Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
Matérias-Primas

Soja fecha a 5ª feira com leves altas em Chicago

Mercado acumula ganhos de mais de 3% nos últimos 30 dias
Campinas, SP, 18 de Outubro de 2019 - Os preços da soja fecharam a sessão desta quinta-feira (17) em campo positivo, porém, com ganhos modestos. O mercado terminou o dia subindo entre 2 e 3,50 pontos nos principais contratos, amenizando as altas observadas mais cedo, que passaram dos 8 pontos.

Assim, o vencimento novembro/19, referência para a safra dos Estados Unidos, fechou com US$ 9,31 por bushel, enquanto o maio/20, indicativo para a nova temporada do Brasil, foi a US$ 9,65 por bushel.
Nos últimos 30 dias, os preços da soja subiram de forma bastante considerável, acumulando ganhos de mais de 3%.

O contrato março/20, de 17 de setembro a 17 de outubro subiu 4,13% passando de US$ 9,19 para US$ 9,57. O maio/20 foi de US$ 9,30 para US$ 9,65, com ganho de 3,76%.

OFERTA

A preocupação com a oferta tem sido o principal motivador dos preços, diante de problemas que a nova safra norte-americana ainda enfrenta.

Nos últimos dias, porém, as condições tem se mostrado um pouco mais favoráveis para os trabalhos de colheita no Meio-Oeste dos Estados Unidos, depois de semanas de adversidades como geadas, nevascas e o frio intenso, além de chuvas constantes em alguns pontos.

De acordo com o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, até o último domingo (13), a colheita estava concluída em 26% da área, bem atrasada ainda em relação a 2018 e se comparada à média dos últimos cinco anos.

E o USDA, inclusive, já informou que fará uma revisão nos números de área colhida de soja e milho nos estados de Dakota do Norte e Minnesota depois dos problemas causados pela neve da semana passada. Ainda segundo o departamento, quaisquer mudanças expressivas serão relatadas nos próximos boletins.

"Os produtores têm registrado condições melhores, de tempo mais seco para a colheita nos EUA, até que um novo sistema se forme trazendo mais chuvas para a próxima semana", explica Bryce Knorr, analista sênior do portal Farm Futures. O mapa abaixo, do NOAA, o serviço oficial de clima do governo americano, mostra as chuvas mais intensas.

No Brasil, o clima também preocupa, porém, os efeitos na Bolsa de Chicago ainda são limitados. Com o Oeste do Paraná sem chuvas há mais de um mês, muitas áreas de soja deverão ser replantadas no estado. Alguns volumes são esperados para os próximos dias.

Ainda assim, o Diretor Técnico da EMATER - PR, Nelson Harger, em entrevista ao Notícias Agrícolas nesta quinta-feira, disse que houve um erro estratégico na escolha do plantio antes das chuvas.

"O produtor arriscou plantar no sedo para viabilizar a safrinha de milho, mas ela dá menos rentabilidade e possui mais riscos. O produtor não deve colocar a semente no solo arriscando a sua renda na principal safra do ano. Hoje em dia, a semente empata com os adubos nos custos de produção e toda a tecnologia empregada se perde neste solo seco", diz Harger.

DEMANDA

Do lado da demanda, as especulações são mais frequentes do que notícias efetivas, o que faz com que as altas originadas dessas informações se mostrem bastante frágeis na Bolsa de Chicago. Nesta quinta, a China informou que já está redigindo o texto da fase um do acordo firmado com os EUA na semana passada e animou o mercado.

O porta-voz do Ministério do Comércio chinês, Gao Feng, veio à mídia para dar mais detalhes de como a construção do texto está acontecendo, em uma operação bem próxima aos negociadores norte-americanos. Entretanto, se e recusou a comentar os números informados pelo presidente americano Donald Trump na semana passada sobre um comprometimento da China em ampliar suas compras de produtos agrícolas norte-americanos para algo entre US$ 40 bilhões e US$ 50 bilhões. Afinal, a nação asiática não confirmou o montante.

"As empresas chinesas aumentarão suas compras de produtos agrícolas americanos de acordo com as necessidades domésticas e os Estados Unidos criarão boas condições para essas compras", reafirmou o porta-voz chinês, reforçando ainda com os dados mais atuais sobre as últimas compras da China no mercado agrícola americano.

Assim, as expectativas de que os chineses seguirão fazendo mais compras de soja e demais produtos no mercado agrícola norte-americano são grandes, porém, ainda sem consistência. E até que isso aconteça, o mercado ainda se mostra um tanto sem direção e mantendo-se cauteloso.

PREÇOS NO BRASIL

As referências melhores sendo praticadas na Bolsa de Chicago ao lado de um dólar acima de R$ 4,15 puxaram os preços da soja também nos portos do Brasil, mesmo com ganhos tímidos. No interior, as variações foram mais intensas, porém, negativas em algumas praças de comercialização.

A soja disponível fechou com R$ 89,30 em Paranaguá e R$ 89,00 em Rio Grande. Para a safra nova, referência março/20, são R$ 87,00 no terminal paranaense e R$ 87,50 no gaúcho.

Segundo Vlamir Brandalizze, consultor da Brandalizze Consulting, as referências para a safra nova, em meses mais a frente, como junho e julho, já marcam preços entre R$ 90,00 e R$ 90,50 por saca. E com isso, bons negócios têm sido efetivados.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 13/11
Investindo na avicultura latino-americana, Vaccinar patrocina VI Workshop Sindiavipar e apresenta palestra sobre performance reprodutiva de galos (14:39)
BRF avalia aquisições na Turquia para aumentar produção local (11:39)
Soja: mercado em Chicago se mantém inerte nesta 4ª feira (09:22)
Conab prevê novo recorde para safra brasileira de grãos com 246 milhões de t (08:23)
Ministra defende uso de tecnologia na agropecuária brasileira para ampliar mercado. (08:18)
Resultados comprovados impulsionam as vendas da Oceana para premixeiras, cooperativas e fábricas de rações (08:05)
Frango: mercado atacado fecha terça-feira com alta de 3,81% (07:59)
Suínos: boas notícias para o setor aquecem cotações (07:57)
Com maior oferta e consumo em queda, preços da carne suína recuam na China (07:56)
USDA: colheita da soja e do milho ficam ligeiramente acima do esperado nos EUA (07:53)
Milho: preços sobem mais de 1% na B3 e mais de 3% no interior do Brasil nesta 3ª feira (07:51)
Soja precisa de notícias fortes sobre a demanda da China para se recuperar em Chicago e formar preços melhores no BR (07:49)
Novo leilão da CONAB oferta 50 mil toneladas de milho a criadores (07:07)
Terça-Feira, 12/11
Mais 13 frigoríficos brasileiros podem exportar carne para a China (15:54)
Abate de bovinos cresce 4% no 3º tri, diz IBGE; China impulsiona carnes do Brasil (14:32)
ABPA comemora novas habilitações de frigoríficos de aves e suínos (13:23)
Em 10 meses, exportações catarinenses de carne suína superam o faturamento de 2018 (13:21)
Milho: área plantada no verão deve crescer de 2% a 4% em 2019/20, prevê Abramilho (12:00)
Habilitação de frigoríficos é sinal de maior aproximação com árabes, diz executivo (08:03)
Arábia Saudita habilita oito novos frigoríficos brasileiros para exportação de carne bovina (06:05)
Emirados compram 175% mais carne bovina do Brasil (06:02)
Frango: alta apenas no atacado marca começo da semana com cotações mornas em demais setores (05:54)
Suínos: mercado fecha sem variação nesta segunda-feira (05:52)
Boi Gordo: poucos negócios nesta segunda feira (05:50)
Boi: mercado físico abre a semana com forte especulação altista (05:49)
Milho: Bolsa de Chicago encerra sessão com baixas nesta 2ª feira (05:46)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Segunda-Feira, 11/11
Encontre o time da APC no CBNA 2019 (11:45)
Exportações do agronegócio são recordes, mas faturamento externo cai (11:39)
Milho: demanda interna aumenta e impulsiona cotações (10:49)
Soja: grão se valoriza e indústria reduz processamento (10:47)
Vetanco Brasil reforça sua equipe técnica (10:29)
Soja começa semana operando em baixa na Bolsa de Chicago de olho na guerra comercial (10:18)
Ovos: exportações aumentam; no Brasil, pressão compradora limita altas (09:39)
Mercado de frango encerra a sexta-feira sem alterações expressivas (08:15)
Na B3, vencimento Dezembro/19 para o boi gordo encerra a 6ª feira a R$ 194,50/@ (08:05)
Receita das exportações de carne suína cresce 38,4% em outubro (08:00)
Milho sobe em Chicago na 6ªfeira após USDA reduzir safra, produtividade e exportações (07:36)
UFRA-PA abre processo para contratação de professores substitutos (02:46)
Sexta-Feira, 08/11
Suíno: altas de preços na granja e no atacado em São Paulo (13:40)
Milho segue desvalorizado em Chicago na espera por números do USDA (13:00)
Peru de Natal vai ficar mais caro na ceia de 2019 (12:30)
Andréa Silvestrim, Diretora do CBNA: “Com muita dedicação, estamos trazendo novos conceitos e tecnologias em nutrição para nosso próximo evento” (11:41)
BRF teve lucro líquido de R$ 293,9 milhões no 3º trimestre (11:32)
Faesc contra a tributação das exportações de produtos primários (10:40)
Milho: ofertas do cereal no mercado físico ficaram mais enxutas (10:20)
Soja: Chicago se mantém estável à espera dos novos números do USDA (10:16)
Biovet Vaxxinova realiza reunião de alinhamento estratégico (09:56)
Puxadas pelo milho, exportações do agro atingem US$ 8,4 bilhões em outubro (08:04)
Frango: atacado continua subindo (07:20)
Suínos: resultados inexpressivos marcam mercado nesta quinta-feira (07:14)
Boi: vencimentos Jan e Fev de 2020 fecham a sessão com quedas na B3 (07:13)
Cotação da arroba do boi sobe em 90% das praças pecuárias (07:13)
Milho se desvaloriza em Chicago nesta quinta-feira com números fracos para a exportação (07:12)
Soja brasileira está mais competitiva que a americana com um diferencial de até US$ 15/tonelada (07:10)
Produção de carne suína da China deve cair ao menos 20% em 2019, diz FAO (07:05)
Quinta-Feira, 07/11
China deve habilitar mais frigoríficos (21:38)
Frango: variações nos preços dos produtos marcaram outubro (14:44)
USDA: Vendas semanais de soja dos EUA ficam bem acima das expectativas (14:42)
Sindirações tem nova gestão para o período de 2019/2022 (11:38)
Hy-Line do Brasil recebe auditoria de missão chinesa para exportação de material genético (10:50)
Suínos: quantidade exportada é a 3ª maior e receita com embarques é recorde (09:15)
Boi: exportações recordes mantêm os preços internos em alta (09:12)
Missão chinesa chega a Rio Preto para avaliar polos de avicultura da região (08:22)
Seara adquire dona da mortadela Marba (08:20)
Ceva debate doenças respiratórias na produção de frangos de corte no Sindiavipar (08:08)
Preços da soja em Chicago já estão próximos do piso (08:04)
Soja trabalha com pequenas altas nesta 5ª e se ajusta antes do novo USDA (08:03)
Suínos: mercado segue aquecido nesta quarta-feira (07:59)
Boi Gordo: mercado segue firme e forte (07:57)
Milho: cotações futuras fecham a sessão de 4ª feira com ligeiras perdas em Chicago (07:50)