Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2018
Matérias-Primas

Soja: preços voltam a cair no Brasil nesta 5ª feira e travam ainda mais negócios da nova safra
Campinas, SP, 11 de Outubro de 2018 - Nesta quarta-feira (10), os preços da soja terminaram os negócios na Bolsa de Chicago com baixas de mais de 10 pontos entre seus princpais contratos, refletindo as expectativas do mercado de números maiores que poderiam vir do novo boletim mensal de oferta e demanda que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz nesta quinta-feira, 11. Com esse movimento, o vencimento novembro/18 termimou o dia valendo US$ 8,52 por bushel, perdendo 10,75 pontos, enquanto o maio/19 ficou em US$ 8,92.

No Brasil, mais uma vez os preços da oleaginosa acompanharam a trajetória das cotações na Bolsa de Chicago e também finalizaram o dia perdendo força, principalmente no interior do país.

As baixas entre as principais praças de comercialização do país variaram entre 0,65% e 5,59% somente nesta quarta, como foi o caso do Oeste da Bahia, onde a saca fechou o dia com R$ 67,50 por saca.

Nos portos, os indicativos também caíram e Rio Grande finalizou os negócios com R$ 90,00 no disponível, perdendo 0,55%, enquanto a referência novembro/18 foi a R$ 91,00, com queda de 1,09%. A exceção foi o spot em Paranaguá, que teve alta de 1,11% - acompanhando o avanço do dólar - e fechou com R$ 91,00 por saca.

Nesta quarta, a moeda americana passou por um movimento de correção após duas baixas fortes consecutivas e fechou com alta de 1,42%, valendo R$ 3,7635. Além disso, a espera pela pesquisa Datafolha da noite desta quarta e mais algumas declarações do candidato Jair Bolsonaro contribuíram para esse movimento.

"Eu, chegando lá, vou procurar o governo para aprovar uma reforma da Previdência que tenha aceitação do Parlamento e a população entenda como sendo justa e necessária", disse Bolsonaro, aventando a possibilidade de aumentar o tempo de serviço do serviço público, segundo noticiou a agência Reuters.

Os negócios no Brasil continuam travados. A pressão do dólar e do tabelamento dos fretes, além de outras inseguranças que rondam a nova temporada mantêm os produtores afastados de novos negócios. Em alguns locais, essa recente baixa do dólar já tirou R$ 10,00 por saca dos preços da soja da safra nova.

Bolsa de Chicago

No mercado internacional, a pressão maior veio das expectativas de números maiores para a nova safra norte-americana que podem ser apresentados pelo USDA no boletim destas quinta.

No entanto, o analista de grãos do portal internacional DTN The Progressive Farmer, Todd Hultman, outros números que também irão merecer atenção são os das exportações norte-americanas, já que a dinâmica do comércio global mudou, principalmente no caso da oleaginosa.

Já para o analista de mercado Eduardo Vanin, da Agrinvest Commodities, o relatório poderia vir neutro para a soja. Segundo o executivo, uma revisão da produção e da produtividade parece não muito provável, apesar de ser essas as expectativas do mercado.

Por outro lado, Vanin acredita que o esmagamento nos EUA poderia ser revisado para cima - por conta das boas margens de esmagamento que são registradas por lá - bem como as exportações poderiam ser corrigidas para baixo. "Os chineses estão evitando ao máximo comprar soja por lá", diz, lembrando que ainda não há no front a possibilidade de um acordo entre China e Estados Unidos.

Para a produção norte-americana de soja, a média esperada pelo mercado é de 128,81 milhões de toneladas, em um intervalo variando de 125,82 a 133,08 milhões de toneladas. Em setembro, a safra dos EUA foi estimada pelo USDA em 127,72 milhões de toneladas.

A produtividade média esperada para esse novo reporte é de 59,85 sacas por hectare, em um intervalo de 58,28 a 61,64 sacss/ha. No último reporte, esse número veio em 59,17 scs/ha.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 12/12
Pioneirismo e inovação marcam 10 anos da Yes (10:12)
Exportações de carne bovina deverão bater novos recordes no ano que vem (08:41)
Embrapa fecha acordo com Sindan para pré-análise de novos produtos veterinários (08:40)
Granja do Cedro é destaque de pecuária no prêmio “As melhores da Dinheiro Rural” (08:40)
Safra pode repetir recorde com 238,4 milhões de toneladas (07:57)
Encontro de Avicultores premia os melhores da Integração Aurora/Cocari (07:56)
Assembleia Legislativa de Goiás homenageia dirigentes da Pif Paf Alimentos (07:54)
BRDE assina contratos de R$ 100 milhões com cooperativas paranaenses durante encontro da Ocepar (07:53)
A crescente preocupação com ectoparasitas e os prejuízos econômicos causados por estes (07:50)
Milho: Bolsa de Chicago segue tendência do dia e fecha terça-feira com pouca movimentação (07:50)
Além do enriquecimento de ovos, selênio apresenta benefícios produtivos (07:48)
Aviagen Estreia “I Escola de Incubação” da América Latina (07:25)
Terça-Feira, 11/12
Cresce dependência do agronegócio brasileiro das importações chinesas (08:06)
Milho: cotação da Bolsa de Chicago encerra segunda-feira próxima da estabilidade (08:03)
Soja: Brasil fecha o dia com estabilidade com recuo de Chicago e dos prêmios (08:00)
Mercado do boi gordo apresenta cenários distintos (07:58)
Inaugurado laboratório de referência em Campinas (07:55)
Segunda-Feira, 10/12
Sexta-Feira, 07/12
Cresce mobilização de caminhoneiros por nova paralisação (16:15)
Conferência FACTA WPSA-Brasil 2019 já tem data e temas definidos (12:52)
Qualidade de água é tema de palestra da Vetanco (09:50)
Cobb-Vantress premia melhores lotes da região Nordeste (09:07)
NUCLEOVET apresenta planejamento 2019 em evento em SP (09:03)
FRANGO/CEPEA: exportações recuam, mas valores da carne sobem em novembro (08:14)
Início de dezembro apresenta maior firmeza nas cotações do boi gordo (08:04)
Milho: Bolsa de Chicago fecha quinta-feira com leves baixas (08:00)
A pedido da CNA, STF suspende multas pelo descumprimento da tabela do frete (07:37)
Paraná desburocratiza processo de licenciamento ambiental (07:30)
Depois do frango, Marrocos libera importação de carne bovina dos EUA (06:28)
Quinta-Feira, 06/12
Avicultura gaúcha sofre após desabilitação de unidades de abate (23:34)
“Conexão Aviagen” promove o crescimento e o sucesso do Ross 308 AP (08:50)
SUÍNOS/CEPEA: em novembro, média do vivo é a maior em 2018 em muitas regiões (08:28)
BOI/CEPEA: diferentes necessidades seguem resultando em oscilação do indicador (08:20)
Efeito da trégua entre EUA e China já é menor sobre commodities agrícolas (08:15)
Boi Gordo: preço sobe em São Paulo (08:10)
Milho: Bolsa de Chicago fecha quarta-feira com preços do milho estáveis (08:05)
Soja: Chicago estável e prêmios em queda levam disponível em Paranaguá aos R$ 79 nesta 4ª feira (08:00)
PIB do agronegócio do Brasil deve crescer 2% em 2019, prevê CNA (07:23)
SC aumenta exportação de frango em 14% e a de suínos em 33,6% (07:21)
Licenciamento ambiental em São Paulo para a avicultura (07:19)