Sexta-feira, 15 de Novembro de 2019
Análise

Plantio de milho avança nos EUA, o que é bom para o sojicultor brasileiro

Clima melhora, e produtor americano semeia o cereal, diminuindo a chance de elevar a área de soja.
São Paulo, SP, 23 de Abril de 2019 - Apesar de toda a inundação de que foram vítimas em março, os produtores americanos já semearam 6% da área que será destinada ao milho, um percentual próximo do de 2018.

O solo ainda não é o ideal, mas está mais aquecido, e os produtores acreditam que a germinação do cereal será normal. O plantio do milho se iniciou na primeira semana de abril, atingirá o pico na primeira de maio e terá de ser feito até a primeira de junho.

Se não consegue semear o milho dentro dessa janela de tempo, o produtor aciona o seguro ou opta pela soja. O plantio ideal desta começa na terceira semana de abril, atinge o pico na última de maio e termina na primeira de julho.

Uma eventual alta na área de soja nos Estados Unidos afetaria muito o produtor brasileiro. O Usda (Departamento de Agricultura) estima, por ora, uma redução de 1,9 milhão de hectares na área de soja.

Se o produtor de milho ocupasse essa área com soja, devido a impedimentos no plantio do cereal, a produção da oleaginosa seria maior, conturbando ainda mais os preços internacionais.
O Usda ainda não tem dados de produção de soja para 2019/20. Com uma área prevista de 34,2 milhões de hectares —1,9 milhão menos do que na safra 2018/19—, a produção ficaria próxima de 113 milhões de toneladas, segundo Daniele Siqueira, da AgRural.

Mesmo com essa queda de produção — a do ano anterior foi de 123,7 milhões de toneladas—, os estoques finais dos americanos seriam de 22 milhões em agosto de 2020.

Se o total de 1,9 milhão de hectares de redução de área de soja voltasse para o cultivo da oleaginosa, a produção aumentaria para 120 milhões de toneladas, considerando a linha histórica de produtividade.

Nesse caso, os estoques subiriam para 28 milhões em 2020, e os preços cairiam ainda mais. Com tanta soja, os produtores certamente não pagariam as contas.

ABRIL AQUECIDO

As exportações brasileiras de soja deverão superar os 10 milhões de toneladas neste mês, repetindo o mesmo desempenho registrado pela oleaginosa nos meses de abril de 2016 a 2018. As vendas externas dos primeiros meses deste ano continuam aquecidas, como as de 2018, mas o país não terá o mesmo volume para exportar neste ano. A Abiove (associação das indústrias) estima uma queda das receitas externas para US$ 32 bilhões neste ano para o complexo soja, após o recorde de US$ 41 bilhões em 2018.

Demanda maior

O volume exportado de carnes teve um bom impulso neste mês, em relação a abril de 2018. O de carne bovina cresceu 52%, e o de carnes de frango e de suínos aumentou 31% e 27%.

Preços

Os preços, porém, principalmente os da carne bovina, recuaram, segundo a Secex. O valor médio da tonelada de carne bovina está em US$ 3.739 neste mês, com queda de 7% em relação a abril de 2018.

Argentina

O governo estima uma safra recorde de grãos neste ano: 145 milhões de toneladas. O volume será atingido graças a uma recuperação da produção de soja e de aumentos nas de milho e de trigo.

Escala vertical

A febre suína na China provocará mudanças no sistema de produção de ração. Haverá uma concentração da produção em larga escala para garantir a segurança dos alimentos.
(Folha de São Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 15/11
Quinta-Feira, 14/11
Guerra comercial entre EUA e China pode beneficiar o Brasil, dizem especialistas (17:07)
Boi: arroba e carne no atacado atingem patamares recordes (12:17)
A empresa de 65.000 famílias que concorre com BRF e JBS (11:24)
China suspende proibição de importação de carne de aves dos EUA (10:43)
China habilita terceirizado da BRF (10:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (10:03)
JBS tem lucro líquido no 3tri19 de R$ 356,7 milhões, revertendo prejuízo (09:45)
ABPA e Apex-Brasil promovem ação em evento de autoridades sanitárias da China (09:42)
China habilita terceirizado da BRF (09:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (09:04)
Frango: com maior liquidez, preço da asa atinge recorde (08:30)
Suínos: valor do leitão é recorde nominal (08:20)
Soja tem 5ª feira de pouca movimentação na Bolsa de Chicago, buscando direção (08:10)
Milho perde força em Chicago e reverte ganhos (07:39)
Soja: demanda interna paga melhor que a exportação na safra velha (07:38)
Quarta-Feira, 13/11
Investindo na avicultura latino-americana, Vaccinar patrocina VI Workshop Sindiavipar e apresenta palestra sobre performance reprodutiva de galos (14:39)
BRF avalia aquisições na Turquia para aumentar produção local (11:39)
Soja: mercado em Chicago se mantém inerte nesta 4ª feira (09:22)
Conab prevê novo recorde para safra brasileira de grãos com 246 milhões de t (08:23)
Ministra defende uso de tecnologia na agropecuária brasileira para ampliar mercado. (08:18)
Resultados comprovados impulsionam as vendas da Oceana para premixeiras, cooperativas e fábricas de rações (08:05)
Frango: mercado atacado fecha terça-feira com alta de 3,81% (07:59)
Suínos: boas notícias para o setor aquecem cotações (07:57)
Com maior oferta e consumo em queda, preços da carne suína recuam na China (07:56)
USDA: colheita da soja e do milho ficam ligeiramente acima do esperado nos EUA (07:53)
Milho: preços sobem mais de 1% na B3 e mais de 3% no interior do Brasil nesta 3ª feira (07:51)
Soja precisa de notícias fortes sobre a demanda da China para se recuperar em Chicago e formar preços melhores no BR (07:49)
Novo leilão da CONAB oferta 50 mil toneladas de milho a criadores (07:07)
Terça-Feira, 12/11
Mais 13 frigoríficos brasileiros podem exportar carne para a China (15:54)
Abate de bovinos cresce 4% no 3º tri, diz IBGE; China impulsiona carnes do Brasil (14:32)
ABPA comemora novas habilitações de frigoríficos de aves e suínos (13:23)
Em 10 meses, exportações catarinenses de carne suína superam o faturamento de 2018 (13:21)
Milho: área plantada no verão deve crescer de 2% a 4% em 2019/20, prevê Abramilho (12:00)
Habilitação de frigoríficos é sinal de maior aproximação com árabes, diz executivo (08:03)
Arábia Saudita habilita oito novos frigoríficos brasileiros para exportação de carne bovina (06:05)
Emirados compram 175% mais carne bovina do Brasil (06:02)
Frango: alta apenas no atacado marca começo da semana com cotações mornas em demais setores (05:54)
Suínos: mercado fecha sem variação nesta segunda-feira (05:52)
Boi Gordo: poucos negócios nesta segunda feira (05:50)
Boi: mercado físico abre a semana com forte especulação altista (05:49)
Milho: Bolsa de Chicago encerra sessão com baixas nesta 2ª feira (05:46)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Segunda-Feira, 11/11
Encontre o time da APC no CBNA 2019 (11:45)
Exportações do agronegócio são recordes, mas faturamento externo cai (11:39)
Milho: demanda interna aumenta e impulsiona cotações (10:49)
Soja: grão se valoriza e indústria reduz processamento (10:47)
Vetanco Brasil reforça sua equipe técnica (10:29)
Soja começa semana operando em baixa na Bolsa de Chicago de olho na guerra comercial (10:18)
Ovos: exportações aumentam; no Brasil, pressão compradora limita altas (09:39)
Mercado de frango encerra a sexta-feira sem alterações expressivas (08:15)
Na B3, vencimento Dezembro/19 para o boi gordo encerra a 6ª feira a R$ 194,50/@ (08:05)
Receita das exportações de carne suína cresce 38,4% em outubro (08:00)
Milho sobe em Chicago na 6ªfeira após USDA reduzir safra, produtividade e exportações (07:36)
UFRA-PA abre processo para contratação de professores substitutos (02:46)