Sábado, 19 de Janeiro de 2019
Matérias-Primas

Soja fecha a 5ª feira com altas de mais de 13 pts em Chicago com correção técnica e olhos no Brasil
Campinas, SP, 18 de Janeiro de 2019 - Os preços da soja negociados na Bolsa de Chicago operaram durante todo o dia em campo positivo, intensificaram seus ganhos ao longo do pregão e terminaram a sessão com altas de mais de 13 pontos nos principais vencimentos.

O mercado se comportou de forma técnica, retomando parte das últimas baixas, levando o março/19 de volta ao patamar dos US$ 9,00 por bushel, fechando com US$ 9,07 nesta quinta-feira (17), enquanto o maio/19 foi a US$ 9,21.

Com poucas novidades, os traders se agarram às poucas informações que circulam no mercado, incluindo as perdas observadas no Brasil e as previsões climáticas para os próximos dias no país. Além disso, as recompras de posições por parte dos fundos também contribuiram.

À Reuters Internacional, o analista de mercado da Summit Commodities disse que "ainda está sendo vista uma cobertura de posições depois das vendas generalizadas da última terça-feira", quando o mercado ainda especulava sobre os rumores do avanço - considerado tímido por alguns profissionais - das negociações comerciais entre China e Estados Unidos.

Nos próximos dias 30 e 31 de janeiro, as delegações chinesas e norte-americana voltam a se encontrar e o mercado espera por novidades sobre o desenrolar das conversas, e principalmente mais detalhes concretos das próximas ações de ambos.

Também no radar dos traders segue a paralisação do governo de Donald Trump. São quase 30 dias servidores parados e, portanto, o mesmo período sem o mercado receber dados atualizados do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), entre eles as informações diárias e semanais das vendas para exportação, e o relatório mensal de oferta e demanda - WASDE - que deveria ter sido reportado no último dia 11.

"A especulação não possui fortes “munições” (notícias) para manter uma tendência específica. Além do mais, assim como estamos ressaltando há semanas, sem os relatórios do USDA o mercado fica sem uma definição de tendência de longo-prazo, enfrentando dificuldades de sustentar as altas ou pressionar as quedas. O retorno do USDA às publicações rotineiras ainda é indefinido, uma vez que o recesso do funcionalismo público dos Estados Unidos continua até que Trump assine o Orçamento do Governo para 2019", explicam os analista de mercado da ARC Mercosul.

Mercado no Brasil

Os preços subiram no mercado brasileiro nesta quinta-feira, acompanhando os ganhos na Bolsa de Chicago e também do dólar frente ao real. Embora pontuais no interior do país, as altas chegaram a superar os 2%, como foi o caso de São Gabriel do Oeste/MS, onde a saca terminou o dia com R$ 63,50.

Nos portos, ainda falta força aos preços. Em Paranaguá, apenas o spot subiu tímidos 0,27% para R$ 74,20 por saca, enquanto o fevereiro permaneceu nos R$ 74,40. Já no terminal de Rio Grande, estabilidade nos dois casos, com R$ 73,70 e R$ 73,30 por saca, respectivamente.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 19/01
Sexta-Feira, 18/01
FRANGO/CEPEA: desaquecimento de negócios pressiona valores da carne (09:51)
OVOS/CEPEA: poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda (09:50)
Milho: produtor de MT revê planos para safrinha (09:45)
Porto de Itajaí fecha o ano com melhor resultado desde 2011 (09:23)
Estudo sugere 'dieta universal' para salvar o planeta (09:22)
Ministério remove 'blindagem' de superintendências estaduais (08:22)
Boi Gordo: oferta regulada à demanda (08:09)
Milho: quinta-feira chega ao fim com preços em alta de até 6 pontos na Bolsa de Chicago (08:05)
Soja fecha a 5ª feira com altas de mais de 13 pts em Chicago com correção técnica e olhos no Brasil (08:00)
Quinta-Feira, 17/01
SUÍNOS/CEPEA: média do vivo é a menor para janeiro desde 2007 (11:06)
BOI/CEPEA: bom planejamento pode garantir margens positivas no fim de 2019 (11:03)
Balança Comercial Paulista registra superávit de US$ 11,49 bilhões, aponta IEA (11:02)
2ª Conbrasul Ovos 2019 vai reunir lideranças da avicultura de postura nacional e internacional de 16 a 19 de junho (09:28)
Presidente da ABPA se reúne governador Eduardo Leite (09:05)
Ministério tenta reabrir UE a carnes e pescados (08:28)
Milho: Bolsa de Chicago mantem tendência ao longo do dia e encerra quarta-feira em alta (08:23)
Carrefour vai monitorar fornecedores de carne por câmeras na França (08:20)
Fiscais Agropecuários gaúchos passarão por capacitação em inspeção (08:05)
STF abre investigação contra políticos na Operação Carne Fraca (08:02)
Três laboratórios têm selo Inmetro cancelado após descobertas da Operação Trapaça (08:00)
Cotação do boi gordo estável em São Paulo e frouxa em Mato Grosso do Sul (07:30)
Em mais um dia vazio de informações, soja fecha estável em Chicago nesta 4ª feira (07:18)
Quarta-Feira, 16/01
Brasil fomenta o maior projeto agropecuário da África (09:01)
ICC Brazil participa do IPPE 2019 (09:01)
Presença diária de fiscais em frigoríficos deverá ser mantida (08:56)
Quantos likes um ovo merece? (08:30)
Boi Gordo: atenção com as vacas e novilhas (08:04)
Milho: Bolsa de Chicago encerra terça-feira com quedas nos preços (08:02)
Soja trabalha em campo positivo nesta 4ª feira em Chicago em ajuste técnico depois das baixas (08:00)
Valor da Produção fecha 2018 em R$ 569,8 bilhões (07:49)
Terça-Feira, 15/01
FRANGO/PERSPEC 2019: após ano difícil, cenário sinaliza recuperação para 2019 (11:27)
OVOS/PERSPEC 2019: excesso de produção pode limitar ganho; produtores devem ter cautela em 2019 (11:25)
SUÍNOS/PERSPEC 2019: exportação e custo menor podem garantir ano mais positivo (11:23)
BOI/PERSPEC 2019: após exportação recorde em 2018, setor aposta em demanda interna em 2019 (11:21)
Foto de ovo tem o maior número de “curtidas” do mundo (07:39)
Redes de fast-food não se comprometem com bem-estar de frangos, diz ONG (07:38)
eSocial: o que o empregador PF precisa saber sobre CAEPF (07:37)
Baixa demanda por carne bovina mantém mercado do boi com pouca movimentação (07:20)
Importações chinesas de soja recuaram 8% em 2018 (07:18)
Soja testa leves altas em Chicago nesta 3ª feira corrigindo as últimas baixas (07:17)