Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019
Empresas

Molina busca capital para fusão com BRF
São Paulo, SP, 07 de Junho de 2019 - O empresário Marcos Molina, principal acionista e presidente do conselho de administração da Marfrig, iniciou nesta semana conversas com potenciais interessados em algumas unidades da companhia, apurou o Valor. Em meio às negociações com a BRF, mirando uma fusão que criaria a quarta maior empresas de carnes do mundo, com faturamento da ordem de R$ 80 bilhões por ano, Molina estaria em busca de R$ 2 bilhões com as vendas de ativos.

Paralelamente, afirmam fontes consultadas pela reportagem, Molina também estaria em busca de uma linha de crédito para comprar mais ações após a criação da nova companhia e fortalecer sua posição acionária individual no resultado da fusão. Pelos termos atuais, ele terá 5,5%.

"Molina está no modo 'tudo ao mesmo tempo agora'. Ele quer assegurar que não terá obstáculos, de sua parte, para a fusão e que, na empresa resultante, terá posição relevante", descreveu uma fonte próxima à operação.

Quatro fontes afirmaram que Molina já ofereceu um ativo no Uruguai ao grupo chinês Fosun e tratou, em reunião preliminar, sobre a venda de plantas em São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul com dois grupos brasileiros. Um desses grupos seria a JBS. Nem Molina nem a Marfrig comentaram a informação. Procurada, a JBS não se manifestou, mas uma fonte ligada à companhia negou a informação. A Fosun não respondeu.

Segundo as fontes que chamaram a atenção para as conversas iniciadas por Molina, os recursos obtidos com a venda de ativos serviriam para compor o pagamento da "put" (opção de venda de ações) que os acionistas da americana National Beef tem com a Marfrig, sua controladora.

Uma das pessoas com conhecimento do assunto afirmou que Molina teria se comprometido com a BRF a solucionar a questão financeira da "put". Essas fontes dizem que a "put" pode ser exercida em caso de troca de controle da Marfrig - e, como na empresa resultante da fusão, a BRF terá a maior parte da composição de capital, configuraria essa mudança.

Esse capital seria uma garantia extra, uma vez que a companhia acredita que a cláusula será negociada e que os acionistas minoritários da National Beef terão interesse em ficar na nova companhia. "O Marcos diz que a 'put' não será disparada, porque ninguém vai assumir mais de 50% da Marfrig, e está confiante de que os sócios na National Beef vão gostar da fusão", disse um interlocutor do empresário.

A Marfrig anunciou a aquisição de 51% da National Beef em abril do ano passado, por cerca de US$ 1 bilhão. Com o negócio, tornou-se a segunda maior empresa de carne bovina do mundo, atrás da JBS e superando a também americana Tyson Foods. A "put" teria um valor semelhante, da ordem de US$ 1 bilhão, segundo uma fonte.

Também com esse propósito de garantia extra, o empresário teve conversas com bancos para obter uma linha de crédito no modelo stand by (que não necessariamente será utilizada), apurou o Valor. A conversa de Molina com bancos como Bradesco e J.P. Morgan , entre outros, tratam da linha stand by e de outra linha, que seria pessoal para Molina. O J.P. Morgan é também o assessor da Marfrig na fusão.

Os bancos não comentam informações sobre potenciais ou atuais clientes e, nesse caso, fontes próximas a Molina são taxativas: o empresário não procurou os bancos com essa intenção, ainda que vários deles tenham batido à sua porta.

Uma das fontes diz que o ideal, para o empresário, seria já ter mais ações da Marfrig, aproveitando o desconto de seu múltiplo em relação ao da BRF e de potencial múltiplo da nova companhia. Mas seria mais difícil obter crédito na situação atual, e mais fácil obter na consolidação da nova companhia.

"Fazer esse movimento antes da fusão sair seria simplesmente aumentar sua exposição à Marfrig, não faria sentido", complementa a fonte. Além disso, o empresário não poderia fazer esse movimento de aumento de participação na Marfrig com a negociação em andamento - o que descarta esse possibilidade.

Molina quer chegar a uma participação da ordem de 10% da nova empresa para ter uma posição confortável de influência no negócio, afirmaram duas pessoas que participam do processo.

Desde o anúncio das empresas sobre assinatura de memorando de entendimentos para potencial fusão, na quinta-feira passada, as ações da BRF caíram 5,5% e as ações da Marfrig caíram 2,8%.

(Valor) (Maria Luíza Filgueiras e Fernando Lopes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 16/09
Como criar galinha virou negócio de R$ 1 milhão – só pra começar (07:04)
As dores de crescimento da escala necessária para alimentar o Planeta (07:02)
Safra do milho deve crescer pelo segundo ano consecutivo no RS (07:01)
China exclui soja e carne suína dos EUA de tarifas adicionais, diz Xinhua (07:00)
Avicultura de corte destaca-se no VBP agropecuário do Paraná (06:59)
Venda de carne para a China sobe a régua da balança comercial de Mato Grosso (06:58)
Sexta-Feira, 13/09
Milho: Chicago registra leves valorizações para as cotações nesta sexta-feira (13:52)
Exportações do agronegócio caíram 11% em agosto, para US$ 8,3 bi (09:04)
Frango: aumenta diferença entre preços interno e externo (08:28)
Suíno Vivo: três estados registraram alta nesta quinta-feira (08:18)
Mercado do boi gordo segue sustentado (08:10)
Milho: cotações sobem cerca de 2% em Chicago (08:07)
Soja sobe quase 30 pontos em Chicago nesta 5ª feira (08:00)
Quinta-Feira, 12/09
Indicadores da Pecuária crescem em relação ao 2º trimestre de 2018 (14:09)
Suínos: demanda aumenta e eleva preços do vivo e da carne (13:56)
Boi: preços da carcaça seguem em alta (13:55)
No 2º trimestre, abate de frangos cresceu 3,4% em relação ao mesmo trimestre de 2018 (13:54)
Ovos de Galinha: no segundo trimestre, o recorde de produção da série (13:53)
Pif Paf Alimentos conquista habilitação para exportar para a China (11:58)
Aviagen promove seminários técnicos para cliente IP-CMI na América Central (09:29)
Brasil busca diversificar pauta de exportações ao Oriente Médio (07:11)
China corre para desenvolver uma vacina contra peste suína (07:06)
Estudo confirma alta do escoamento de grãos pelo Norte (07:05)
Frango Vivo: Atacado tem queda de 1,15% nesta quarta-feira (07:00)
Suíno Vivo: Santa Catarina e São Paulo têm alta nesta quarta (06:59)
Mercado do milho fecha a sessão desta 4ª feira com ligeiras perdas na CBOT (06:56)
Soja fecha em queda em Chicago nesta 4ª e ajuda a pressionar cotações no Brasil (06:52)
Quarta-Feira, 11/09
POLINUTRI® reuniu equipe e clientes durante SIAVS (13:34)
V Workshop Internacional de Ambiência de Precisão será realizado em Campinas, SP (13:12)
Milho puxa mais uma colheita recorde de grãos (10:11)
FPA discute gestão compartilhada de energia no campo (10:10)
Frango Vivo: cotações ficam estáveis nesta terça-feira (08:06)
Preços agropecuários: alta de 0,83% no fechamento do mês de agosto (07:14)
Suíno Vivo: São Paulo tem alta de 0,92% (07:05)
China abre mercado para farelo de soja argentino (07:03)
Milho: cotações encerram a sessão desta 3ª feira com ganhos na Bolsa de Chicago (07:02)
Soja fecha a terça-feira com mais de 14 pts de alta em Chicago (06:59)
Ministra inicia viaja ao Oriente Médio para ampliar relações comerciais (06:12)
Cooperativa LAR comemora 20 anos de avicultura (06:12)
Produção animal: adaptações ao aquecimento global da suinocultura (06:12)
Exportações de carne seguem em alta nos Portos do Paraná (06:12)
Terça-Feira, 10/09
Indonésia quer negociar com Santa Catarina (23:29)
Ruralistas tentam emplacar venda de terra a estrangeiro (10:56)
Mais 25 frigoríficos do Brasil recebem o sinal verde da China (10:48)
Brasil inicia negociações de livre comércio com México (10:47)
Milho: demanda incerta (09:15)
Soja: nem pra lá, nem pra cá (09:03)
Aviagen inaugura seu 9º e maior incubatório nos EUA (08:55)
Preços do boi gordo em alta em Dourados-MS (08:40)
Ações de Marfrig e Minerva sobem (08:15)
Frango Vivo: Santa Catarina tem queda de 5,62% nesta segunda (08:12)
Suíno Vivo: PR, RS e SP têm alta nesta segunda-feira (08:11)
Soja opera em alta em Chicago nesta 3ª com apoio no milho e à espera do novo USDA (08:00)
Milho: cotações encerram a segunda-feira com leves baixas em Chicago (07:47)