Revista do AviSite
Revista do OvoSite
Edições anteriores
Notícias
Informativo Diário
Informativo Semanal
AviGuia
AviSite
Trabalhos Técnicos
Legislação
Busca Avançada
Cadastre-se
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Segunda-feira, 29/11/2021
Siga-nos:
Trabalhos Técnicos
CIÊNCIA & TECNOLOGIA - Trabalhos Técnicos

Outras Áreas

Cecectomia em Frangos de Corte por Incisão Abdominal e Anestesia Local

Brito, AB Xavier, SAG Andrade, MA Stringhini, JH Gonzales, E Café, MB INTRODUÇÃO A técnica para a avaliação do teor de aminoácidos digestíveis dos alimentos, foi descrita por Sibbald (3), sendo utilizado para esse fim galos adultos. A escolha de galos adultos foi aceita pelos pesquisadores devido sua rusticidade, pois o processo de determinação dos aminoácidos digestíveis possui uma execução laboriosa caracterizada pela retirada cirúrgica dos cecos (cecectomia), objetivando a eliminação da produção dos aminoácidos exógenos pela microflora cecal (2). Sabe-se, porém, que o estado de maturação fisiológica do trato gastrintestinal das aves de corte são diferentes dos encontrados em galos adultos. Então, o uso de frangos para a determinação dos valores de aminoácidos digestíveis dos ingredientes torna-se um fator relevante na busca por dietas de melhor qualidade. Experimentos recentes demonstraram que a intervenção cirúrgica na região abdominal de frangos de corte é possível mesmo no primeiro dia de vida (1). Além de descrever o procedimento cirúrgico o objetivo deste trabalho foi o de avaliar, em frangos de corte com um e sete dias de idade, a técnica da cecectomia por incisão abdominal e anestesia local. MATERIAL E MÉTODOS O experimento foi conduzido no aviário do setor de avicultura da EV/UFG em Fevereiro de 2004. Foram utilizados 72 aves da linhagem AgRoss, divididas em seis tratamentos e 12 repetições, sendo eles: Grupo A - aves integras; Grupo B - aves submetidas apenas a incisão abdominal após a eclosão; Grupo C - aves deutectomizadas após a eclosão; Grupo D - aves deutectomizadas e cecectomizadas após a eclosão; Grupo E - aves submetidas apenas a incisão abdominal com sete dias; Grupo F - aves cecectomizadas com sete dias de vida. As aves foram mantidas em decúbito dorsal, contendo-se as pernas e asas manualmente. O campo cirúrgico foi preparado com a assepsia da região do abdome por infusão de iodophor a 1:250. Para se obter a anestesia local foi aplicado no tecido subcutâneo e fácias musculares 0,3 mL de uma solução de cloridrato de lidocaína. A incisão, de aproximadamente dois cm, foi realizada no lado direito do umbigo entre o púbis e a extremidade distal do esterno, no sentido latero-medial e crânio-caudal. Nas aves pertencentes aos Grupos C e D (aves neonatas) houve a necessidade de se realizar a retirada do saco vitelino (deutectomia). Esta estrutura, facilmente identificada após incisão abdominal, foi totalmente exteriorizada procedendo-se o pinçamento do divertículo de Meckel com fio catgut 3-0, sendo extraído posteriormente. As aves dos Grupos D e F foram submetidas a cecectomia. Para a retirada dos cecos, estrutura localizada no plano abaixo das alças intestinais e duodeno, foi realizada a ligadura e posterior dissecação dos ramos ileocecais da artéria pancreático-duodenal, porém respeitando a artéria mesentérica-cranial. Utilizando-se o fio catgut 0-0 os cecos das aves foram ligados a aproximadamente 0,5 cm da junção ileocecal, sendo posteriormente extirpados. Os cotos foram instilados com gotas de solução antibiótica (penicilina benzatina) e as alças intestinais devolvidas para o interior do abdome. A parede abdominal foi suturada com fio catgut 3-0 cromado com ponto separado simples. No pós-operatório foi administrado, por via intramuscular, 25.000UI/kg de penicilina benzatina. A seguir as aves foram distribuídas em um delineamento inteiramente casualizado e alojadas em gaiolas isoladas com fonte de aquecimento, bebedouro e comedouro. Foram avaliados o desempenho e o total de excretas produzidas do 8° ao 21° dia de idade. A mortalidade foi avaliada logo após o procedimento cirúrgico. A análise estatística foi realizada pelo programa UFV/SAEG (4), sendo utilizado o teste Tukey a 5% de probabilidade. RESULTADOS E DISCUSSÃO Em média, os procedimentos cirúrgicos foram completados em 10 minutos, mas as aves do Grupo D permaneceram por 15 minutos na mesa cirúrgica, o que pode ter influenciado na mortalidade (Tabela 1). Outro fator que influenciou a mortalidade foi a idade das aves submetidas ao procedimento cirúrgico, sendo recomendado o uso de aves com sete dias. A cirurgia foi um fator depressor de crescimento, conforme observado nos resultados de desempenho. Porém o desempenho das aves cecectomizadas com sete dias (Grupo F) não foi estatisticamente diferente do tratamento controle (Grupo A). Outro resultado importante foi o total de excretas produzidas, em todos tratamentos não foram observadas diferenças significativas com relação ao volume excretado, exceto para o grupo deutectomizado e cecectomizado (Grupo D). CONCLUSÕES O procedimento de cecectomia foi viável com frangos de corte com no mínimo sete dias de idade. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Brito, A.B., Cruz, C.P., Cunha, W.P., et al. RevBraCieAvi 2002; supl 04; p.90 Pupa, J.M.R., Leão, M.I., Rostagno, H.S. Prêmio Lamas/APINCO 1998; p.87 Sibbald, I.R. PoultSci. 1979; 58:668-73 UFV/SAEG. Versão 7.1, Viçosa:UFV/Imp. Univ; 2000 AGRADECIMENTOS Os autores gostariam de agradecer a Degussa, GEM Alimentos, CNPq e Asa Alimentos pelo apoio.


Outras Áreas
















































CATEGORIAS

Administração, Economia, Planejamento e Política Avícola (7)

Alternativa (1)

Ambiência (8)

Equipamentos (3)

Estrutiocultura (2)

Manejo / Incubação (22)

Nutrição (28)

Outras Áreas (16)

Perspectivas para 2012 (1)

Ponto Final (1)

Produção (6)

Sanidade (47)

Saúde (1)

REVISTA ONLINE

Clique acima para acessar o leitor digital ou abaixo para Download do PDF