Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018
Matérias-Primas

Milho: despencada do dólar pressiona e preços cedem no mercado brasileiro nesta 2ª feira
Campinas, SP, 09 de Outubro de 2018 - Os preços do milho recuaram no mercado brasileiro nesta primeira sessão da semana, acompanhando a despencada do dólar registrada nesta segunda-feira (8), após uma reação do mercado financeiro ao resultado do primeiro turno das eleições presidenciais.

A força de Jair Bolsonaro frente ao candidato do PT Fernando Haddad, que definiu um segundo turno entre os dois, fez com que um otimismo e uma euforia tomassem conta do mercado financeiro e o dólar caiu 2,67% somente nesta sessão, para fechar com R$ 3,7541.

"O desempenho de Bolsonaro no primeiro turno o mantém como favorito na disputa, seja pela votação recebida --muito próxima dos 50 por cento-- seja pelo quadro das disputas nos Estados ou ainda pela equiparação de armas na campanha de segundo turno", escreveu a corretora XP investimentos, segundo a agência de notícias Reuters.

Dessa forma, as baixas na B3, a bolsa brasileira, variaram entre 0,51% e 1,08%, como foi o caso do vencimento janeiro/19, que terminou a segunda-feira valendo R$ 39,30 por saca.

No interior, as cotações também recuaram e as perdas chegaram a superar 5% em algumas praças de comercialização, como foi o caso de São Gabriel do Oeste, no Mato Grosso do Sul, onde o último preço ficou em R$ 28,00 por saca.

Já em Paranaguá, a referência no porto ficou estável nos R$ 38,00 por saca, sem alterações nesta segunda-feira. O mercado, afinal, além da baixa do dólar, olhou também para a estabilidade dos futuros do cereal na Bolsa de Chicago neste início de semana. Os atuais níveis base porto, porém, ainda estão distantes daqueles almejados pelos produtores para que efetivem novos negócios.

Segundo explicou o consultor de mercado Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, o mercado no Brasil deve retomar seu ritmo das exportações do cereal nas próximas semanas e essa demanda é o que deverá ser responsável por ditar o ritmo de andamento das cotações no Brasil.

Números da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgados nesta segunda mostraram que, na última semana, as exportações brasileiras de milho somaram pouco mais de 1,036 milhão de toneladas. "Se continuarmos nesse ritmo, vamos fechar outubro com mais de 5 milhões de toneladas de milho exportadas em outubro", diz Brandalizze.

Bolsa de Chicago

Na Bolsa de Chicago, os futuros do milho fecharam o dia com estabilidade e registrando ligeiras baixas, entre 1,50 e 1,75 ponto nos principais contratos. O dezembro/18 fechou com US$ 3,66 e o março/19 com US$ 3,78 por bushel.

O mercado se manteve com movimentações bastante limitadas nesta primeira sessão da semana diante de um feriado nos EUA nesta segunda - de Columbus Day - mas em que as bolsas funcionam, e frente a uma falta de novidades que possam motivar movimentações mais intensas das cotações.

No radar dos traders permanecem as preocupações com as chuvas no Corn Belt - que ainda chegam em excesso e comprometem os trabalhos de campo - e os ajustes antes do novo boletim mensal de oferta e demanda que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz nesta quinta-feira, dia 11.

Além disso, a falta dos boletins de embarques semanais e de acompanhamento de safras que também não chegaram nesta segunda em função do feriado deixaram o mercado mais morno na CBOT.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 18/10
Vetanco participa do ACAV 2018 (14:46)
Chile reabre mercado para avicultura do RS (13:32)
SUÍNOS/CEPEA: exportação elevada sustenta preços no Brasil (10:15)
BOI/CEPEA: produtividade de carne por animal é maior em SP (09:44)
Adaptação veterinária (08:55)
Guerra comercial já eleva os preços na China (08:45)
BRF negocia acordo de leniência com MPF e CGU (08:14)
Agro olhou para eleição presidencial e esqueceu representantes do setor (08:11)
Soja: mercado no Brasil tem novo dia de pressão nesta 4ª e continua sentindo peso do câmbio (08:00)
Força-tarefa encontra três novos focos de peste suína no Ceará (07:28)
O frigorífico que produz carne de frango sem matar nenhuma ave (06:51)
Quarta-Feira, 17/10
Em Goiás, IOB prepara série de ações em parceria com a Associação Goiana de Avicultura (13:52)
Em MG, NECTA realiza 1º Dia do Ovo, com apoio do IOB (08:20)
Movimentação do Porto de Itajaí aumenta 81% em setembro (06:33)
Road Show Aves e Suínos da Boehringer fortalece a cadeia de proteína animal com conhecimento técnico (06:32)
Para ampliar exportação, setor de aves e de suínos vai à feira em Paris (06:31)
Importações chinesas de carne suína devem crescer 8% neste ano (06:10)
Soja: com previsão de melhora do clima nos EUA, mercado em Chicago ainda opera estável nesta 4ª (06:00)
Terça-Feira, 16/10
Da ABPA aos candidatos (09:18)
PF indicia Abilio Diniz e Pedro Faria no âmbito da Operação Trapaça (07:49)
Após relatório da PF, BRF defende tolerância zero e afasta 14 pessoas (07:48)
Milho fecha em alta na Bolsa de Chicago nesta 2a feira com clima adverso para colheita nos EUA (07:44)
Com demanda forte e clima adverso no Corn Belt, soja fecha com mais de 2%de alta em Chicago (07:40)
Plantio de soja evolui em ritmo acelerado em quase todo o país (07:39)
Brasil ganha mercado de soja na China, mas perde espaço para EUA na Europa (07:31)
MILHO/CEPEA: indicador recua quase 6% no acumulado do mês (07:30)
SOJA/CEPEA: dólar cai e pressiona valores internos da soja (07:29)
Segunda-Feira, 15/10
CBNA debate nutrição animal e produção sustentável de alimentos a partir de amanhã, no VIII CLANA, em Campinas, SP (13:29)
Programa Ovos RS: Atividades e Eventos (10:57)
Vetanco realiza Oficina de Trabalho em Carpina-PE (10:35)
Conheça a campanha Ovo Capixaba (10:32)
Da ABPA aos candidatos (09:19)
Agronegócio teme radicalismo e falta de experiência em equipe de Bolsonaro (08:15)
FRANGO/CEPEA: preços registram alta no atacado paulista (08:11)
SUÍNO/CEPEA: menor oferta para abate mantém preços estáveis na maior parte das regiões (08:07)
BOI/CEPEA: indicador oscila com força, mas acumula queda na parcial deste mês (08:05)
Projeções confirmam o peso do Brasil nas exportações de grãos (08:05)
Milho: mercado em Chicago ainda sente efeitos positivos do USDA e fecha em alta nesta 6ª feira (08:02)
Soja começa semana com estabilidade em Chicago nesta 2ª feira e foca colheita nos EUA (08:00)
Sexta-Feira, 12/10