Revista do AviSite
Revista do Ovo
Notícias
Informativo Semanal
AviGuia
AviSite
Trabalhos Técnicos
Legislação
Busca Avançada
Cadastre-se
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Segunda-feira, 30/11/2020
Siga-nos:
Notícias Informativo Semanal
NOTÍCIAS
Exportações do agronegócio caíram 6,2% em outubro, para US$ 8,2 bi, diz ministério




São Paulo, SP, 12/11/2020

O forte ritmo de embarques de soja e carnes arrefeceu e as exportações brasileiras do agronegócio encerraram outubro em queda na comparação com o mesmo mês de 2019, apesar do forte aumento das vendas de açúcar.

Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pelo Ministério da Agricultura, as exportações setoriais renderam US$ 8,181 bilhões no mês passado, 6,2% menos que em outubro do ano passado. As importações recuaram 0,2%, para US$ 1,203 bilhão, e com isso o superávit foi 7,2% menor (US$ 6,978 bilhões).

Tradicional carro-chefe da balança do campo, o chamado “complexo soja”, que inclui o grão e seus derivados (farelo e óleo), registrou desempenho bem inferior ao de um ano atrás, mas basicamente por causa do forte avanço observado nos meses anteriores. Em outubro as exportações do segmento renderam US$ 1,44 bilhão, uma queda de 39% ante o mesmo mês de 2019.

“As exportações de soja em grão foram de quase 2,5 milhões de toneladas, ou praticamente a metade da quantidade exportada em outubro de 2019. Com essa queda, o valor exportado do grão recuou de US$ 1,83 bilhão para US$ 913,46 milhões”, informa o balanço do ministério.

Com a queda da soja, as carnes assumiram a ponta dos embarques do setor em outubro, embora também tenham registrado performance negativa na comparação anual. As vendas do segmento ao exterior renderam US$ 1,464 bilhão, uma retração de 9,7%.

“As vendas externas de carne bovina e de frango recuaram 7,9% e 21,7%, respectivamente. Por outro lado, as exportações de carne suína registraram crescimento de 24,7% em outubro, chegando ao recorde de US$ 198,25 milhões exportados. Somente a China importou US$ 116,37 milhões (+55,1%), ou 58,7% do valor total exportado pelo Brasil de carne suína. A região administrativa especial chinesa de Hong Kong foi a segunda maior importadora, com US$ 20,96 milhões (-25,8%), ou 10,6% do valor total exportado pelo Brasil”, detalhou o ministério.

Os números da Pasta mostram que o grande destaque positivo da balança do agronegócio no mês passado foi o segmento sucroalcooleiro. Puxados pelo açucar, os embarques nessa frente aumentaram 113,3% ante o mesmo mês de 2019, para US$ 1,388 bilhão.

“As vendas externas de açúcar subiram 121%, passando de US$ 543,96 milhões, em outubro de 2019, para US$ 1,2 bilhão em outubro de 2020. A China foi a maior importadora, com US$ 311,74 milhões em aquisições, ou 25,9% do valor total exportado pelo Brasil”, afirmou a Pasta.

Apesar de forte avanço das vendas de açúcar à China, a participação do país asiático nas exportações do agronegócio brasileiro caiu em outubro, sobretudo por causa dos recuos das vendas de soja. Conforme o ministério, a fatia chinesa na receita total dos embarques recuou de 32,4%, em outubro de 2019, para 26,5% no mês passado.

Nos primeiros dez meses do ano, conforme o ministério, as exportações brasileiras de produtos do agronegócio somaram US$ 85,849 bilhões, 5,7% mais que em igual intervalo do ano passado. As importações recuaram 9,6% na comparação, para US$ 10,383 bilhões, e o superávit foi 8,2% maior (US$ 75,457 bilhões).

Soja e derivados puxaram os embarques de janeiro a outubro (US$ 33,690 bilhões, alta de 17,8%), seguidos por carnes (US$ 14,104 bilhões, alta de 4,9%), produtos florestais (US$ 9,449 bilhão, queda de 15,1%) e açúcar e etanol (US$ 8,061 bilhões, alta de 59,7%).


Fonte: Valor Econômico
Autor: Fernando Lopes




COMENTÁRIOS



NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS












NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE

Clique acima para acessar o leitor digital ou abaixo para Download do PDF