Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018
Exportação

Exportação perde força com exigência de sustentabilidade
Genebra, Suíça, 17 de Setembro de 2018 - Exigências de Padrões Voluntários de Sustentabilidade (PVS) atingem crescentemente exportações brasileiras e reduzem sua competitividade, segundo estudo da Organização das Nações Unidas (ONU) que será lançado hoje em Nova Déli (India).

Critérios ambientais e sociais rigorosos na produção das mercadorias, exigidos por consumidores e clientes externos, afetam possivelmente 44% do total das exportações do país.

Isso significa que pode haver um preço adicional imposto a US$ 100 bilhões nas exportações do país em decorrência dessas certificações.

"Mesmo se 0,1% a 1,0% desse montante for associado com custos de PVS, é razoável considerar que PVS tem um papel significante na redução da competitividade de produtos que o Brasil exporta", escrevem dois técnicos do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), Rogério de Oliveira Correa e Dolores Teixeira de Brito, num capítulo sobre desafios do Brasil.

Eles ressalvam que o governo não fez ainda avaliação de custo desse tipo de mecanismo. Mas dizem ser inegável a crescente demanda pela adoção de PVS vinda de consumidores e clientes internacionais.

Vários setores econômicos no Brasil já engajados em adotar PVS incluem o agronegócio (soja, café, açúcar, sucos, cacau, milho e outros), produtos florestais (madeira, papel, móveis), carnes (produtos de bovino, suíno, frango), além de tabaco, pescado, óleos essenciais e têxteis.

O relatório será lançado na "International Convention on Sustainable Trade and Standards", em Nova Déli. Calcula que hoje já há quase 500 rótulos ecológicos e PVS em 199 países e 25 setores industriais.

"Esses padrões podem levar indústrias em direção de melhorar o desempenho social, ambiental e econômico", diz a sub-secretária-geral da Agência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad), Isabelle Durant. "Padrões traduzem o amplo conceito de sustentabilidade em medidas específicas e concretas para companhias e seus fornecedores, e influencia decisões de consumo".

Conforme o relatório, rótulos ecológicos e PVS, que melhoram não só a qualidade, mas a sustentabilidade dos produtos, podem ajudar países em desenvolvimento a desbloquear o acesso a novos mercados.

Esses mecanismos se propagam diante de demandas do consumidor, estratégias de mitigação de riscos por multinacionais e o papel de compras públicas.

Os PVS focalizam diferentes aspectos de sustentabilidade (ambiental ou programas sociais, por exemplo) operando em diferentes partes de um país, afirma a Unctad.

As respostas de países produtores à exigência desses padrões vêm não apenas da Europa, mas também economias emergentes como Brasil, China e Índia começaram a levá-los em conta nas compras públicas, por exemplo.

No Brasil, segundo os dois técnicos do Inmetro, a proliferação de padrões de sustentabilidade pode criar confusão entre cadeias de produção e consumidor, com dificuldades em diferenciar rótulos, especialmente aqueles que se sobrepõem.

Eles escrevem que os custos para atender às exigências e ter PVS podem ser a principal barreira para pequenos produtores brasileiros terem acesso ao mercado externo, especialmente quando não têm garantias do retorno do investimento.

De um lado, altos custos de implementação de PVS reduzem vantagem competitiva de certos setores. De outro, produtores podem produzir algo mais atraente para atender demanda de sustentabilidade pelos consumidores, e a qualidade também melhora.

(Valor) (Assis Moreira)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 18/10
Vetanco participa do ACAV 2018 (14:46)
Chile reabre mercado para avicultura do RS (13:32)
SUÍNOS/CEPEA: exportação elevada sustenta preços no Brasil (10:15)
BOI/CEPEA: produtividade de carne por animal é maior em SP (09:44)
Adaptação veterinária (08:55)
Guerra comercial já eleva os preços na China (08:45)
BRF negocia acordo de leniência com MPF e CGU (08:14)
Agro olhou para eleição presidencial e esqueceu representantes do setor (08:11)
Soja: mercado no Brasil tem novo dia de pressão nesta 4ª e continua sentindo peso do câmbio (08:00)
Força-tarefa encontra três novos focos de peste suína no Ceará (07:28)
O frigorífico que produz carne de frango sem matar nenhuma ave (06:51)
Quarta-Feira, 17/10
Em Goiás, IOB prepara série de ações em parceria com a Associação Goiana de Avicultura (13:52)
Em MG, NECTA realiza 1º Dia do Ovo, com apoio do IOB (08:20)
Movimentação do Porto de Itajaí aumenta 81% em setembro (06:33)
Road Show Aves e Suínos da Boehringer fortalece a cadeia de proteína animal com conhecimento técnico (06:32)
Para ampliar exportação, setor de aves e de suínos vai à feira em Paris (06:31)
Importações chinesas de carne suína devem crescer 8% neste ano (06:10)
Soja: com previsão de melhora do clima nos EUA, mercado em Chicago ainda opera estável nesta 4ª (06:00)
Terça-Feira, 16/10
Da ABPA aos candidatos (09:18)
PF indicia Abilio Diniz e Pedro Faria no âmbito da Operação Trapaça (07:49)
Após relatório da PF, BRF defende tolerância zero e afasta 14 pessoas (07:48)
Milho fecha em alta na Bolsa de Chicago nesta 2a feira com clima adverso para colheita nos EUA (07:44)
Com demanda forte e clima adverso no Corn Belt, soja fecha com mais de 2%de alta em Chicago (07:40)
Plantio de soja evolui em ritmo acelerado em quase todo o país (07:39)
Brasil ganha mercado de soja na China, mas perde espaço para EUA na Europa (07:31)
MILHO/CEPEA: indicador recua quase 6% no acumulado do mês (07:30)
SOJA/CEPEA: dólar cai e pressiona valores internos da soja (07:29)
Segunda-Feira, 15/10
CBNA debate nutrição animal e produção sustentável de alimentos a partir de amanhã, no VIII CLANA, em Campinas, SP (13:29)
Programa Ovos RS: Atividades e Eventos (10:57)
Vetanco realiza Oficina de Trabalho em Carpina-PE (10:35)
Conheça a campanha Ovo Capixaba (10:32)
Da ABPA aos candidatos (09:19)
Agronegócio teme radicalismo e falta de experiência em equipe de Bolsonaro (08:15)
FRANGO/CEPEA: preços registram alta no atacado paulista (08:11)
SUÍNO/CEPEA: menor oferta para abate mantém preços estáveis na maior parte das regiões (08:07)
BOI/CEPEA: indicador oscila com força, mas acumula queda na parcial deste mês (08:05)
Projeções confirmam o peso do Brasil nas exportações de grãos (08:05)
Milho: mercado em Chicago ainda sente efeitos positivos do USDA e fecha em alta nesta 6ª feira (08:02)
Soja começa semana com estabilidade em Chicago nesta 2ª feira e foca colheita nos EUA (08:00)
Sexta-Feira, 12/10