Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019
Análise

Primeiros cem dias de Bolsonaro desafiam agro a contornar viés ideológico

Atuação de lideranças do setor evita, no entanto, maiores estragos na balança.
São Paulo, SP, 09 de Abril de 2019 - Nestes primeiros cem dias de governo, o agronegócio vem sendo constantemente chamuscado pelos disparos verbais do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Mais de uma vez, o setor sofreu as consequências de discussões laterais, como a possibilidade de mudança da embaixada brasileira de Israel para a cidade de Jerusalém ou o temor da presença chinesa na economia brasileira.

A carga ideológica que vem dominando o novo governo colocou em alerta vários países de peso nas importações de produtos brasileiros. Atritos comerciais drásticos só não ocorreram porque o próprio setor do agronegócio, grande apoiador do presidente, o advertiu dos riscos, fazendo-o sempre voltar atrás.

Uma da primeiras discussões tratou de uma possível extinção do Ministério do Meio Ambiente, o que gerou preocupação entre os europeus, para quem as regras de sustentabilidade na produção são cada vez mais uma exigência.

As normas ambientais dos europeus são motivo de discussão entre os
produtores brasileiros, mas não se pode pôr em risco a relação comercial com a Europa.

Neste primeiro trimestre, os europeus compraram o correspondente a US$ 3,8 bilhões do Brasil em produtos do agronegócio e foram responsáveis por 19% dos US$ 19,9 bilhões que o país exportou, conforme dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

Outra ameaça de atrito que o presidente teve de amenizar foi o fato de ter acusado a China, durante a campanha eleitoral, de estar comprando o Brasil.

Os chineses ficaram com 33% do que o Brasil exporta no setor do
agronegócio de janeiro a março último. Eles gastaram US$ 6,6 bilhões nesse setor no país.

Líderes na compra de soja brasileira —eles levam 76% do que o Brasil exporta—, os chineses ganham importância também nas carnes. Ficaram com 20% das proteínas animais comercializadas pelo Brasil no exterior nos três primeiros meses deste ano.

Também se tornaram importantes para os setores de algodão e de celulose, adquirindo 24% e 39%, respectivamente, do que o país exporta.

Um dos eventos mais rumorosos foi a especulação sobre a mudança da
embaixada em Israel.

Naturalmente, a medida não é bem-vista pelos árabes, parceiros importantes do agronegócio brasileiro. Por ora, a promessa é apenas abrir um escritório de representação comercial.

De janeiro a março, o Oriente Médio deixou US$ 1,7 bilhão no país com compras no setor de agronegócio. Levou 26% das carnes brasileiras, 16% dos cereais e 15% do açúcar.

À distância, a ministra da Agricultura, Teresa Cristina, não se meteu em confusão e teve apenas de administrar as trapalhadas do governo.

SEDE CHINESA

Após o Brasil saciar o apetite chinês com as vendas de soja e de carnes, chegou a vez de ajudar a matar a sede dos asiáticos. Em fevereiro, eles, que já são os maiores importadores de soja e carne do Brasil, lideraram as importações de suco concentrado de laranja, o que garantiu a segunda posição ao país no acumulado do trimestre. A liderança é da Bélgica, porta de entrada para a Europa. O consumo no país asiático cresce (183% de 2003 a 2017) e abre oportunidades ao Brasil.
(Folha de São Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 16/10
Terça-Feira, 15/10
Sistema de autocontrole do Mapa tem indústria de proteína animal entre suas prioridades (13:32)
Sanphar adquire laboratório mineiro de vacinas Ipeve (10:07)
Membros da ABPA são homenageados no OVUM 2019 (10:05)
Soja opera estável nesta 3ª em Chicago (08:09)
Suíno Vivo: principais praças do país registram altas (07:21)
SP registra valorização do boi gordo (07:11)
Carne Bovina: dados do MDIC reforçam possibilidade de exportações recordes em outubro (07:10)
VBP da agropecuária fica estável em 2019 (07:09)
Milho começa nova semana estável em Chicago (07:07)
Soja fecha com leves altas em Chicago nesta 2ª e mercado espera definições (07:06)
Tamanho da demanda chinesa vai definir rumo dos preços da soja em Chicago (07:00)
BRF tem 44 vagas de trainee com salário de R$ 6.500; inscrição vai até 3/11 (06:17)
Segunda-Feira, 14/10
Auster Nutrição Animal participa do Ciclo de Palestras e Atualização Avícola, em Sergipe (11:21)
Instituto Ovos Brasil e Fazenda da Toca participam do Congresso de Nutrição Comportamental (09:56)
Ovos: exportações recuam para menor patamar desde novembro (09:55)
Milho: preços se mantém em alta (09:54)
Soja: atividades de semeio avançam; vendedor está retraído (09:53)
Ovos: avicultura gaúcha se mobiliza para criação de selo nacional de qualidade (09:51)
Produzir aves sem antibióticos exige tempo de aprendizagem, diz executivo (09:11)
Pedido de painel contra UE na OMC volta à pauta (09:08)
Soja: mercado inicia semana com estabilidade em Chicago (08:05)
Milho se recupera de perdas para fechar a semana em alta (08:00)
Suíno Vivo: PR, SC e SP registram alta na sexta-feira (07:54)
Boi: mercado de novilhas aquecido (07:52)
Sexta-Feira, 11/10
Evonik tem novo presidente para a região América Central e do Sul (16:04)
YAMI - Youth Agribusiness Movement International encerra sua primeira edição e amplifica presença do jovem no agronegócio (16:02)
Primeiro substituto de ovos do Brasil é um dos destaques da Superminas Food Show 2019 (16:00)
SP: Preços Agropecuários acumulam alta de 0,43% em setembro (15:46)
Contratações de crédito rural nos três primeiros meses da Safra 2019/2020 somam R$ 59 bilhões (12:26)
Globo Roraima e Semana do Ovo: Ação em escola de Boa Vista (11:55)
Ciclo de Palestras e Atualização Avícola será realizado em Outubro (11:02)
Cobb-Vantress promove palestra e coquetel no OVUM 2019 (10:40)
Programa Ovos RS em Portugal: Receita de Bacalhau Gratinado (10:29)
Frango: queda no preço do frango eleva competitividade (10:23)
Milho abre a sexta com alta em Chicago, se reajustando após grandes perdas de ontem (10:20)
Hedge em dólar e China ajudarão a garantir investimentos da Aurora (09:22)
Políticos do Oeste de SC debatem licenciamentos ambientais (09:22)
Um ovo, dois ovos, milhões de ovos em Pernambuco (09:16)
Suíno Vivo: principais praças do país registram alta (09:05)
Mercado de carne bovina em alta (09:00)
Quinta-Feira, 10/10
Faltam 27 dias para o VI Workshop Sindiavipar (15:54)
Safeeds participa da Ovum em Lima (14:11)
Safra de grãos 2019/20 indica produção de 245 milhões de toneladas, divulga Conab (12:00)
Suínos: preços do animal vivo sobem, mas os da carne recuam (11:36)
Boi: embarque segue intenso (11:35)
Investimentos da Aviagen em novas unidades no Sul do Brasil fortalecem qualidade e segurança no fornecimento de aves (11:30)
Frigorífico de suínos da Aurora em Chapecó é duplicado e torna-se o maior do Brasil (11:26)
Exportação de milho continua em alta e soma US$ 1,1 bi em setembro (11:25)
Governo institui Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão e Digital (11:24)
Ovos RS apresenta, de Portugal, Pão de Rala (10:34)
Grandes empresas pressionam preços do milho (06:39)
Aracaju sedia ciclo de palestras sobre atividade avícola (06:37)