Sábado, 20 de Abril de 2019
Matérias-Primas

USDA vê oferta global de milho ainda mais confortável
São Paulo, SP, 10 de Abril de 2019 - Com a safra americana de 2018/19 já encerrada, as novas projeções de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) não trouxeram grandes surpresas ontem, confirmando um cenário mais confortável para a oferta de milho.

O USDA elevou em 6,2 milhões de toneladas a estimativa para a produção global de milho, para 1,107 bilhão de toneladas. O aumento reflete, principalmente, a maior produção calculada para o Brasil - cuja estimativa subiu em 1,5 milhão, para 96 milhões de toneladas - e a Argentina - estimada em 47 milhões de toneladas, 1 milhão de toneladas a mais do que previsto em março. Na Argentina, a colheita do cereal ainda engatinha, enquanto, no Brasil, a safra de inverno acabou de ser semeada.



A perspectiva para o consumo global de milho permaneceu praticamente estável, em 1,1 bilhão de toneladas, e a estimativa para os estoques finais aumentou 5,5 milhões, a 314 milhões de toneladas. A relação entre estoques e consumo de milho está estimada em 27,7% ao fim de 2018/19. Na safra 2017/18, a relação estava em 31,3%.

Embora a relação entre estoque e consumo de milho no mundo esteja caindo, resultado de consumo maior, os números confirmaram o que já está sendo notado na bolsa de Chicago: a competição ficou mais acirrada para o exportador de milho americano. Os EUA, maior produtor mundial do cereal, têm enfrentado uma forte rivalidade com a produção vinda da América do Sul e da Ucrânia.

A estimativa combinada de exportação da Argentina, Brasil e Ucrânia representa 54% das exportações esperadas para a temporada 2018/19. Na safra 2017/18, a proporção desses países era de 44%.

E essa competição tem pressionado as cotações em Chicago. No ano, segundo o Valor Data, os contratos de segunda posição acumulam queda de 3,8%.

O USDA não trouxe alterações significativas para a soja. Analistas esperavam um aumento nos estoques americanos, mas o órgão ajustou para baixo a estimativa, que passou de 24,49 milhões para 24,37 milhões de toneladas. Para o Brasil, segundo maior produtor e maior exportador da oleaginosa, o USDA projetou safra de 117 milhões de toneladas, 500 mil toneladas a mais do que em março.

Para o trigo, o USDA surpreendeu com um corte de 2,94 milhões de toneladas na projeção para a demanda mundial. O número projetado para a temporada agora é de 739,15 milhões de toneladas. Segundo o USDA, a queda no consumo ocorrerá, principalmente, no Irã e na União Europeia, em virtude da queda das cotações do milho - matéria-prima concorrente na produção de ração animal.

As previsões de oferta e demanda de algodão nos EUA em 2018/19 também surpreenderam, mostrando menor consumo e estoques finais maiores em relação às estimativas de março. Com 674 mil toneladas estimadas, o consumo americano de algodão deve atingir o menor nível em muitas décadas. Os estoques finais agora estão previstos em 958 mil toneladas, aumento de 2,3% frente a projeção anterior.

(Valor) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 20/04
Sexta-Feira, 19/04
Quinta-Feira, 18/04
Frango: preços da carne sobem com força em Abril (11:16)
Suínos: carcaça se mantém estável e ganha competitividade frente ao frango (11:15)
Boi Gordo: oferta limitada mantém indicador firme neste ano (11:14)
Prévia do IGP-M consolida desaceleração dos preços (10:54)
Bahia: Deputada e Secretário de Agricultura se reúnem com Secretário Nacional de Defesa Agropecuária (10:50)
Fiscais agropecuários gaúchos farão treinamento em boas práticas e bem-estar animal (10:46)
Cobb dos EUA faz intervenção na filial brasileira (07:53)
O perigo de mexer com o Irã (07:39)
Boi Gordo: indústrias estão com dificuldade de compras (07:20)
Incerteza sobre o plantio americano mantem milho 1 cent mais baixo em Chicago (07:18)
Soja dá continuidade ao movimento de baixa e perde mais 10 pontos em Chicago (07:15)
Paraíba: governo promove cursos de avicultura e incentiva produção no estado (00:34)
Crise diplomática é desafio para o setor (00:33)
Quarta-Feira, 17/04
Custos de produção de frangos de corte aumentam em março (13:30)
Biocamp – êxito em sua participação no Simpósio Brasil Sul de Avicultura (13:08)
Cobb promove seminário sobre inspeção sanitária em parceria com a ABPA e com o MAPA (11:35)
FAO prevê avanço menor da demanda por commodities (08:54)
Valor da Produção Agropecuária é de R$ 588,8 bilhões (08:50)
MSD Saúde Animal promove primeiro Programa de Residência do agronegócio do Brasil (08:49)
Vetanco presente no Simpósio Brasil Sul de Avicultura (08:47)
Ceva apostou em ação solidária inédita durante o Simpósio Brasil Sul de Avicultura (08:46)
SINDAN integra-se ao Sistema de Logística Reversa de Embalagens (08:34)
MAPA e ABPA definem ações de prevenção à Peste Suína Africana (08:24)
Mercado do boi gordo diminui o ritmo de altas (08:22)
Mercado do Boi Gordo estaciona em SP por abates mais esticados e influência do MS (08:19)
Soja fecha com mais de 10 pts de baixa em Chicago (08:16)
Incertezas com clima e negociações deixam cotações do milho em Chicago mais baixas nessa terça-feira (08:07)
Terça-Feira, 16/04
Asgav e Ovos RS convidam a todos para o Conbrasul 2019 (14:00)
Ministério prevê valor da produção agropecuária do país de R$ 588,8 bi (09:02)
Suspensão de abates pela BRF deixa avicultores do Paraná apreensivos (07:06)
Rússia adia inspeção de abatedouros brasileiros (07:05)
Santa Catarina busca apoio federal para melhorias na Rota do Milho (00:07)