Domingo, 17 de Novembro de 2019
Matérias-Primas

Mercado do milho fecha a sessão desta 4ª feira com ligeiras perdas na CBOT
Campinas, SP, 12 de Setembro de 2019 - As cotações futuras do milho encerraram a sessão de ontem, quarta-feira (11), com ligeiras desvalorizações na Bolsa de Chicago (CBOT). Os principais vencimentos da commodity finalizaram o dia com recuo de 0,25 a 1,50 pontos. O contrato setembro/19 fechou o pregão cotado a US$ 3,48 por bushel, enquanto, o dezembro/19 encerrou a US$ 3,60 por bushel.

Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, os preços dos grãos reverteram os ganhos nesta quarta-feira em algumas vendas técnicas, provocadas por um clima mais quente que poderia ajudar as plantações tardias em todo o Centro-Oeste. “Os preços do milho diminuíram um pouco, com os traders voltando sua atenção para previsões mais quentes de curto prazo, provocando uma pequena reversão técnica depois de obter ganhos significativos ontem”, afirmou Potter.

De acordo com as informações da Reuters Internacional, as cotações do milho se enfraqueceram por conta da colheita nos Estados Unidos serem beneficiadas por uma onda de calor no final do verão. “Grande parte do foco do mercado está no próximo relatório do USDA, que deve mostrar culturas menores de milho e soja nos EUA depois que a agência surpreendeu no mês passado com uma previsão acima do previsto”, destacou.

Ainda segundo as informações da Reuters Internacional, esperava-se que o clima mais quente do que o normal em grande parte do cinturão agrícola do Meio-Oeste acelerasse a maturidade das culturas plantadas tardiamente, reduzindo o risco de que a geada comprometesse a produção.

“As previsões climáticas apontam temperaturas acima do normal para os próximos 8 a 14 dias. Os grãos seriam os mais suscetíveis a qualquer geada nesse período ”, disse Ted Seifried, estrategista-chefe de mercado do Zaner Group em entrevista à Reuters Internacional.

Mercado interno

No caso do mercado interno, as principais praças registravam movimentações pontuais nesta quarta-feira. Segundo o levantamento realizado pelo o Notícias Agrícolas, a região de Campinas/SP, a saca do cereal registrou uma valorização de 1,33% e terminou o dia cotada a R$ 37,43 por saca.

Em Brasília, a referência para a saca do milho está em torno de R$ 29,00 com uma queda de 3,33%. No Porto de Paranaguá, a saca disponível registrou uma queda de 1,30% e está cotada a R$ 36,50.

A XP Investimentos ressaltou em seu boletim diário que o mercado físico de milho está indefinido e segue aguardando o relatório de Oferta e Demanda do USDA de hoje. A dinâmica local se mantém há duas semanas, com fluxo de comercialização baixo e compradores/vendedores se testando (preço).
(Notícias Agrícolas) (Andressa Simão)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 17/11
Sexta-Feira, 15/11
Quinta-Feira, 14/11
Guerra comercial entre EUA e China pode beneficiar o Brasil, dizem especialistas (17:07)
Boi: arroba e carne no atacado atingem patamares recordes (12:17)
A empresa de 65.000 famílias que concorre com BRF e JBS (11:24)
China suspende proibição de importação de carne de aves dos EUA (10:43)
China habilita terceirizado da BRF (10:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (10:03)
JBS tem lucro líquido no 3tri19 de R$ 356,7 milhões, revertendo prejuízo (09:45)
ABPA e Apex-Brasil promovem ação em evento de autoridades sanitárias da China (09:42)
China habilita terceirizado da BRF (09:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (09:04)
Frango: com maior liquidez, preço da asa atinge recorde (08:30)
Suínos: valor do leitão é recorde nominal (08:20)
Soja tem 5ª feira de pouca movimentação na Bolsa de Chicago, buscando direção (08:10)
Milho perde força em Chicago e reverte ganhos (07:39)
Soja: demanda interna paga melhor que a exportação na safra velha (07:38)
Quarta-Feira, 13/11
Investindo na avicultura latino-americana, Vaccinar patrocina VI Workshop Sindiavipar e apresenta palestra sobre performance reprodutiva de galos (14:39)
BRF avalia aquisições na Turquia para aumentar produção local (11:39)
Soja: mercado em Chicago se mantém inerte nesta 4ª feira (09:22)
Conab prevê novo recorde para safra brasileira de grãos com 246 milhões de t (08:23)
Ministra defende uso de tecnologia na agropecuária brasileira para ampliar mercado. (08:18)
Resultados comprovados impulsionam as vendas da Oceana para premixeiras, cooperativas e fábricas de rações (08:05)
Frango: mercado atacado fecha terça-feira com alta de 3,81% (07:59)
Suínos: boas notícias para o setor aquecem cotações (07:57)
Com maior oferta e consumo em queda, preços da carne suína recuam na China (07:56)
USDA: colheita da soja e do milho ficam ligeiramente acima do esperado nos EUA (07:53)
Milho: preços sobem mais de 1% na B3 e mais de 3% no interior do Brasil nesta 3ª feira (07:51)
Soja precisa de notícias fortes sobre a demanda da China para se recuperar em Chicago e formar preços melhores no BR (07:49)
Novo leilão da CONAB oferta 50 mil toneladas de milho a criadores (07:07)
Terça-Feira, 12/11
Mais 13 frigoríficos brasileiros podem exportar carne para a China (15:54)
Abate de bovinos cresce 4% no 3º tri, diz IBGE; China impulsiona carnes do Brasil (14:32)
ABPA comemora novas habilitações de frigoríficos de aves e suínos (13:23)
Em 10 meses, exportações catarinenses de carne suína superam o faturamento de 2018 (13:21)
Milho: área plantada no verão deve crescer de 2% a 4% em 2019/20, prevê Abramilho (12:00)
Habilitação de frigoríficos é sinal de maior aproximação com árabes, diz executivo (08:03)
Arábia Saudita habilita oito novos frigoríficos brasileiros para exportação de carne bovina (06:05)
Emirados compram 175% mais carne bovina do Brasil (06:02)
Frango: alta apenas no atacado marca começo da semana com cotações mornas em demais setores (05:54)
Suínos: mercado fecha sem variação nesta segunda-feira (05:52)
Boi Gordo: poucos negócios nesta segunda feira (05:50)
Boi: mercado físico abre a semana com forte especulação altista (05:49)
Milho: Bolsa de Chicago encerra sessão com baixas nesta 2ª feira (05:46)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)