Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
Empresas

UNIDO e CIBiogás promovem treinamento sobre biogás
Foz do Iguaçú, PR, 20 de Agosto de 2019 - A Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e o Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás) promoveram na semana passada (14 e 15), no Parque Tecnológico de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR), um treinamento para o Comitê Diretor do Projeto GEF Biogás e parceiros. O objetivo foi discutir a cadeia de valor do biogás no Brasil.

O evento incluiu oficinas de capacitação para representantes de instituições e ministérios que integram o projeto, voltado ao financiamento e ao apoio técnico da produção brasileira do biogás — uma fonte renovável de energia produzida a partir da decomposição de resíduos orgânicos gerados por empreendimentos diversos, como fazendas ou restaurantes.

O projeto é financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (Global Environment Facility, em inglês), e pretende ampliar a oferta de energia renovável e fortalecer as cadeias nacionais de fornecimento de tecnologia no setor. A UNIDO é a agência implementadora do programa, que conta com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) como instituição líder no Brasil.

Bruno Neves, especialista em gestão de projetos da UNIDO e responsável pela coordenação do projeto no Sul do Brasil, enfatiza que o aproveitamento sustentável dos resíduos orgânicos gerados pela produção agropecuária brasileira pode resultar em ganhos econômicos, sociais e ambientais.

“O potencial de uso do biogás nasce da necessidade de buscarmos a sustentabilidade no agronegócio, mas representa principalmente uma oportunidade de desenvolvimento econômico local. Os benefícios da produção de biogás podem tanto ser internalizados pelos produtores quanto ser disponibilizados para a sociedade na forma de energia térmica, combustível e energia elétrica, gerando competitividade e diversificação para o território.”

Além da UNIDO, do MCTIC, do CIBiogás e da Itaipu Binacional, participaram do treinamento o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Ministério de Minas e Energia (MME), o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e a agência de cooperação alemã GIZ.

O evento de nivelamento técnico contou com visitas à hidrelétrica de Itaipu e a uma unidade de demonstração. Tecnologia, regulamentação, mercado e perspectivas de inovação no setor de biogás no Brasil foram os temais centrais do encontro.

Segundo Rodrigo Régis, diretor presidente do CIBiogás, o objetivo do treinamento foi sensibilizar ministérios e agentes institucionais importantes sobre a necessidade de se flexibilizar as regras em torno da geração da energia renovável.

“As regras e regulamentos que temos acabam gerando burocracias que impedem o desenvolvimento desse novo tipo energético”, disse. Régis afirmou acreditar que o biogás pode diversificar a oferta energética nacional.
“Hoje o Brasil tem uma dependência incrível do diesel. O Brasil importou mais de 51 bilhões de dólares em diesel nos últimos cinco anos. Temos uma demanda crescente de energia, que o biogás pode suprir em parte de forma descentralizada, e pode gerar uma nova economia no país, gerando emprego, renda, desenvolvimento e progresso”.

Rafael Menezes, coordenador de inovação em tecnologias setoriais na Secretaria de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, conta que o desenvolvimento do biogás é uma das prioridades estratégicas do ministério. “O potencial brasileiro da produção de biogás e de biometano é uma vantagem que está sendo pouco explorada. Temos que criar políticas públicas e um ambiente favorável para que possamos utilizar cada vez mais esse potencial”.

Já Andrea Faria, coordenadora nacional de energia do Sebrae, reforça o aspecto economicamente sustentável da produção energética a partir do biogás. “Vislumbramos o biogás como uma alternativa que trabalha toda a questão da economia circular: retirar a emissão [de gases poluentes], produzir energia, consumir a energia. O biogás sendo despachável, armazenável e não-intermitente, se caracteriza como uma oportunidade muito grande para a gente investigar, explorar quais são os benefícios que temos para o pequeno negócio”.

A coordenadora aposta nos benefícios do biogás como um diferencial mercadológico para micro e pequenas empresas. “Precisamos trabalhar na transição da matriz energética e no que ela significa em termos de imagem, em termos de marca, em termos de posicionamento em relação à competitividade dentro do mercado”.

Maycon Vendrame, engenheiro da Itaipu Binacional na área de energias renováveis, lembra que o Brasil assinou acordos internacionais de redução da emissão de gases de efeito estufa, e que o biogás pode ajudar a manter o compromisso. “A gente sabe que, apesar de o Brasil ser um dos países exemplares no uso de energia limpa, a nossa matriz, principalmente no transporte, tem um alto nível de emissão de gases de efeito estufa e de uso de combustíveis fósseis”.

Uma das unidades de demonstração apoiadas pelo CIBiogás e apresentadas durante o treinamento no Paraná é a granja São Pedro Colombari, localizada em São Miguel do Iguaçu, no oeste do estado. Com uma criação de 5 mil suínos, a granja é capaz de gerar 770 metros cúbicos de biogás por dia, o que resulta em uma economia de 5 mil reais por mês em custos com energia.

Outro exemplo no estado é a granja Haacke, no município de Santa Helena, cuja criação de aves e bovinos resulta em uma produção diária de mais de 1 mil metros cúbicos de biogás, utilizado para abastecer o negócio com energia elétrica, térmica e veicular. Com o procedimento, a granja Haacke economiza 10 mil reais por mês em custos com energia.

O projeto GEF Biogás, intitulado “Aplicações do Biogás na Agroindústria Brasileira”, prevê ações locais e federais de estímulo à integração sustentável do biogás na cadeia produtiva nacional.

A Granja Haacke está localizada em Santa Helena, oeste do Paraná, e conta com 84 mil aves poedeiras e 750 bovinos de corte.

Desde de 2013, são encaminhados cerca de 100 m³ por dia de efluente líquido para um biodigestor, modelo lagoa coberta, que realiza a digestão anaeróbia dos resíduos, produzindo diariamente mil m³ de biogás.

A unidade aproveita o biogás para produzir biometano – biocombustível para automóveis – e para gerar energia elétrica, por meio de um motogerador 112 kVA aspirado (sem turbina). A eletricidade gerada na granja é usada durante o horário de pico, quando o custo da energia é mais elevado.

A granja também tem um sistema de stand by que garante a perenidade de energia elétrica na refrigeração das aves, evitando quedas repentinas e consequente morte dos animais.
(Nações Unidas) (Assessoria de Imprensa)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 06/12
Ministério assina contrato com o BID: US$ 200 milhões para a Defesa Agropecuária (08:01)
Quinta-Feira, 05/12
Soja intensifica ganhos em Chicago e sobe nesta 5ª feira (15:46)
Embarques de carne suína aumentam 13,2% em novembro (15:11)
Suínos: competitividade da carne suína frente à de boi é a maior da série (11:39)
Boi: receita obtida com exportação é recorde (11:20)
Ricardo Santin será o novo presidente da ABPA (11:15)
Para CNA, não vai faltar produto e preços da carne vão se normalizar (09:44)
Goiás pode ampliar exportação de frango para o Chile (09:43)
Vendas de ovos disparam em Manaus (09:41)
Preços de alimentos no mundo sobem com impulso de carnes e óleos vegetais, diz FAO (09:33)
Líder, BRF tem capacidade ociosa para expandir produção no Brasil (09:28)
Produtor americano reduz ritmo de comercialização da soja a espera de melhores preços (08:56)
Soja segue trabalhando em alta em Chicago nesta 5ª feira (08:52)
CNA prevê aumento do valor da produção e do PIB do campo em 2020 (08:40)
Aviagen contrata novo Supervisor Regional de Vendas no Brasil (08:17)
Korin fornece frango caipira livres de transgênicos para o Carrefour no Estado de São Paulo e Brasília (08:12)
Frango: setores apresentaram leve queda ou estabilidade nesta 4ª feira (08:09)
Suínos: cotações mornas nesta 4ª feira (08:03)
JBS planeja investir R$ 8 bilhões no Brasil nos próximos 5 anos (08:00)
Boi Gordo: vendas da carne continuam sendo o entrave (07:49)
Boi Gordo: preços da arroba recuaram 2,1% em SP (07:48)
Milho tem leves baixas em Chicago nesta 4ª feira, mas preços se sustentam no Brasil (07:38)
Quarta-Feira, 04/12
Unidades da Aviagen no Brasil recebem certificação de compartimentação (14:07)
Presidente da ABPA fala sobre o mercado de suínos e aves a médio e longo prazo (12:49)
Boi: volume de negócios foi pequeno nos últimos dias no mercado físico em SP (11:23)
A expectativa é boa para as exportações de milho nessa reta final do ano (10:20)
Vetanco realiza treinamento para controle estratégico de Cascudinhos (08:51)
Agropecuária é o setor com maior alta do PIB no terceiro trimestre do ano (08:22)
Frango: após dois dias de cotações estáveis, mercado começa a reagir (08:20)
Suínos: mercado mostra melhora para os principais setores (08:15)
Após máximas, preço do boi recua 5% em dezembro com pressão de consumidores (08:14)
Exportação de carne bovina do Brasil deve manter ritmo de alta em 2020, diz Abrafrigo (08:13)
Vencimentos futuros para o boi gordo encerram 3ª feira abaixo dos R$ 200,00/@ na Bolsa Brasileira (08:08)
Tereza Cristina abre reunião da Câmara Setorial da Carne Bovina (08:06)
Milho: preços recuam na B3, mas sobem no interior do Brasil (08:05)
Soja recua até 2% no interior do Brasil com baixa do dólar e estabilidade em Chicago (08:00)
Grãos: cenário para preços se torna positivo para 2020 (07:56)
Terça-Feira, 03/12
Produção avícola sem uso de antibiótico ganha força no Nordeste (16:52)
Agroindústria contribui para estabilidade na população ocupada no agro (16:35)
Encontro de final de ano Programa Ovos RS apresenta novidades (14:51)
Milho abre a terça-feira com leves ganhos em Chicago mesmo após relatórios do USDA (14:31)
Soja: após 8 baixas consecutivas, mercado em Chicago sobe nesta 3ª feira (14:30)
Secex: exportação de carnes bovina, suína e de frango desacelera em novembro (09:38)
Venda de carne ao exterior cresce 28%, ajudada por epidemia na China (09:37)
Nas exportações em novembro, carne suína tem faturamento 46% maior em comparação a outubro (08:06)
Suínos: cotações estáveis marcam o começo de dezembro (08:03)
Frango: segunda-feira tem altas para frango vivo em algumas praças (08:03)
Milho registra pequenos ganhos em Chicago (08:01)
O mercado do boi gordo 'sossegou' (07:59)
Exportações brasileiras de milho fecham novembro com alta de 17,6% com relação ao ano passado (07:57)
Soja fecha em baixa na Bolsa de Chicago (07:55)
Segunda-Feira, 02/12
Entidades dos Setores de Aves, Suínos e Laticínios definem o 6º AVISULAT 2020 - NC (16:23)
Yes reposiciona marca com alinhamento do seu portfólio de produtos e novas embalagens (15:30)
Milho: em novembro, cotações sobem mais de 14% em algumas praças (14:54)
Soja: com procura maior que oferta, preço do óleo atinge recorde (14:52)
Preços da carne suína na China se recuperam com o aumento do consumo no frio (14:50)
De olho na colheita, milho tem leves altas em Chicago (14:48)
Ovos: preços têm alta atípica para o período (10:09)
Boi Gordo: dificuldade de compra é vigente (09:50)
Por que a carne continuará mais cara em 2020 (e pode piorar) (09:36)
Soja inicia dezembro com leves altas em Chicago (09:26)
Após fortes altas, calmaria nos preços da carne bovina no varejo (08:02)
Bolsonaro diz que governo não atuará para baixar o preço da carne (08:00)
Frango: mercado sem variações expressivas na sexta-feira (07:50)
Suínos: fim de mês com mercado aquecido para venda do animal vivo (07:48)
Milho sobe mais de 2% em Chicago na volta da Ação de Graças (07:34)
Soja fecha semana em queda em Chicago e pressiona Brasil (07:30)