Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
Matérias-Primas

Exportação de milho do Brasil, mais competitivo que o dos EUA, deve ganhar ritmo
São Paulo, SP, 24 de Maio de 2019 - A exportação de milho do Brasil está mais competitiva que a dos Estados Unidos, os maiores exportadores globais, e deve apresentar volumes superiores a 1 milhão de toneladas em junho, com a ajuda do câmbio para os negócios em um momento em que os norte-americanos estão na entressafra, de acordo com agentes do mercado consultados pela Reuters.

Além do dólar mais forte, que impulsiona vendas de brasileiros ao garantir mais reais nas negociações, a safra do Brasil terá forte recuperação ante 2018 e os preços na bolsa de Chicago oscilaram na véspera em máximas de cerca de um ano, diante de atrasos no plantio do cereal nos EUA, que são também de longe os maiores produtores globais.

Na quarta-feira, os prêmios no porto de Paranaguá (PR) para exportação de milho do Brasil estavam ao redor de 25 centavos de dólar por bushel sobre o contrato de Chicago, enquanto nos EUA estavam em 60 centavos de dólar, configurando o produto norte-americano como mais caro, segundo dados citados pela consultoria e corretora INTL FCStone --na mesma época de 2018, nem havia diferencial positivo para embarques do produto brasileiro.

A situação de mercado ficou tão favorável para os acordos que um corretor no Paraná, um dos principais Estados produtores do Brasil, relatou negócios antecipados de exportação para 2020, algo que ele disse jamais ter visto em sua carreira de 30 anos.


Isso em um momento em que especialistas apontam ótimas condições para o desenvolvimento da segunda safra brasileira do cereal, que deverá permitir ao Brasil, segundo exportador global de milho, colher um volume histórico de quase 100 milhões de toneladas, segundo algumas consultorias.

"A perspectiva é de que exporte mais, a produção vai ser maior, e os dados de lineup (fila de navios) mostram que tem mais exportação... O câmbio favorece a competitividade, os preços em Chicago ajudam, mas o câmbio tem sido um diferencial, além da oferta brasileira", disse à Reuters Ana Luiza Lodi, analista da INTL FCStone.

Dados da programação de navios da agência marítima Cargonave compilados pela Reuters indicam exportações de 1,4 milhão de toneladas para junho, o dobro do apontado para maio.

O dólar operava acima de 4 reais nesta quinta-feira, após marcar recentemente 4,12 reais, máxima de oito meses.

O câmbio em alta, além de uma maior demanda chinesa em função da guerra comercial EUA-China, foi fator para impulsionar na semana passada negócios de soja do Brasil, que estavam lentos.

Mas é o milho que deve se destacar na exportação em 2019, com a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) revendo previsões e apontando embarques possivelmente recordes, de mais de 30 milhões de toneladas, enquanto as exportações de soja deverão cair neste ano, com operadores citando o impacto da peste suína africana sobre as criações na China, maior importadora da oleaginosa.

A Anec prevê exportações de 30 milhões de toneladas de milho neste ano, com viés de alta, enquanto a FCStone projeta 32 milhões de toneladas.

No acumulado do ano até a terceira semana de maio, as exportações de milho do Brasil somaram 5,2 milhões de toneladas, segundo dados da Anec, que contabilizava apenas 3,3 milhões de toneladas no mesmo período do ano anterior.

ESTRELA DA EXPORTAÇÃO

Segundo o corretor do Paraná, estão saindo mais negócios de exportação de milho do que para o mercado interno, tradicionalmente o maior demandante do produto do país, maior exportador global de carne de frango e um dos maiores de suínos.

"Já saiu negócio até da safra 2020. O câmbio ajudou, Chicago ajudou, somando os dois... O milho brasileiro está bem competitivo. Nunca vi, está igual a soja, fazendo negócio antecipado para o outro ano, primeira vez que vejo para ano seguinte", disse.

De acordo com o corretor, o milho negociado para exportação tem origem principalmente em Mato Grosso do Sul, uma vez que o produto desse Estado tem boas condições logísticas para chegar ao porto de Paranaguá, via ferrovia.

(Com reportagem adicional de Gabriel Araújo)

Tags: Milho
Fonte: Reuters
(Reuters) (Roberto Samora)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 21/08
32ª Reunião Anual CBNA: Congresso sobre Nutrição e Bem-Estar Animal - Aves, Suínos e Bovinos encerra inscrições de trabalhos científicos dia 12 de setembro (14:02)
Perspectiva da Conab prevê aumento de 3,6% na produção dos quatro principais grãos do país até 2020 (11:37)
Sindiavipar e Mapa promoverão encontro com agroindústrias (09:24)
Vetanco Brasil recertificada na ISO 9001:2015 (09:21)
NOTA DE FALECIMENTO: morre José Augusto Pessamilio (09:09)
Julho tem queda nos custos de produção de suínos e de frangos de corte (09:02)
Milho: relatos de campo (08:36)
Soja: receios com lavouras (08:30)
Bayer anuncia venda da unidade de saúde animal para a Elanco por US$ 7,6 bilhões (08:22)
SIAVS 2019: Segundo dia do evento terá palestrante internacional e Painel dos CEOs (08:17)
Soja sobe levemente em Chicago nesta 4ª feira com foco dividido entre geopolítica e safra dos EUA (08:13)
Consumo enfraquecido mantém mercado do boi gordo morno (08:12)
Milho: mercado futuro encerra a sessão desta 3ª feira com quedas na Bolsa de Chicago (08:10)
Brasil vê aumento na nova safra de soja; quebra nos EUA traz oportunidades, diz Conab (08:05)
Soja: com dólar acima dos R$ 4 e Chicago estável, preços no BR tem novas altas (08:00)
Terça-Feira, 20/08
Vetanco registra presença na 60ª Festa do Ovo (12:32)
Setor de genética avícola lança marca internacional (10:35)
O Brasil que é exemplo para o mundo, por Francisco Turra (10:32)
Após conquista da carne, ovo sintético é novo horizonte (09:36)
FACTA promove curso de ambiência e bem-estar na avicultura e suinocultura em Dourados (MS) (09:34)
SIAVS ganha lançamento de vacina bivalente inativada contra salmonelas do Biovet Vaxxinova (08:37)
Falta 1 semana para o Prêmio Imprensa 2019 do IOB (08:29)
Seara lança linha completa de carne de frango orgânica (08:22)
Boi: mercado do boi com cotações estáveis (08:12)
Milho: clima e exportações americanas atuam para desvalorizar cotações em Chicago (08:10)
China eleva compra de soja em grão da Rússia (08:09)
Soja: mercado futuro encerra o pregão desta 2ª feira com fortes desvalorizações na Bolsa de Chicago (08:08)
Produtores rurais participam de palestra sobre inspeção de ovos e abatedouro de aves (08:00)
Produtores já podem ter acesso a novo programa de composição de dívidas rurais (07:58)
UNIDO e CIBiogás promovem treinamento sobre biogás (07:54)
EUA: incêndio em abatedouro derruba preço da carne bovina (07:53)
Segunda-Feira, 19/08
APINCO elege nova diretoria e comemora 40 anos de fundação (12:07)
De Heus apresenta soluções nutricionais sustentáveis no SIAVS (10:24)
Milho: queda externa pressiona cotações nos portos brasileiros (10:23)
Soja: com vendedores retraídos, preços sobem (10:21)
Milho: Semana começa com cotações desvalorizadas em Chicago (09:52)
AVES e ASES se reúnem com presidente do IDAF para tratar de assuntos voltados para os dois setores (08:49)
Milho: olho nas lavouras (08:26)
Soja: pés no chão (08:24)
Grãos e carnes movem avanço da Frísia (08:18)
Soja sobe mais de 16% em reais por saca desde maio no porto de Paranaguá (08:07)
Milho: cotações sobem 3% nesta sexta-feira, mas acumulam queda de mais de 9% na semana (08:04)
China disputa soja do Brasil com processadores locais; preços sobem 10% no mês (08:01)
Boi: Mercado futuro encerra a sessão nesta 6ª feira sem grandes movimentações na Bolsa Brasileira (07:45)
Sexta-Feira, 16/08
Frango: preço do milho cai e favorece poder de compra do avicultor (16:37)
Soja: a guerra, de novo (07:20)
ICC Brazil participa do SIAVS 2019 (06:58)
Suínos: maior volume estocado pressiona cotação da carne (06:36)
Boi: preço da arroba atravessa a 1ª quinzena praticamente estável (06:35)
Dividendo a minoritários pressiona caixa da Marfrig (06:31)
JBS amplia unidades já autorizadas a vender à China (06:28)
Setor produtivo e governo debatem medidas de prevenção à peste suína e clássica (06:22)
Boi: Mercado sustentado em São Paulo (06:21)
Milho: Após três dias com fortes baixas, Bolsa de Chicago registra leves ganhos nesta quinta (06:20)
Soja: com vendas de mais de 3 mi de t nas últimas duas semanas, preços seguem fortes (06:18)
Com aquisições e IPO nos EUA no radar, ações da JBS disparam (06:16)
Quinta-Feira, 15/08
Parceria entre ABPA e Apex-Brasil viabiliza ação de imagem internacional com jornalistas estrangeiros (12:54)
Sindiavipar comunica redução do investimento para participação do VI Workshop Sindiavipar (12:39)
Parceria Asgav/OVOS RS e Wallmart realizam 2ª etapa da promoção especial na área de comercialização de ovos (10:59)
Receita pode reconhecer integração vertical às cooperativas (10:40)
JBS lucrou R$ 2,2 bi no segundo trimestre (10:21)
Produção agroindustrial volta a perder força (08:16)
PIB do agro cresce em maio e acumula alta no ano, diz Cepea (07:58)
Agronegócio do Brasil soma US$ 9,2 bi em exportações em julho, queda de 3,4% (07:57)
Milho: baixas voltam e cotações de Chicago caem mais de 12% na semana (07:54)
Soja sobe mais de 1% nos portos do BR nesta 4ª feira e dia é de fortes negócios (07:53)
Possível abertura da Indonésia à carne bovina anima frigoríficos (07:48)
Preços do boi gordo subiram em Mato Grosso do Sul (07:47)
Ministra visitará países árabes em setembro (07:46)
Rigor total para manter as doenças longe dos planteis catarinenses (07:45)