja até novembro, o produtor deve fazer médias", orienta.

Bolsa de Chicago

Em mais uma sessão de volatilidade, os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) finalizaram o dia em campo negativo. Após operar dos dois lados da tabela, as cotações da commodity fecharam o pregão com perdas de mais de 6 pontos, uma desvalorização de quase 1%.

O vencimento setembro/18 era cotado a US$ 8,22 por bushel, enquanto o novembro/18 trabalhava a US$ 8,33 por bushel. O janeiro/19 trabalhava a US$ 8,47 por bushel e o março/19 encerrou o pregão a US$ 8,59 por bushel.

"Os preços da soja caíram nesta quinta-feira, com os comerciantes se preocupando com problemas comerciais não resolvidos com a China, já que uma safra potencialmente recorde nos EUA está próxima", reportou o portal Farm Futures.

Ainda nesta quinta-feira, o presidente Donald Trump, afirmou que os EUA não estão sob pressão para negociar com a China. No início do dia, a nação asiática teria informado que "recebeu bem o convite dos Estados Unidos para realizar uma nova rodada de discussões comerciais, no momento em que Washington se prepara para intensificar a guerra comercial entre os dois países com tarifas sobre 200 bilhões de dólares em bens chineses", segundo a Reuters.

Além disso, o consultor de mercado da Carlos Cogo Consultoria Agroeconômica, Carlos Cogo, informou que a queda também é um reflexo retardado das novas projeções trazidas pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) nesta quarta-feira. O órgão revisou para 127,72 milhões de toneladas a produção de soja no país nesta temporada.

No boletim de agosto, o número estava em 124,81 milhões de toneladas. Já a produtividade subiu de 57,83 sacas para 59,17 sacas por hectare.

"No mesmo dia desse relatório tivemos uma confirmação do Governo da China de que as importações de soja da temporada 2018/19 irão recuar bem acima do esperado. Dois fatores que combinados geram uma pressão baixista no curto, médio e longo prazo", explica o consultor.

Como fator positivo, o USDA indicou as vendas semanais de soja em 693,5 mil toneladas de soja, na semana encerrada no dia 6 de setembro. O volume ficou dentro das expectativas do mercado, entre 500 mil a 1 milhão de toneladas.

O departamento informou ainda a venda de 228,01 mil toneladas de soja. Cerca de 108,01 mil toneladas foram adquiridas pelo México e o volume deverá ser entregue ao longo da campanha 2018/19.

Já o restante, de 120 mil toneladas, foram compradas por destinos desconhecidos. Do total, 40 mil toneladas, serão entregues no ciclo 2018/19 e, 80 mil toneladas do grão, na campanha 2019/20.
(Notícias Agrícolas) (Fernanda Custódio)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 15/06
2ª Conbrasul Ovos começa neste domingo com participantes de vários países da avicultura de postura mundial (18:19)
Sexta-Feira, 14/06
Redução do uso de Antibióticos é tema de palestra promovida pela Vetanco (12:53)
Prevenção contra a PSA (11:11)
É hora de reorganizar os negócios, diz CEO da BRF (06:35)
Frigoríficos já podem retomar exportação de carne bovina à China (06:33)
Consumo de carne suína em baixa na China (06:31)
Mercado do boi 'acordou' mais tarde, reagiu e já mostrou negócios pré crise da vaca louca (06:27)
Mercado do boi gordo está ganhando firmeza (06:25)
Brasil volta a exportar carne bovina para China (06:21)
Governo gaúcho reativa Câmaras Setoriais e Temáticas (06:18)
Conselho do Agro debate reforma tributária (06:17)
Abatedouro de aves é inaugurado no Parque Agroindustrial de Gurupi (GO) (06:15)
Justiça alemã valida morte de milhões de pintos machos na indústria (06:14)
Autoridades brasileiras e argentinas pedem corredor do milho e internacionalização de aeroporto (06:13)
Consumir carne de frango ao invés da bovina já diminui impactos ambientais (06:12)
Em 2040, 60% da carne consumida no mundo não será de origem animal (06:09)
Saldo da balança do agronegócio foi de US$ 8,6 bilhões em maio (06:07)
Mercado do milho fecha a sessão desta 5ª com com forte avanço em Chicago (06:06)
Soja: produtor brasileiro tem momento de melhores patamares em Chicago e prêmios altos (06:03)
Quinta-Feira, 13/06
SP: Preços Agropecuários recuam 1,76% no fechamento do mês de maio (15:05)
Suínos: liquidez aquecida nos mercados interno e externo eleva preços (14:41)
Brasil volta a exportar carne bovina para China (12:11)
Setor de equipamentos participa em peso do SIAVS 2019 (12:09)
IBGE: abate de frangos, no 1º trimestre, recua 2,0% em relação ao mesmo período de 2018 (11:27)
Ovos de galinha: produção cresce 6,0% e tem melhor 1º tri desde 1997, diz IBGE (11:26)
Korin investe em fábrica para ração de frangos (08:23)
Subprodutos fazem milho dos EUA mais competitivo (08:21)
Cooperativas de crédito ganham força (08:19)
Marfrig descarta ter que comprar ações da National Beef (08:15)
Mercado do boi ganha firmeza (08:10)
Previsão de mais chuvas e incerteza sobre produção deixa milho levemente mais valorizado nesta 4ª feira em Chicago (08:05)
Soja sobe quase 20 pts em Chicago nesta 4ª feira (08:00)
Quarta-Feira, 12/06
Aves Hendrix são as campeãs do Concurso de Qualidade de Ovos Capixaba (15:51)
XIV Simpósio Goiano de Avicultura recebe patrocínio e palestra da Cobb-Vantress (15:48)
Material de proteção gera crédito de Cofins (09:29)
Nova Gerente Técnica de Vendas da BV Science (09:08)
Congresso aprova crédito suplementar que garante recursos para o Plano Safra 2019/2020 (08:59)
Produção de grãos no Brasil deve ser de 238,9 milhões de toneladas (08:58)
Demanda japonesa por carne continua superando a oferta doméstica (08:56)
Forte quebra nos EUA beneficia exportação brasileira de milho (08:46)
Uma fusão das mais complexas (08:45)
Índice da FGV de produção de agroindústrias caiu em abril (08:42)
Terça-Feira, 11/06
Universidade Estadual de Maringá tem 16 cartas-patentes concedidas pelo INPI (08:16)
“China sustenta a agricultura do Brasil", diz Charles Tang (08:08)
Falta de crédito rural com taxas controladas motiva busca por opções (08:06)
Plano de fusão com a Marfrig divide os conselheiros da BRF (08:03)
Boi Gordo: frigoríficos seguem 'tateando' o mercado (07:56)
MT registra vendas de milho "a todo vapor", com negócios para safras atual e futura (07:51)
Milho fecha 2ª feira com cotações misturadas em Chicago (07:50)
Soja fecha com leves altas em Chicago nesta 2ª feira (07:43)
Santa Catarina é o maior exportador de carne de frango do Brasil (07:28)