Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2019
Exportação

O que significa a pretensão de Bolsonaro de transferir a embaixada do Brasil em Israel para Jerusalém
Porto Alegre, 05 de Novembro de 2018 - O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) confirmou, nesta quinta-feira (1º), que pretende transferir a embaixada brasileira em Israel de Tel-Aviv para Jerusalém. O anúncio do capitão da reserva foi publicado em sua conta oficial no Twitter e reforçado em entrevista coletiva no Rio de Janeiro.

Se confirmar a mudança, Bolsonaro vai seguir os passos do governo de Donald Trump, que promoveu a realocação da embaixada dos Estados Unidos para Jerusalém em maio deste ano. O ato causou confrontos violentos na Faixa de Gaza, que deixaram cerca de 60 mortos.

A decisão de Trump também foi seguida pela Guatemala. O Paraguai alinhou seu posicionamento com o do governo norte-americano, mas voltou atrás.

Reconhecimento

Caso confirme a mudança na localização da embaixada em Israel, o governo de Bolsonaro estará reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel, criando atrito com a Palestina e com outros países árabes. Os palestinos pretendem transformar Jerusalém Oriental na capital de seu futuro Estado independente. Na coletiva desta quinta, Bolsonaro disse não ver clima pesado na medida.

— Nossa segurança em primeiro lugar. Essa questão da embaixada, se o Brasil mudar, eu não vejo um clima pesado. Não é uma questão de vida ou morte. Temos todo o respeito com Israel e com o povo árabe — disse.

A Organização das Nações Unidas (ONU) e a maioria da comunidade internacional não reconhecem Jerusalém como capital de Israel. Após Trump anunciar a mudança da localização da embaixada, a ONU defendeu que o status de Jerusalém deve ser decidido por uma "negociação direta" entre israelenses e palestinos, reiterando que sempre foi "contra toda medida unilateral".

No entendimento do embaixador aposentado Luiz Augusto de Castro Neves, vice-presidente emérito do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), caso o gesto de Bolsonaro se confirme, demonstrará uma "guinada exótica" na política internacional brasileira.

— O principal impacto seria o afastamento do Brasil de suas tradições diplomáticas, que foram sempre de apoiar a resolução da ONU. Seria um gesto exótico, porque não somos um ator importante no Oriente Médio — afirmou o embaixador aposentado.

Neves entende que a possível medida de Bolsonaro traria mais vantagens para o governo de Israel, que teria mais uma nação reconhecendo Jerusalém como capital do país, do que para o Brasil. O vice-presidente afirmou que a transferência de embaixada geraria manifestações de países árabes na ONU e causaria desgaste político na relação do Brasil com essas nações, mas não implicaria sanções comerciais. O mercado árabe é um dos principais importadores de carne de frango do Brasil.

Atrito com a Palestina

Durante a campanha, Bolsonaro afirmou a intenção de retirar a embaixada palestina de Brasília. Na época, o então candidato à Presidência afirmou que a representação diplomática não pode existir na capital federal porque "a Palestina não é um país". Não foram anunciadas novas medidas sobre esse tema desde o último domingo.
(ZERO HORA) (ANDERSON AIRES)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 16/01
Terça-Feira, 15/01
FRANGO/PERSPEC 2019: após ano difícil, cenário sinaliza recuperação para 2019 (11:27)
OVOS/PERSPEC 2019: excesso de produção pode limitar ganho; produtores devem ter cautela em 2019 (11:25)
SUÍNOS/PERSPEC 2019: exportação e custo menor podem garantir ano mais positivo (11:23)
BOI/PERSPEC 2019: após exportação recorde em 2018, setor aposta em demanda interna em 2019 (11:21)
Foto de ovo tem o maior número de “curtidas” do mundo (07:39)
Redes de fast-food não se comprometem com bem-estar de frangos, diz ONG (07:38)
eSocial: o que o empregador PF precisa saber sobre CAEPF (07:37)
Baixa demanda por carne bovina mantém mercado do boi com pouca movimentação (07:20)
Importações chinesas de soja recuaram 8% em 2018 (07:18)
Soja testa leves altas em Chicago nesta 3ª feira corrigindo as últimas baixas (07:17)
Segunda-Feira, 14/01
Cooperativa Lar apresenta planos de desenvolvimento para 2019 (12:49)
MILHO/CEPEA: preços apresentam comportamento distinto dentre as regiões (10:33)
SOJA/CEPEA: desvalorização do dólar frente ao real pressiona cotações internas (10:31)
Empresas de proteína animal buscam aproximação com pasta da Agricultura (08:30)
Mesmo com Carne Fraca, Brasil lidera vendas à UE (08:18)
Empreitada da BRF na Argentina deixa R$ 1,2 bi em perdas (08:10)
Oferta maior que a demanda no mercado de ovos (08:06)
Boi Gordo: escalas de abate confortáveis, mas pressão de baixa não é generalizada (08:03)
Para evitar risco de desabastecimento, China deve triplicar compras de milho (08:01)
Soja recua em Chicago nesta 2ª feira realizando lucros e refletindo menores importações da China (08:00)
Sexta-Feira, 11/01
FRANGO/CEPEA: poder de compra segue pressionado neste início de 2019 (09:22)
OVOS/CEPEA: preços iniciam 2019 em queda (09:20)
Cooperativas engajadas no desenvolvimento catarinense (08:00)
BRF conclui venda de ativos na Argentina e arrecada R$ 560 milhões (07:45)
Boi Gordo: recuo na demanda reflete em desvalorização da arroba (07:42)
Milho: Bolsa de Chicago encerra quinta-feira com quedas de 5 pontos (07:32)
Soja fecha com baixas de dois dígitos em Chicago nesta 5ª feira (07:30)
Quinta-Feira, 10/01
C.Vale inicia calendário de eventos promovendo mais uma edição de seu tradicional dia de campo (11:39)
SUÍNOS/CEPEA: embarques de carne suína voltam a recuar em dezembro (09:31)
BOI/CEPEA: 40% das exportações brasileiras são destinadas para Hong Kong e China (09:30)
Conab divulga novo estudo da safra de grãos e estima que produção será de 237,3 milhões de toneladas (09:28)
China pode comandar mercado mundial de aves (08:18)
Financiamento da produção aumentou 14% em relação ao semestre anterior (08:16)
Milho: preços em alta na Bolsa de Chicago (08:05)
Soja: novas altas em Chicago (08:00)
Mercado do boi sem viés definido (07:50)
Parceria com empresa alemã pode tornar Toledo (PR) referência em biogás (07:36)
Saiba como usar a tecnologia no Agro a seu favor (07:35)
Nestlé lança seu primeiro hambúrguer sem carne (07:31)
Criadores de Rondônia compram mais de 1,5 mil toneladas de milho (07:30)
Cooperativa Languiru apresenta projeto de expansão da avicultura (01:38)
Hambúrguer vegano "que sangra" agora tem versão sem glúten e com 240 calorias (01:32)
Uso de xilanase para melhoria da funcionalidade de fibras nos monogástricos é defendida pela AB Vista (01:30)