Sexta-feira, 22 de Março de 2019
Mercado

Indústria de alimentos prevê avanço de até 4%
São Paulo, SP, 14 de Fevereiro de 2019 - As indústrias de alimentos fecharam o ano de 2018 com crescimento real de 2,08%, atingindo um faturamento de R$ 656 bilhões, informou ontem a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia). Para 2019, a previsão da entidade é de um aumento real (descontando a inflação) de 3% a 4% nas vendas.

"Alguns fatores condicionaram positivamente o desempenho do setor de alimentos, como o saldo de emprego que ficou positivo em 0,5%. Importante também destacar a força do setor, que registrou uma contribuição significativa na balança comercial brasileira, respondendo por 50,3% do saldo total", afirmou em comunicado João Dornellas, presidente executivo da Abia.

Para a entidade, se forem feitas as reformas previdenciária e tributária, haverá maior estímulo ao empreendedorismo e à produtividade e a expectativa é de recuperação em todos os setores da economia.

No ano passado, as vendas das fabricantes de alimentos no mercado interno cresceram 4,3% e representaram 80% do total. A projeção para 2019, somando-se as vendas no varejo e no segmento de alimentação fora do lar (bares e restaurantes), é de uma expansão entre 6,5% a 8%.

A produção física registrou, no total, uma queda de 3,4% no ano passado. A retração foi puxada, principalmente, pelos seguintes itens: açúcar (com recuo de 16,4%); café, chá e cereais (com queda de 5,8%); e proteína animal (redução de 1,9%). Para 2019, a previsão é de aumento de 2,5% a 3% no volume produzido.

A Abia informou, ainda, que as exportações de alimentos industrializados apresentaram queda de 9,8% em 2018, chegando a US$ 35,1 bilhões. O setor registrou retração nos embarques para mercados como Oriente Médio, África, América do Norte e Rússia. Entre os destinos que mais cresceram estão a China, que elevou em 37,6% as compras do Brasil em 2018, para US$ 3,30 bilhões.

Para este ano, a Abia projeta exportações de US$ 40 bilhões, com crescimento de 14% sobre 2018.

No ano passado, as indústrias de alimentos instaladas no Brasil geraram 13 mil postos de trabalho, chegando a 1,61 milhão de empregos diretos. Para 2019, a estimativa é de um crescimento de 2% a 3% nesse total. O setor é formado por 35,7 mil empresas. Juntas, elas respondem por 26,8% dos empregos da indústria de transformação.

(Valor) (Cibelle Bouças)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 22/03
Quinta-Feira, 21/03
Suínos: demanda mantém preços elevados em SP (10:04)
Boi Gordo: abates aumentam 3,5% frente à 2017; volume é o maior desde 2014 (10:01)
Para reflexão do setor: NotCo chega ao Brasil com sua maionese sem ovo (09:19)
Missão do USDA que avaliará carne bovina será agendada esta semana (08:41)
Abate de suínos aumenta 61% em 11 anos, afirma IBGE (08:18)
ECPP fecha parceria com a Gujão Alimentos (08:04)
PIB do Agro fecha 2018 com estabilidade (07:28)
Tereza Cristina diz que agro precisa de investimentos em infraestrutura (07:26)
Suíno Vivo: estabilidade nas cotações (07:07)
Cotações da arroba do boi gordo em alta (07:05)
Milho fecha a 4ª feira estável em Chicago (07:03)
Soja recua mais de 1% nos portos do Brasil (07:00)
Quarta-Feira, 20/03
Evonik lança novo método rápido e confiável para avaliar a qualidade de matérias-primas (13:42)
Cinergis Agronegócios realiza sua II Reunião Técnico-Comercial (12:41)
EUA vão informar em três dias quando virão ao Brasil inspecionar frigoríficos para liberar importação de carne bovina (12:32)
Funrural: terra de ninguém (11:47)
Proposta traz ganhos, mas adesão parece rápida demais (11:15)
Da Unitá para o mundo (10:43)
Deputados paulistas articulam bancada do agronegócio na ALESP (10:42)
SC: exportações do complexo soja aumentam 58% em 2019 (09:10)
China recusa habilitação de frigoríficos (08:20)
Estados Unidos mandarão equipe de inspeção ao Brasil para autorizar importação de carne in natura (08:15)
Suíno Vivo: altas em SP e em SC nesta terça-feira (19) (07:23)
Boi Gordo: mercado segue firme (07:22)
Em poucos dias começa o Congresso de Ovos da APA (07:17)
Milho fecha a 3ª feira com resultados misturados (07:05)
Soja fecha mais uma vez estável em Chicago (07:00)
Terça-Feira, 19/03
Exportações do agronegócio renderam US$ 7,2 bi em fevereiro (13:26)
Grupo Mantiqueira apresenta produto vegano e outras novidades na Super Rio Expofood (13:17)
Yes amplia estrutura comercial visando crescimento nos mercados nacional e internacional (13:10)
Embrapa: custos de produção de suínos e frangos de corte caem em fevereiro (12:27)
Concurso de Qualidade de Ovos 2019 acontecerá durante a 5ª FAVESU (08:23)
IEA divulga a estimativa da Produção Animal do Estado de São Paulo, em 2018 (08:21)
Nos EUA, redução de peso melhora lucro do frango (08:05)
Macedônia do Norte quer aumentar importação de frango do Paraná (08:04)
Produção paulista de frango caiu 11,1% em 2018 (08:00)
Boi Gordo: segunda quinzena começa com preços em alta (07:45)
Exportação de soja ultrapassa US$ 2,5 bi em fevereiro (07:40)
Soja tem pequenas baixas em Chicago nesta 3ª feira (07:29)
Milho desvalorizado em Chicago nesta segunda-feira (07:20)
Segunda-Feira, 18/03
Carnes necessitam de um marketing proativo, segundo analistas do setor (14:26)
Exportação de carne é principal tema na agenda de Tereza Cristina nos EUA (14:21)
Vetanco estará presente ao SBSA 2019 (14:14)
Estoque de soja elevado nos EUA reduz patamar de negócios no Brasil (10:00)
Milho: possível maior oferta pressiona valores internos (09:47)
Com Brexit, carne e açúcar do Brasil perdem fatia na União Europeia (08:24)
Declaração de chanceler sobre China gera mal-estar com o agronegócio (08:21)
Soja recua em Chicago nesta 2ª feira (08:00)
Acordo EUA-China e o agro brasileiro (07:05)
Peste na China causa disrupção no mercado de carnes e leva à disparada de BRF e JBS na bolsa (07:04)
A força do frango (07:03)