Revista do AviSite
Revista do Ovo
Notícias
Informativo Semanal
AviGuia
AviSite
Trabalhos Técnicos
Legislação
Busca Avançada
Cadastre-se
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Terça-feira,
Siga-nos:
Notícias Informativo Semanal
NOTÍCIAS
ASGAV aponta que certificadora para produção de ovos estão na fase final de desenvolvimento




Porto Alegre, RS, 27/11/2020

Nos dias 25 e 26 de Novembro do corrente, aconteceu o treinamento dos auditores que atuarão no Programa de Certificação da qualidade de ovos da ASGAV/Ovos RS.

Após um período programado de desenvolvimento de requisitos técnicos que serão aplicados por ocasião das auditorias de certificação e também a apresentação de todo o conteúdo desenvolvido aos membros do serviço oficial, à ABPA, Instituto Ovos Brasil, bem como, à International Egg Commission, agora o programa chega a sua fase final que implica na formação dos auditores que atuarão no processo de certificação.

O treinamento dos auditores foi realizado nas dependências do Instituto SENAI de Mecatrônica em Caxias do Sul/RS, área do SENAI que fará a gestão dos auditores e do processo de certificação. Esta unidade do SENAI é um organismo certificador acreditado no InMetro e trabalhará na execução das atividades de certificação dos estabelecimentos interessados. Passaram por esta etapa do processo de treinamento auditores que possuem os pré-requisitos definidos, tais como: experiencia em auditorias, formação nas áreas de medicina veterinária, zootecnia, engenharia de alimentos e áreas correlatas.

O treinamento foi conduzido pela equipe do Instituto SENAI de Alimentos e Bebidas que vem desenvolvendo todos os requisitos técnicos e requisitos de certificação juntamente com ASGAV e Programa Ovos RS com a participação da zootecnista Raquel Melchior, consultora técnica do programa de certificação O.P.Q.

O Programa de Certificação Ovos Plus Quallity, O.P.Q. deverá certificar os sistemas alternativos de produção de ovos: Cage free, Free range, colonial, caipira, orgânicos e codornas. Serão avaliados os seguintes aspectos de Bem Estar Animal:

- Nutrição: qualidade e disponibilidade de ração e água (associado à temperatura adequada); - Ambiência: qualidade do ar, temperatura, luz, manutenção das instalações;

- Biosseguridade e sanidade dos locais de alojamento e dos plantéis;

- Práticas de manejo; densidade de alojamento

- Comportamento e treinamento de pessoal que maneja as aves;

- Registro das atividades e acompanhamento dos lotes;

- Avaliações das condições das aves (plumagem; conformação óssea; comportamentos anormais; doenças e infestações; produtividade; mortalidade).

Ao longo dos últimos anos aumentam as exigências e pressões por parte de organizações que tratam das questões de bem estar animal.

Acompanhando estes movimentos a ASGAV e o Programa Ovos RS estão atuando fortemente junto ao Ministério da Agricultura, Organização Mundial da Industria e Produção de Ovos e ABPA no processo de desenvolvimento do Código Terrestre de Bem Estar Animal para Aves Poedeiras que está em tramitação Organização Mundial de Saúde Animal e deverá ser oficializado no próximo ano.

"Temos pleno conhecimento das mudanças que vem acontecendo no setor produtivo no que se refere as práticas de Bem Estar Animal, o setor vem se preparando para adaptar-se cada vez mais à estas práticas dentro de um prazo que não inviabilize as atividades", comenta Eduardo Santos, Presidente Executivo da Asgav/Sipargs.

As adesões aos sistemas alternativos de produção de ovos já acontecem de forma responsável em número considerável de estabelecimentos e os princípios de bem estar animal devem ser adotados em todos sistemas produtivos. A Certificadora Ovos Plus Quality O.P.Q. servirá para auxiliar aqueles produtores que estão ou irão aderir aos sistemas alternativos para que façam de maneira correta, consciente e com base em diretrizes técnicas e legais.

A ASGAV enfatiza que as mudanças para os sistemas alternativos de aves criadas soltas, precisam de atenção, orientação e o máximo de cuidados nas áreas de meio ambiente e sanidade. A entidade alerta que as pressões para mudanças imediatas ou a curto prazo, podem aumentar os riscos de descontrole e automaticamente a incidência de enfermidades que possam gerar danos à saúde dos animais e das pessoas.


Fonte: ASGAV / SIPARGS
Autor: Assessoria de Imprensa




COMENTÁRIOS



NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS












NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE

Clique acima para acessar o leitor digital ou abaixo para Download do PDF