Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2018
Mercado

Frango vivo, ovo, milho e inflação em setembro de 2018
Campinas, 10 de Outubro de 2018 - Calculada pelo Índice Geral de Preços (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas, a inflação acumulada desde a implantação do real (julho de 1994) como padrão monetário brasileiro ultrapassou em setembro a marca dos 600%. É um índice bem superior aos alcançados pelo frango vivo, milho e, sobretudo, pelo ovo nos quase 300 meses (pouco mais de 24 anos) de vigência da atual moeda.

A perda mais flagrante, não há dúvida, é a do ovo. Com preços decrescentes desde a passagem do período pascal (a alta registrada em junho foi acidental, decorrente de falhas no abastecimento ocasionadas pela greve dos caminhoneiros), o produto encerrou o terceiro trimestre do presente exercício com o segundo menor valor nominal dos últimos três anos. Ou seja, de outubro de 2015 para cá, o preço médio registrado em setembro passado ficou acima, apenas, daquele alcançado em janeiro de 2018.

Mas não só isso. Pois se, desde seu lançamento, o real sofreu desvalorização de 606%, o preço alcançado pelo ovo em setembro passado equivaleu a uma valorização de apenas um terço daquele índice – exatos 202%. Com isso, registrou valor real 57% menor que o alcançado em agosto de 1994.

Com o frango a situação é menos tensa, pois, graças a um incremento de preço de mais de 8% em relação ao mês anterior, fechou setembro com uma valorização pouco superior a 440% na vigência do real. Ou seja: seu preço ainda está cerca de um quarto abaixo da inflação acumulada, mas registra evolução equivalente a mais do dobro da evolução de preço do ovo.

Nessa história, quem continua sofrendo menos é o milho. Que mesmo registrando pequeno recuo de preço no último mês, alcançou neste ano valor 44% superior ao de um ano atrás e experimenta, na era do real, valorização de 462% - acima, portanto, da valorização obtida por frango e ovo.

De toda forma vale observar que milho e frango vivo apresentaram, em setembro, quase a mesma paridade de preços registrada em agosto de 1994. Quer dizer: no tocante ao milho, o poder de compra do frango vivo foi cerca de 5% menor em setembro. Já para o ovo, o recuo anda não muito distante dos 50%. Ou seja: enquanto em 1994 uma caixa de ovos adquiria 2,5 sacas de milho, no momento adquire apenas 1,350 saca.

(AviSite) (Redação)
Imprimir esta notícia...Enviar esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 12/12
Setor de ovos orgânicos projeta crescimento (07:39)
Ovos: mercado segue calmo e bem abastecido (07:27)
Ano tem sido bem difícil para os produtores de ovos (07:25)
Terça-Feira, 11/12
ABPA: o que veio e o que esperamos que virá (09:25)
Ansioso, produtor de ovos espera 2019 chegar (09:21)
C. P. Group adota política de “embalagens sustentáveis” (07:50)
Ovos: reposições retraídas e preços estáveis (06:53)
Segunda-Feira, 10/12
Preço médio semanal da caixa de ovos brancos (06:22)
Sexta-Feira, 07/12
OVOS: forte deterioração de preços no segundo semestre (06:16)
Ovos: mercado ainda não se firmou, mas preços subiram novamente (05:57)
Quinta-Feira, 06/12
Margens do varejo na comercialização de frango e ovo (06:58)
Ovos: evolução diária acompanha a média histórica do último decênio (06:12)
Ovos: mercado ainda não apresenta melhora (06:09)



Últimos Clippings
Pioneirismo e inovação marcam 10 anos da Yes
Exportações de carne bovina deverão bater novos recordes no ano que vem
Granja do Cedro é destaque de pecuária no prêmio “As melhores da Dinheiro Rural”
Embrapa fecha acordo com Sindan para pré-análise de novos produtos veterinários
Safra pode repetir recorde com 238,4 milhões de toneladas

Nossos Parceiros
AgroceresMSD