Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
Exportação

Cada vez mais, frango do Paraná chega à mesa dos chineses
Curitiba , 18 de Outubro de 2019 - O frango produzido no Paraná tem chegado à mesa dos chineses em um volume cada vez maior, a ponto de o Estado se firmar como o principal fornecedor de cortes congelados ao gigante asiático. Hoje, quase 85% dos produtos avícolas que a China importa saem de portos brasileiros. Mais da metade diz respeito a aves produzidas, abatidas e embarcadas no Paraná. E mais: os volumes e a receita, que vêm aumentando, tendem a fechar 2019 em patamares recordes.
No ano passado, o Brasil exportou o equivalente a US$ 799 milhões em cortes de frango à China. Neste ano, em apenas oito meses, o país já está perto de superar essa marca: foram US$ 738 milhões exportados até agosto. Líder absoluto nos embarques de frango aos chineses, o desempenho do Paraná é ainda mais positivo. Só nos oito primeiros meses de 2019, o Estado já embarcou U$$ 371,5 milhões, o que corresponde a 14% a mais da receita obtida nos 12 meses de 2018.
Com essas cifras, o Paraná se consolida, hoje, como o responsável por mais da metade (mais precisamente, por 50,34%) da carne de frango que saem dos portos brasileiros com destino à China. Isso significa que o Estado tem peso duas vezes e meia maior que Santa Catarina, segundo colocado no ranking brasileiro. O Estado vizinho responde por 21,81% dos embarques de produtos avícolas ao país asiático.
“O Paraná é o principal produtor e exportador de carne de frango para a China, assumindo uma posição de destaque, em uma relação comercial muito importante. Hoje, 21% do frango que o Paraná produz vão para a China. Segundo principal destino, a Arábia Saudita, por exemplo, é o destino de 9,8% do que a avicultura do nosso Estado exporta”, observa Luiz Eliezer Ferreira, técnico do Departamento Técnico Econômico (DTE) da FAEP.
Escala crescente
Esse aumento das importações de carne de frango da China está relacionado, principalmente, a questões sanitárias. O país asiático enfrenta um surto de peste suína africana, que dizimou mais de 7 milhões de cabeças em toda a Ásia. Para compensar, os chineses têm ampliado as compras de proteína animal, seja de aves, suínos ou bovinos. Por outro lado, o gigante asiático atravessa um bom momento do ponto de vista econômico. A China é considerada a segunda maior economia do mundo, com um Produto Interno Bruto (PIB) de mais de 12 trilhões de dólares.
“Estamos com ótimas perspectivas para o frango brasileiro e, por consequência, para a avicultura do Paraná. A peste suína africana fez com que China venha aumentando as compras, fomentando um cenário positivo para as proteínas, de modo geral”, aponta Ferreira. “Leva um tempo até eles reporem o plantel. E a carne de frango tem uma vantagem: a ave está pronta para o abate em 45 dias. Na suinocultura, o período é de seis meses. A China é um ótimo mercado e temos que aproveitar o momento”, acrescenta.
Tendência
Os dados indicam que o aumento não se trata de um fenômeno pontual, mas de uma tendência. Desde 2013, as exportações de cortes de frango para o Paraná vêm crescendo ano a ano, tanto em volume embarcado, quanto em receita. A exceção foi 2016, quando ocorreu o pico, em que o Estado enviou à China o equivalente a 378,5 milhões de dólares.
“O ano de 2016 foi atípico, porque uma série de fatores [como problemas de sanidade, câmbio desvalorizado e crise no setor produtivo chinês] fez com que a China aumentasse muito as importações. Por isso, em 2017, as vendas do Paraná para os chineses retornaram a um patamar mais real, mas voltaram a subir nos anos seguinte, consolidando o aumento da importância deste mercado”, aponta Ferreira. Outro ponto reforça que, cada vez mais, o frango produzido no Brasil deve alimentar os chineses. Em setembro, seis novos frigoríficos brasileiros terem sido habilitados para exportar cortes ao país asiático. Quatro dessas plantas estão estabelecidas no Paraná.
(Sistema FAEP) (Assessoria de Comunicação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 13/11
Investindo na avicultura latino-americana, Vaccinar patrocina VI Workshop Sindiavipar e apresenta palestra sobre performance reprodutiva de galos (14:39)
BRF avalia aquisições na Turquia para aumentar produção local (11:39)
Soja: mercado em Chicago se mantém inerte nesta 4ª feira (09:22)
Conab prevê novo recorde para safra brasileira de grãos com 246 milhões de t (08:23)
Ministra defende uso de tecnologia na agropecuária brasileira para ampliar mercado. (08:18)
Resultados comprovados impulsionam as vendas da Oceana para premixeiras, cooperativas e fábricas de rações (08:05)
Frango: mercado atacado fecha terça-feira com alta de 3,81% (07:59)
Suínos: boas notícias para o setor aquecem cotações (07:57)
Com maior oferta e consumo em queda, preços da carne suína recuam na China (07:56)
USDA: colheita da soja e do milho ficam ligeiramente acima do esperado nos EUA (07:53)
Milho: preços sobem mais de 1% na B3 e mais de 3% no interior do Brasil nesta 3ª feira (07:51)
Soja precisa de notícias fortes sobre a demanda da China para se recuperar em Chicago e formar preços melhores no BR (07:49)
Novo leilão da CONAB oferta 50 mil toneladas de milho a criadores (07:07)
Terça-Feira, 12/11
Mais 13 frigoríficos brasileiros podem exportar carne para a China (15:54)
Abate de bovinos cresce 4% no 3º tri, diz IBGE; China impulsiona carnes do Brasil (14:32)
ABPA comemora novas habilitações de frigoríficos de aves e suínos (13:23)
Em 10 meses, exportações catarinenses de carne suína superam o faturamento de 2018 (13:21)
Milho: área plantada no verão deve crescer de 2% a 4% em 2019/20, prevê Abramilho (12:00)
Habilitação de frigoríficos é sinal de maior aproximação com árabes, diz executivo (08:03)
Arábia Saudita habilita oito novos frigoríficos brasileiros para exportação de carne bovina (06:05)
Emirados compram 175% mais carne bovina do Brasil (06:02)
Frango: alta apenas no atacado marca começo da semana com cotações mornas em demais setores (05:54)
Suínos: mercado fecha sem variação nesta segunda-feira (05:52)
Boi Gordo: poucos negócios nesta segunda feira (05:50)
Boi: mercado físico abre a semana com forte especulação altista (05:49)
Milho: Bolsa de Chicago encerra sessão com baixas nesta 2ª feira (05:46)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Segunda-Feira, 11/11
Encontre o time da APC no CBNA 2019 (11:45)
Exportações do agronegócio são recordes, mas faturamento externo cai (11:39)
Milho: demanda interna aumenta e impulsiona cotações (10:49)
Soja: grão se valoriza e indústria reduz processamento (10:47)
Vetanco Brasil reforça sua equipe técnica (10:29)
Soja começa semana operando em baixa na Bolsa de Chicago de olho na guerra comercial (10:18)
Ovos: exportações aumentam; no Brasil, pressão compradora limita altas (09:39)
Mercado de frango encerra a sexta-feira sem alterações expressivas (08:15)
Na B3, vencimento Dezembro/19 para o boi gordo encerra a 6ª feira a R$ 194,50/@ (08:05)
Receita das exportações de carne suína cresce 38,4% em outubro (08:00)
Milho sobe em Chicago na 6ªfeira após USDA reduzir safra, produtividade e exportações (07:36)
UFRA-PA abre processo para contratação de professores substitutos (02:46)
Sexta-Feira, 08/11
Suíno: altas de preços na granja e no atacado em São Paulo (13:40)
Milho segue desvalorizado em Chicago na espera por números do USDA (13:00)
Peru de Natal vai ficar mais caro na ceia de 2019 (12:30)
Andréa Silvestrim, Diretora do CBNA: “Com muita dedicação, estamos trazendo novos conceitos e tecnologias em nutrição para nosso próximo evento” (11:41)
BRF teve lucro líquido de R$ 293,9 milhões no 3º trimestre (11:32)
Faesc contra a tributação das exportações de produtos primários (10:40)
Milho: ofertas do cereal no mercado físico ficaram mais enxutas (10:20)
Soja: Chicago se mantém estável à espera dos novos números do USDA (10:16)
Biovet Vaxxinova realiza reunião de alinhamento estratégico (09:56)
Puxadas pelo milho, exportações do agro atingem US$ 8,4 bilhões em outubro (08:04)
Frango: atacado continua subindo (07:20)
Suínos: resultados inexpressivos marcam mercado nesta quinta-feira (07:14)
Boi: vencimentos Jan e Fev de 2020 fecham a sessão com quedas na B3 (07:13)
Cotação da arroba do boi sobe em 90% das praças pecuárias (07:13)
Milho se desvaloriza em Chicago nesta quinta-feira com números fracos para a exportação (07:12)
Soja brasileira está mais competitiva que a americana com um diferencial de até US$ 15/tonelada (07:10)
Produção de carne suína da China deve cair ao menos 20% em 2019, diz FAO (07:05)
Quinta-Feira, 07/11
China deve habilitar mais frigoríficos (21:38)
Frango: variações nos preços dos produtos marcaram outubro (14:44)
USDA: Vendas semanais de soja dos EUA ficam bem acima das expectativas (14:42)
Sindirações tem nova gestão para o período de 2019/2022 (11:38)
Hy-Line do Brasil recebe auditoria de missão chinesa para exportação de material genético (10:50)
Suínos: quantidade exportada é a 3ª maior e receita com embarques é recorde (09:15)
Boi: exportações recordes mantêm os preços internos em alta (09:12)
Missão chinesa chega a Rio Preto para avaliar polos de avicultura da região (08:22)
Seara adquire dona da mortadela Marba (08:20)
Ceva debate doenças respiratórias na produção de frangos de corte no Sindiavipar (08:08)
Preços da soja em Chicago já estão próximos do piso (08:04)
Soja trabalha com pequenas altas nesta 5ª e se ajusta antes do novo USDA (08:03)
Suínos: mercado segue aquecido nesta quarta-feira (07:59)
Boi Gordo: mercado segue firme e forte (07:57)
Milho: cotações futuras fecham a sessão de 4ª feira com ligeiras perdas em Chicago (07:50)