Novogen | Globoaves|Galeria de Foto|Revista do Ovo|
 
 
Encontro Novogen 2013
 
Este texto está publicado na edição Novembro Dezembro da Revista do Ovo.
Veja as fotos do evento em: ovosite.com.br/encontronovogen2013/fotos.html
 
Em sintonia com o aumento do consumo de ovos no Brasil e a boa fase do setor, Globoaves destaca a genética Novogen em encontro com produtores
 
A Globoaves já era grande e já atuava em diferentes segmentos da avicultura quando, em 2010, firmou parceria com o Grupo Grimaud para trazer uma nova genética de postura para o Brasil. Assim, a Novogen chegou ao país. A empresa foi criada após a aquisição da francesa Hubbard pelo Grimaud, que também tem sede na França. O objetivo era justamente expandir suas atividades na seleção e distribuição mundial de avós e matrizes de aves poedeiras comerciais.
A parceria entre Grimaud e Globoaves existe, na verdade, desde 2009, quando foi criada a Global Breeders, destinada a atender a demanda crescente por matrizes de frango colorido.
Atualmente, quatro anos depois da chegada da Novogen ao Brasil, a Globoaves já tem números expressivos e feitos importantes para mostrar no setor de postura comercial. A genética Novogen, por exemplo, já está entre os campeões do concurso de qualidade do ovo, que acontece durante a tradicional Festa do Ovo de Bastos, SP.
E, agora, para reunir produtores, clientes e convidados da Bolívia, Chile, Uruguai e Argentina e celebrar o sucesso já consolidado da Novogen por aqui, a Globoaves organizou, dia 21 de novembro, o Encontro Novogen 2013, em Campinas, SP.

A Globoaves
A Globoaves tem origem familiar e é formada por três negócios principais: genética (corte e postura), frigoríficos e biotecnologia (ovo SPF para produção de vacinas humanas). Em 2013, estima produzir 300 milhões pintos de um dia, além de abater 360 mil frangos por dia.
Presente no Encontro Novogen 2013, Roberto Kaefer, diretor da Globoaves, afirmou: "Nós fizemos essa empresa. Não herdamos. Sabemos bem o que é a avicultura. Acompanhamos o bonde que foi andando. Crescemos juntos com a avicultura. Temos muito orgulho desta empresa. E eu, como dono, me sinto muito satisfeito em realizar este evento e, principalmente, com a quantidade de clientes aqui presentes para apresentar esta nova genética".

O encontro
Os avicultores participaram de uma programação que incluiu almoço, palestras sobre o mercado de grãos (Dilvo Grolli, presidente da Coopavel), salmonelose (Paulo César Martins, médico veterinário da Lohmann Saúde Animal), o mercado da postura comercial (Roberto Kaefer, diretor da Globoaves), a evolução da Novogen no mundo (Mickael Le Helloco, gerente geral da Novogen), manejo (Miguel Valls, médico veterinário da Novogen), nutrição (Philippe Joly, consultor mundial da Novogen) e também uma apresentação com informações sobre o Grupo Grimaud, (Olivier Behaghel, diretor de negócios da Novogen). Ao final, foram sorteados seis produtores, que ganharam 1.000 pintainhas Novogen cada.
Os ganhadores foram: Maicon Queiroz (Granjas Bampi), João Vanderlei (Granja Ales Gutti, de SC), Osvaldo Facciolo (Granjas São José, do PR), Marcos Antônio (Granja Pommer, ES), Jorge Luis Weber (Granja Jorge Luis, de SC), Mitsuo Sahara (Granja Tsuru, de SP).




Roberto Kaefer, Diretor da Globoaves: Satisfeito pelo sucesso da Novogen no Brasil e a realização do Encontro Novogen


As palestras
Roberto Kaefer deu início à série de palestras apresentando dados de produção e exportação de ovos e alojamento de pintainhas de postura. Em 2012, o Brasil produziu 31,8 milhões de unidades de ovos. Para 2013, a previsão é de produção de 32,5 milhões de unidades. Em termos de embarques, foram exportadas 26,8 mil toneladas de ovos em 2012, o que representou um aumento de 61% sobre 2011.
Antenado com o mercado internacional de postura, Roberto frisa que o setor, no Brasil, precisa inovar. Como visitante da Anuga 2013 (Colã┬┤nia, Alemanha, 5 a 9 de outubro), ele destaca algumas novidades apresentadas no evento. O Eggs Play, produzido pela dinamarquesa HedegaardFoods (www.en.eggs.dk), é uma delas. A empresa lançou no mercado bandejas para 8 ovos que armazenam o produto e podem ser reutilizadas como brinquedos. Coloridas, elas chamam a atenção da criançada e podem virar castelos, torres e pontes. O conceito é simples: Crianças amam ovos e amam brinquedos também.
"Precisamos olhar para o mercado e saber o que nos espera. Mas o mais importante é ter a responsabilidade de não produzir demais".
 
 


Time de especialistas: Palestrantes convocados traçaram um raio-X da genética Novogen com informações sobre o mercado

 


Produtores, clientes e convidados da Bolívia, Chile, Uruguai e Argentina

Mercado de grãos: Dilvo Grolli, Presidente da Coopavel
Dilvo Grolli, Presidente da Coopavel, falou sobre sua grande especialidade, o mercado de grãos. Segundo ele, em três anos, o Brasil registrou um crescimento de 46 milhões de toneladas de grãos. Um salto de 10%. Uma grande oportunidade. Além disso, a produtividade aumentou 240% entre 1990 e 2012. Importante destacar que este foi um crescimento "limpo", sem agredir o meio ambiente.
Se não fosse pelo agronegócio, o Brasil estaria perdido. O superávit do agronegócio brasileira em 2012, foi de 79 bilhões de reais, o que evitou uma quebra de 60 bilhões de reais na balança comercial.
Dilvo alertou aos produtores sobre uma alta de 12 a 15% que deve ser verificada nos preços do milho. Mas lembrou que essa reação é necessária para o produtor do grão. "Precisamos aceitar a realidade mesmo que não seja a favor do nosso negócio. Vai subir, mas é para o bem da cadeia. Não se apavorem!".
Em 2013, a produção deve alcançar 79 milhões de toneladas. O consumo previsto é de 54 milhões de toneladas. Então, mesmo com a exportação de 22 milhões de toneladas, ainda vai sobrar milho.
"O problema que envolve a nossa logística deficiente vai piorar. Se está ruim agora, vai piorar. Porque até 2020, vamos produzir 260 milhões de toneladas de grãos (100 milhões de toneladas de milho). E grande parte disso vai ser exportado. Se hoje temos filas de 20 Km de caminhões no acesso a Santos, em 2020, serão 200 km de filas. Aí o negócio vai pegar!". Importante destacar que todo esse crescimento não envolve desmatamento. "Na região conhecida como Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), há muito área disponível para plantação. È possível crescer sem derrubar uma árvore", afirma DilvoGrolli.

 

 

Salmonelose: Paulo César Martins, médico veterinário da Lohmann Saúde Animal
Uma das formas para diminuir o nível do desafio sanitário e aumentar a imunidade é a biossegurança. A afirmação é de Paulo Martins, que também elencou as medidas gerais de biosseguridade: Conscientizar os funcionários e realizar treinamentos sistemáticos da equipe; isolar a propriedade e instalações;controlar a entrada de veículos e funcionários; limpar e desinfetar, programa de imunização e tratamento profilático, aquisição de aves sadias; vazio sanitário; controle de roedores, ácaros e insetos; monitoria sanitária de água, ração, instalações e plantel; compostagem; programas de contingência; auditoria e registros.
Sobre a capacitação de funcionários, Paulo César ressalta que estes treinamentos podem ser solicitados aos fornecedores de produtos veterinários. Segundo ele, a biossegurança tem três níveis: Conceitual (exemplo: granja sem vizinhos), estrutural (exemplo: cercar as granjas) e operacional. Devemos ter galpões cercados, com controle de entrada de veículos e funcionários e compostagem. Essa é a biossegurança do dia a dia.
No Reino Unido, a vacinação para salmonela é obrigatória. Existe uma vigilância sanitária para que isso ocorra. Nos Estados Unidos não é obrigatória. Os dois países têm as mesmas ferramentas para controle.
Atualmente existem no mercado nacional 3 tipos comerciais de vacinas para salmonelas aviárias, excluindo as autógenas: vacina viva injetável de SG, vacina inativada de SE e ST, vacina viva oral de SE e ST.
Paulo César lembra que por aqui usamos vacina inativada para tifo, em poedeiras e matrizes. Mas falta a vacina viva via oral para reprodutoras. E, por isso, estamos 20 anos atrasados na comparação com os Estados Unidos.

Evolução da Novogen no mundo: Mickael Le Helloco, Gerente Geral da Novogen
Novogen faz parte do grupo francês Grimaud. Portanto, não é uma empresa nova, uma vez que integra o GrupoGrimaud, da qual também faz parte a Hubbard.
O programa genético desta empresa começou há 20 anos. "A partir de 2008 começamos a trabalhar a marca Novogen. Nosso escritório central fica na Bretanha, França, esta é também a base do melhoramento genético, que ainda tem parte concentrado nos Estados Unidos" diz Mickael.
Ele conta que o mercado mundial de genética para postura tem crescido entre 2 e 3% por ano, mas estava concentrado em 2 ou 3 empresas. "Era preciso mais um fornecedor de genética".
O Grupo Grimaud é uma empresa genética multiespécies. Trabalha com várias espécies (pato, pombos, coelho, suínos, aves de corte e postura), o que traz um ganho maior em conhecimento agregado. Os produtos oferecidos para postura comercial são: NovoBrown, NovoTinted (para o mercado asiátio) e NovoWhite.
NovoWhite e NovoBrown estão presentes em mais de 45 países. A Novogen detém de 8 a 10% do mercado mundial de genética para postura comercial. Já na Europa, o número é mais expressivo é chega a 25 % de mercado.
Mickael revela a filosofia de seleção da Novogen: qualidade da casca, produtividade, eficácia alimentar, capacidade de adaptação, viabilidade.
A Novogen, para chegar ao melhoramento genético, dá ênfase aos fatores genéticos e ambientais. Enquanto trabalha no processo de seleção, faz a ave sofrer os mesmos tipos de desafio do campo. Mickael Le Helloco detalha o processo: "As aves são mantidas em grupos compostos por 5 a 10 aves da mesma família na mesma gaiola. Outras companhias mantêm as aves em gaiolas individuais. Mas, dessa forma, não é possível observar, por exemplo, um comportamento de canibalismo. Além disso, a ração durante o processo de seleção é trocada, passa de milho e soja para trigo. Assim, podemos ter certeza de que as aves são boas também em diferentes condições de alimentação.
Entre 60 e 95 semanas, as aves são tiradas das gaiolas coletivas e colocadas em gaiolas individuais para que seja possível coletar dados individuais. A partir e ao final de uma série de outros testes são escolhidas as melhores famílias para serem a base do processo de seleção. Depois, são escolhidas as melhores aves para se certificar se realmente são boas em piso ou gaiola".
Ele completa: "Consideramos a vida real no campo. Desafiamos a ave para que ela se adeque à realidade de campo". O Grupo Grimaud já trabalha com seleção genômica, que vai direto nos genes e observa se há o gene para uma maior produção de ovos ou qualidade de casca, por exemplo. "Esta é a última tecnologia e a Novogen já está por dentro".
Para finalizar Mickael revela os resultados de experimentos: "Comprovou-se que em um lote de 50 mil poedeiras comercias, existe uma diferença de 50 mil euros a mais no final do ciclo do lote, na comparação com outras linhagens".

 

 

Manejo de alimentação das poedeiras: Miguel Valls, médico veterinário da Novogen
Miguel falou sobre a alimentação adequada e as formas de fornecê-la para as poedeiras Novogen. Segundo ele, na primeira fase, acontece o desenvolvimento esquelético. O maior ganho de peso está nas primeiras quatro ou cinco semanas. E então, a apresentação da ração deve ser em migalhas. Vale lembrar que o período de recria é responsável por 80% do sucesso da produção, para garantir este sucesso, é importante fazer a transferência das aves antes que os primeiros ovos sejam postos.
"Um bom manejo pode garantir a obtenção de aves homogêneas às 18 semanas, com peso vivo adequado (1,250 Kg para a NovogenWhite), maturidade sexual adequada, capacidade de ingestão suficiente para satisfazer o aumento do consumo de alimento no início da fase de postura). O objetivo é favorecer o pico de postura e sua persistência, o peso do ovo, a qualidade e o peso do ovo e a viabilidade", afirma.
Miguel apresentou dados de um estudo que avaliou diferentes programas de luz. Com um programa de luz decrescente lento, aos 56 dias, as aves mantidas neste sistema apresentavam peso de 731 gramas. As que receberam um programa de luz normal pesavam 678 gramas no mesmo período.
Miguel divulgou alguns conceitos importantes. Ele afirma que uma duração maior do período de luz utilizado na recria favorece o consumo de ração e o crescimento. E também que, durante as primeiras semanas de vida, o peso corporal depende do nível energético da ração. Então, nessa fase, a ração deve ser apresentada em migalhas.
Ele também acredita na importância de esvaziar os comedouros a partir de 3ª semana (antes disso, a alimentação deve ser à vontade). Ele deve ser mantido vazio uma vez ao dia. Caso não seja esvaziado, a galinha vai escolher as partículas maiores, o que atrapalha a uniformidade do lote.
Sobre o programa de iluminação, Miguel recomenda, para a produção em regiões de clima quente, 2 horas de luz à meia noite, e que o início da iluminação artificial comece logo cedo.
Para finalizar, mais uma orientação: a ração deve ser distribuída no final da tarde, período em que é formada a casca do ovo. Além disso, devemos favorecer o consumo durante a formação da casca do ovo e nas horas mais frescas.

Nutrição: Philippe Joly, consultor mundial da Novogen
O consultor apresentou resultados de 15 estudos com metionina para chegar a uma indicação. Considerando estes experimentos, recomenda: 7,5 mg de metionina para cada grama de ovo. De acordo com Philippe, aminoácidos devem ser estimados em mg e em gramas por ovo. Dessa forma é possível levar em conta a evolução genética, um número maior de experimentos e uma melhor estimativa das necessidades diárias.
Philippe ressalta a importância de consideramos sempre os valores para a metionina de forma isolada. Ao avaliarmos metionina + cistina, a deficiência pode ser apenas de metionina. Não é correto aumentar a cistina também, se o necessário for aumentar a metionina apenas. "Se a demanda por metionina não for atendida, a ave come pena, que é rica em metionina. Este comportamento é conhecido também como chupar pena. Quando isso acontece, a mortalidade também é alterada. Não devemos reduzir a metionina, a galinha paga caro", indica.
Philippe faz a indicação de um valor seguro de metionina + cistina: 11,5 mg por grama de ovo.
O consultor faz outro alerta: Aves precisam de fibra para auxiliar no processo digestivo. Além disso, a presença da fibra incrementa o tempo de consumo de ração.
No Brasil, onde usamos principalmente rações a base de milho e soja, a quantidade de fibra é baixa e por isso temos mais problemas de bicagem. Na Argentina, onde há o acréscimo de farelo de girassol nas rações, há menos problemas de bicagem.

 

 

O Grupo Grimaud: Olivier Behaghel, Diretor de Negócios da Novogen
Em uma rápida apresentação, Olivier falou sobre a missão do Grupo Grimaud: Desenvolver conhecimento e produtos no campo da vida e da ciência para aplicação na seleção genética animal e biofarmácia para trabalhar os desafios de alimentação e saúde.
O Grimaud está envolvido em dois negócios: seleção genética (produção e comércio de genética animal ­ aves de corte e postura, suínos, patos, pombos, coelhos e aquacultura); biofarmácia (para servir humanos e a saúde animal ­ vacinas, produtos farmacêuticos, anticorpos humanos e animais SPF).
Em 2012, as vendas do Grupo Grimaud alcançaram 51 milhões de matrizes de frango, representado 20% do mercado mundial e 1,5 milhões de poedeiras, o que equivale a 8 ­ 10 % do mercado mundial.

Revista do AviSite | Revista do Ovo | Notícias | Clipping |
Estatísticas e Preços | Classificados | Currículos | Publicidade |
© 2012. Todos os direitos reservados à Mundo Agro Editora Ltda.