Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
Legislação

Seminário internacional debate racionalização de normas no setor agropecuário
Brasília , 29 de Maio de 2019 - A criação de normas que atendam a sociedade e o setor agropecuário com a racionalização no funcionamento delas, determinada pela ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), foi o tema do seminário internacional Análise do Impacto Regulatório, realizado na sede do Ministério nesta terça-feira (28).

“A regulação e os normativos devem criar um bom ambiente para produção e gerar benefícios sociais”, explica a diretora do Departamento de Suporte e Normas da Secretaria de Defesa Agropecuária, Judi da Nóbrega. As confederações da Agricultura e da Indústria, CNA e CNI, respectivamente, estão cooperando neste trabalho.

Entre os participantes do seminário estão a Associação Brasileira dos Exportadores de Carne (Abiec), Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Abraleite, Abrafrigo, Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Confederação Nacional da Indústria (CNI), Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Instituto Pensar Agropecuária (IPA), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Abimel, VivaLácteos.

Judi Nóbrega explicou que foi desenvolvido um plano de trabalho com duas metas principais: a adoção de boas práticas regulatórias e a análise do impacto da regulação, com a gestão do estoque de normas existentes. A partir disso, o Ministério poderá decidir se existe a necessidade de regulação, avaliando se os atos estão ultrapassados, divergentes ou duplicados, adequando-os ao setor produtivo.

Uma consultoria feita em 2017 identificou que existem cerca de 60 mil normas de defesa sanitária no Brasil. A redução desse estoque deve durar pelo menos dois anos.

O secretário interino de Defesa Agropecuária, Fernando Mendes, lembrou que será preciso utilizar a figura da “guilhotina regulatória”, para modernizar o trabalho do setor público e do privado. “Nossos maiores importadores de alimentos como a China, Estados Unidos, União Europeia entre outros, estão observando atentamente nossos movimentos e nossas práticas regulatórias. São cerca de 200 países que consomem nossos produtos e são impactados direta ou indiretamente pelos regulamentos que aqui produzimos”, explicou Mendes. Na avaliação do subsecretário, é preciso normas de qualidade e transparência, aliados ao diálogo permanente com os produtores e a sociedade.

Para o diretor de Estudos e Prospecção do Mapa, Luís Rangel, a expectativa é fazer um nivelamento do que existe hoje de informação e referência sobre o tema Análise de Impactos Regulatórios. “Não pretendemos ser superficiais. Queremos respostas chaves para poder induzir uma construção regulatória eficiente, com a parceria entre as duas secretarias, e, principalmente, identificar referências nacionais ou internacionais que possam colaborar conosco e nos posicionar frente ao estado da arte neste assunto”, explica o diretor.

Algumas temáticas já estão sendo mapeadas para o início dos trabalhos de análise de impacto regulatório, como: leite, cacau, café, banana e camarão. “São assuntos que estão em desequilíbrio sob a ótica de percepção de risco”, salienta Rangel.

A diretora da secretaria executiva do Ministério da Economia, Kélvia Albuquerque, informou que são criadas no país cerca de 774 normas por dia útil, o que exige a melhoria na regulação.

Rodrigo Padovani, Coordenador-geral do Departamento de Suporte à Normas, informou que a Secretária de Defesa Agropecuária tem feito um esforço contínuo para prover a melhoria da qualidade regulatória desde 2012. “A partir do começo desse ano, com a nova estruturação, foram estabelecidos setores onde realmente vão acompanhar a implementação dessas boas práticas regulatórias, inclusive, com o fortalecimento da implementação da análise de impacto regulatório”, diz.

Participantes
O diretor de Assuntos Regulatórios e Científicos da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA), Alexandre Novachi, que esteve presente no seminário, afirmou que a análise de Impacto Regulatório é a ferramenta mais moderna e importante dentro do mundo regulatório.

“Um evento como esse, onde juntamos não só a experiência brasileira, mas a experiência de fora, traz subsídios importantes não só para quem regula como também para o setor regulado. É um evento de extrema importância e que atendeu todas as nossas expectativas”, destaca Novachi.

Para Andreia Ferraz, gerente da área regulatória da Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), o seminário foi excelente pela importância do tema em termos de boas práticas regulatórias.
“O Mapa está de parabéns pela iniciativa em promover a discussão e, na verdade, já mostrar essas ações dentro do Ministério que é de tanta importância para o nosso país, além de trazer dois países (Estados Unidos e Reino Unido) que têm esse tema bastante avançado para melhorar a questão regulatória em termos de organização e de reflexão”.
(MAPA ) (Coordenação-geral de Comunicação Social)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 19/07
Caminhoneiros reagem à tabela de frete e planejam ato para segunda (10:36)
Milho: “Chove em Chicago” (08:59)
BRF começa a deixar turbulências para trás (08:57)
Quinta-Feira, 18/07
China vai inspecionar frigoríficos brasileiros por vídeo (14:16)
Demanda chinesa por carnes amplia exportações da UE (08:55)
Após divergências com a ministra, presidente da Embrapa é demitido (08:53)
Paraná deverá liderar produção de carnes, prevê especialista (07:44)
Itaú BBA aponta tendências de faturamento das carnes em 2019 (07:43)
Frango/BTG: fundamentos no curto prazo são bons; pico do ciclo pode estar próximo (00:42)
Quarta-Feira, 17/07
Zoetis destaca Magniplex na Festa do Ovo, em Bastos/SP (13:31)
Polinutri garante presença na tradicional Festa do Ovo de Bastos (11:39)
ANTT cede a caminhoneiros em tabela do frete (09:00)
Aviagen reúne representantes das principais empresas avícolas da América Latina para evento técnico nos EUA (08:16)
Custos de produção de suínos e de frangos de corte disparam em junho (08:11)
Mercado do boi gordo está perdendo força (08:07)
Mercado do milho finaliza a pregão nesta 3ª feira em campo negativo na CBOT (08:03)
Soja fecha com baixas de dois dígitos em Chicago (08:00)
Instituto Ovos Brasil patrocina 3ª edição da Corrida da Festa do Ovo (07:42)
Terça-Feira, 16/07
Yamasa participa da Festa do Ovo 2019, patrocina Concurso de Qualidade de Ovos de Bastos e Corrida da Festa do Ovo (12:04)
Boehringer Ingelheim Saúde Animal confirma presença na Festa do Ovo de Bastos 2019 e reforça seu compromisso com o segmento de postura (12:00)
Valor da Produção Agropecuária é estimado em R$ 602,8 bilhões em 2019 (11:30)
Milho: Mercado inicia sessão nesta 3ª feira com baixas em Chicago (09:34)
Plantio atrasado nos EUA estende impacto do clima sobre preço de grãos (09:22)
Mercosul acelera vigência de acordo com UE (09:19)
Levantamentos indicam que geada não comprometeu oferta de produtos (08:31)
PIB do agronegócio cresce 0,04% em abril (08:27)
Santa Catarina encerra o primeiro semestre com alta de 56% nas exportações de carnes (08:24)
Exportação de milho do Brasil no acumulado de julho já supera volume de junho (08:22)
Começo de semana parado no mercado do boi gordo (08:10)
Milho: mercado finaliza a sessão nesta 2ª feira com forte recuo na Bolsa de Chicago (08:08)
Soja fecha a 2ª feira com mais de 10 pts de queda na CBOT (08:00)
Segunda-Feira, 15/07
MSD Saúde Animal marca presença na Festa do Ovo (12:34)
SP: preços agropecuários sobem 2% em junho (12:18)
Ovos: preços têm comportamentos distintos dentre regiões (11:38)
Milho: com possível recorde em 18/19, comprador se retrai (11:37)
Soja: dólar recua e afasta vendedor, limitando liquidez (11:35)
Biovet Vaxxinova participa da Festa do Ovo em Bastos (SP) (09:19)
Concurso de Qualidade de Ovos de Bastos acontece nesta quarta-feira (07:52)
Pelo segundo ano, EUA veem Brasil na liderança mundial de soja (07:47)
Milho: mercado encerra sessão desta 6ª feira com fortes valorizações na Bolsa de Chicago (07:43)
Os perigos dos antibióticos para animais saudáveis (07:41)
Soja: clima quente e seco no Corn Belt puxam Chicago na 6ª (07:41)
Vendas externas do agro em junho somam US$ 8,34 bi (07:35)