Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018
Empresas

BRF: para 2019, foco é excelência operacional e reversão da queda de margens
São Paulo, 09 de Outubro de 2018 - O CEO da companhia de alimentos BRF, Pedro Parente, afirmou nesta segunda-feira (8/10) que a estratégia da empresa traçada desde sua entrada, neste ano, será executada em "ondas", ou seja, em etapas. "Para 2019, o foco é excelência operacional e reversão da queda de margens", destacou o executivo na abertura do BRF Day, evento direcionado a investidores, na capital paulista.

Para 2020, segundo o CEO, a companhia pretende consolidar os fundamentos já existentes e retomar os níveis históricos de margens. "E para 2021, a meta é o crescimento inorgânico, não só com eventuais aquisições, mas por meio da obtenção de margens acima das médias históricas", afirmou Parente. Ele ainda lembrou que a BRF só vai conseguir ter margens expressivas se utilizar o animal como um todo.

O COO da companhia, Lorival Luz, explicou que a estratégia de utilização do animal em sua totalidade se dá por meio da gestão "push and pull", onde o todo prevalece sobre as partes. Com isso, a meta é evitar crescimento dos níveis de estoques. "Sabemos que a companhia tem ciclos, devido ao ramo de atuação, e precisamos de uma estrutura de capital adequada", lembrou Luz, ao citar o plano de desinvestimentos que está em curso e visa ajustes operacionais e financeiros para a empresa.

"Teremos um perfil de dívida mais alongado que permitirá passarmos por estes ciclos sem riscos de liquidez e sem prejuízo aos planos de crescimento da companhia", acrescentou. Para Luz, a rentabilidade nas margens projetada por Parente virá com uso adequado das marcas e inovação nos produtos. "Não vamos perder de vista a grandeza da nossa empresa. Somos a maior exportadora de frango do mundo", enfatizou o CEO.

Inovação

No mesmo evento, o vice-presidente da companhia de alimentos no Brasil, Sidney Manzaro, disse que o ganho de margens e a rentabilidade da BRF no país virão através da inovação, com incremento no portfólio, e agregação de valor aos produtos já existentes.
No segmento de frangos, um dos aspectos que será tratado de maneira mais adequada é a embalagem, focando na praticidade. Já nos suínos, a companhia pretende avançar tanto no lançamento de novos produtos, quanto em valor agregado.

"Vamos incentivar o consumo de suíno", ressalta o executivo. Em relação aos subprodutos destas categorias, Manzaro destaca os frios. "O objetivo é crescer em volume e alavancar os fatiados para que representem 25% do portfólio", ressaltou. Em congelados, a ideia é ter incremento de 20% em receita com inovação dos produtos. Em embutidos, a BRF pretende avançar com agregação de valor, e nas margarinas, aumentar a rentabilidade.

"Por meio de nossos parceiros, o food service também será tratado como mais uma plataforma estratégica para a empresa", ressaltou Manzaro.

Halal

Dentre as operações internacionais da BRF, uma das prioridades para o segmento Halal da empresa é consolidar a liderança no mercado turco, avaliou o vice-presidente de Halal, Patrício Rohner.

Também durante o BRF Day, o executivo destacou que a Turquia é um país estratégico, com Produto Interno Bruto (PIB) per capita em um patamar interessante, mas não tem indústria desenvolvida. "Depois da Arábia Saudita, a Turquia foi um grande desafio e estamos fazendo um trabalho muito bom", disse.

Especificamente no mercado árabe, a meta é reforçar a atuação na produção local e ganhar market share no segmento de resfriados. Para Halal como um todo, o objetivo é reforçar a presença nas marcas e em produtos de valor agregado.

Internacional

O vice-presidente da área internacional da BRF, Simon Cheng, comentou que a companhia pretende expandir o acesso a mercados lá fora. "Faremos um esforço enorme para a reabilitação das exportações para a Europa", enfatizou.

Além disso, está entre os planos a otimização do portfólio. "Desenvolver produtos com especificações que atendam o maior número possível de mercados. Embalagens trilíngues que me deem capacidade de acessar 30 países, ao invés de 5, o que dilui o risco quando há o fechamento de um determinado mercado", explica Cheng.

Ainda de acordo com o executivo, a companhia deve investir em distribuição local e força de vendas. "Temos presença comercial em mais de 30 países, precisamos usar e alavancar isso", acrescentou.
(Globo Rural) (Assessoria de Imprensa)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 18/10
Vetanco participa do ACAV 2018 (14:46)
Chile reabre mercado para avicultura do RS (13:32)
SUÍNOS/CEPEA: exportação elevada sustenta preços no Brasil (10:15)
BOI/CEPEA: produtividade de carne por animal é maior em SP (09:44)
Adaptação veterinária (08:55)
Guerra comercial já eleva os preços na China (08:45)
BRF negocia acordo de leniência com MPF e CGU (08:14)
Agro olhou para eleição presidencial e esqueceu representantes do setor (08:11)
Soja: mercado no Brasil tem novo dia de pressão nesta 4ª e continua sentindo peso do câmbio (08:00)
Força-tarefa encontra três novos focos de peste suína no Ceará (07:28)
O frigorífico que produz carne de frango sem matar nenhuma ave (06:51)
Quarta-Feira, 17/10
Em Goiás, IOB prepara série de ações em parceria com a Associação Goiana de Avicultura (13:52)
Em MG, NECTA realiza 1º Dia do Ovo, com apoio do IOB (08:20)
Movimentação do Porto de Itajaí aumenta 81% em setembro (06:33)
Road Show Aves e Suínos da Boehringer fortalece a cadeia de proteína animal com conhecimento técnico (06:32)
Para ampliar exportação, setor de aves e de suínos vai à feira em Paris (06:31)
Importações chinesas de carne suína devem crescer 8% neste ano (06:10)
Soja: com previsão de melhora do clima nos EUA, mercado em Chicago ainda opera estável nesta 4ª (06:00)
Terça-Feira, 16/10
Da ABPA aos candidatos (09:18)
PF indicia Abilio Diniz e Pedro Faria no âmbito da Operação Trapaça (07:49)
Após relatório da PF, BRF defende tolerância zero e afasta 14 pessoas (07:48)
Milho fecha em alta na Bolsa de Chicago nesta 2a feira com clima adverso para colheita nos EUA (07:44)
Com demanda forte e clima adverso no Corn Belt, soja fecha com mais de 2%de alta em Chicago (07:40)
Plantio de soja evolui em ritmo acelerado em quase todo o país (07:39)
Brasil ganha mercado de soja na China, mas perde espaço para EUA na Europa (07:31)
MILHO/CEPEA: indicador recua quase 6% no acumulado do mês (07:30)
SOJA/CEPEA: dólar cai e pressiona valores internos da soja (07:29)
Segunda-Feira, 15/10
CBNA debate nutrição animal e produção sustentável de alimentos a partir de amanhã, no VIII CLANA, em Campinas, SP (13:29)
Programa Ovos RS: Atividades e Eventos (10:57)
Vetanco realiza Oficina de Trabalho em Carpina-PE (10:35)
Conheça a campanha Ovo Capixaba (10:32)
Da ABPA aos candidatos (09:19)
Agronegócio teme radicalismo e falta de experiência em equipe de Bolsonaro (08:15)
FRANGO/CEPEA: preços registram alta no atacado paulista (08:11)
SUÍNO/CEPEA: menor oferta para abate mantém preços estáveis na maior parte das regiões (08:07)
BOI/CEPEA: indicador oscila com força, mas acumula queda na parcial deste mês (08:05)
Projeções confirmam o peso do Brasil nas exportações de grãos (08:05)
Milho: mercado em Chicago ainda sente efeitos positivos do USDA e fecha em alta nesta 6ª feira (08:02)
Soja começa semana com estabilidade em Chicago nesta 2ª feira e foca colheita nos EUA (08:00)
Sexta-Feira, 12/10