Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019
Exportação

Com influências de plantio, dólar e até peste suína, negociações de commodities se complicam

Mercado precisa de um novo jeito, de observação e de métodos, segundo Fernando Muraro, da AgRural.
São Paulo, SP, 17 de Maio de 2019 - O mercado de commodities atualmente tem alguns fatores imponderáveis. A simplicidade do acompanhamento da oferta e da demanda das commodities já não é suficiente para uma avaliação do setor.

Dinheiro em excesso no mundo e facilidades nas comunicações trouxeram uma “financeirização” ao mercado há uma década.

Além dessas incertezas de quando e para onde o mercado financeiro vai, outros componentes de momento também dificultam o entendimento do mercado: guerra comercial, dólar e até a peste suína na China.

A avaliação é de Fernando Muraro, diretor da AgRural, que diz ser necessário “um novo jeito de ver o mercado”. É necessária muita observação e método, segundo ele. Ele classifica o ano de 2019, por exemplo, como um período de reviravolta.

“O (Donald) Trump, presidente dos Estados Unidos, está botando fogo no mundo.” E isso é mais um componente para as avaliações, já complicadas devido ao comportamento da Bolsa de Chicago, e plantio nos Estados Unidos.

Em 2000, a Bolsa de Chicago negociava o correspondente a quatro safras mundiais de milho e dez de soja. No ano passado, esses volumes atingiram 11 para o milho e 22 para a soja.
No início do ano passado, os fundos de investimentos, que viram que o mercado de commodities é muito atraente, tinham 28 milhões de toneladas de soja compradas em suas carteiras. Neste ano, estão com 22 milhões vendidas.

Quando entram comprando no mercado, os preços sobem. Quando saem,
desabam.

O mercado é muito influenciado, ainda, pelo dólar index, uma cesta de seis moedas em relação ao dólar americano. Existe uma correlação inversa e perversa. Quando a taxa do dólar sobe, derruba os preços das commodities.

Além desses efeitos externos contínuos sofridos pelas commodities, o mercado é afetado por ações de governos, como a guerra comercial entre chineses e americanos.

Essas disputadas comerciais entre os Estados Unidos, o maior produtor, e a China, a maior importadora, geram um excesso de estoques nos armazéns americanos. Já no Brasil, os chineses pagam prêmios para ter a soja brasileira.

A oleaginosa registrou o menor preços dos últimos 11 anos nesta semana. Além de dificuldades dos americanos para semear o milho, cuja área poderá ser transferida para a soja, o mercado prevê um consumo menor na China devido à peste suína.
Definir a hora de vender se tornou um ponto estratégico e necessita modelos de acompanhamento. “Tempo é mais importante do que preço”, diz ele.
(Folha de São Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 16/09
Como criar galinha virou negócio de R$ 1 milhão – só pra começar (07:04)
As dores de crescimento da escala necessária para alimentar o Planeta (07:02)
Safra do milho deve crescer pelo segundo ano consecutivo no RS (07:01)
China exclui soja e carne suína dos EUA de tarifas adicionais, diz Xinhua (07:00)
Avicultura de corte destaca-se no VBP agropecuário do Paraná (06:59)
Venda de carne para a China sobe a régua da balança comercial de Mato Grosso (06:58)
Sexta-Feira, 13/09
Milho: Chicago registra leves valorizações para as cotações nesta sexta-feira (13:52)
Exportações do agronegócio caíram 11% em agosto, para US$ 8,3 bi (09:04)
Frango: aumenta diferença entre preços interno e externo (08:28)
Suíno Vivo: três estados registraram alta nesta quinta-feira (08:18)
Mercado do boi gordo segue sustentado (08:10)
Milho: cotações sobem cerca de 2% em Chicago (08:07)
Soja sobe quase 30 pontos em Chicago nesta 5ª feira (08:00)
Quinta-Feira, 12/09
Indicadores da Pecuária crescem em relação ao 2º trimestre de 2018 (14:09)
Suínos: demanda aumenta e eleva preços do vivo e da carne (13:56)
Boi: preços da carcaça seguem em alta (13:55)
No 2º trimestre, abate de frangos cresceu 3,4% em relação ao mesmo trimestre de 2018 (13:54)
Ovos de Galinha: no segundo trimestre, o recorde de produção da série (13:53)
Pif Paf Alimentos conquista habilitação para exportar para a China (11:58)
Aviagen promove seminários técnicos para cliente IP-CMI na América Central (09:29)
Brasil busca diversificar pauta de exportações ao Oriente Médio (07:11)
China corre para desenvolver uma vacina contra peste suína (07:06)
Estudo confirma alta do escoamento de grãos pelo Norte (07:05)
Frango Vivo: Atacado tem queda de 1,15% nesta quarta-feira (07:00)
Suíno Vivo: Santa Catarina e São Paulo têm alta nesta quarta (06:59)
Mercado do milho fecha a sessão desta 4ª feira com ligeiras perdas na CBOT (06:56)
Soja fecha em queda em Chicago nesta 4ª e ajuda a pressionar cotações no Brasil (06:52)
Quarta-Feira, 11/09
POLINUTRI® reuniu equipe e clientes durante SIAVS (13:34)
V Workshop Internacional de Ambiência de Precisão será realizado em Campinas, SP (13:12)
Milho puxa mais uma colheita recorde de grãos (10:11)
FPA discute gestão compartilhada de energia no campo (10:10)
Frango Vivo: cotações ficam estáveis nesta terça-feira (08:06)
Preços agropecuários: alta de 0,83% no fechamento do mês de agosto (07:14)
Suíno Vivo: São Paulo tem alta de 0,92% (07:05)
China abre mercado para farelo de soja argentino (07:03)
Milho: cotações encerram a sessão desta 3ª feira com ganhos na Bolsa de Chicago (07:02)
Soja fecha a terça-feira com mais de 14 pts de alta em Chicago (06:59)
Ministra inicia viaja ao Oriente Médio para ampliar relações comerciais (06:12)
Cooperativa LAR comemora 20 anos de avicultura (06:12)
Produção animal: adaptações ao aquecimento global da suinocultura (06:12)
Exportações de carne seguem em alta nos Portos do Paraná (06:12)
Terça-Feira, 10/09
Indonésia quer negociar com Santa Catarina (23:29)
Ruralistas tentam emplacar venda de terra a estrangeiro (10:56)
Mais 25 frigoríficos do Brasil recebem o sinal verde da China (10:48)
Brasil inicia negociações de livre comércio com México (10:47)
Milho: demanda incerta (09:15)
Soja: nem pra lá, nem pra cá (09:03)
Aviagen inaugura seu 9º e maior incubatório nos EUA (08:55)
Preços do boi gordo em alta em Dourados-MS (08:40)
Ações de Marfrig e Minerva sobem (08:15)
Frango Vivo: Santa Catarina tem queda de 5,62% nesta segunda (08:12)
Suíno Vivo: PR, RS e SP têm alta nesta segunda-feira (08:11)
Soja opera em alta em Chicago nesta 3ª com apoio no milho e à espera do novo USDA (08:00)
Milho: cotações encerram a segunda-feira com leves baixas em Chicago (07:47)