Nos EUA, Alasca e Oklahoma relatam primeiros surtos de gripe aviária

No fim de semana, autoridades federais de agricultura relataram os primeiros surtos de gripe aviária altamente patogênica no Alasca e Oklahoma, elevando o número de estados afetados nos EUA para 32.

Além disso, os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) emitiram recomendações para auxiliar os departamentos de saúde a investigar e responder a possíveis casos humanos, e estados afetados anteriormente, vários deles no Centro-Oeste, relataram mais surtos em aves. 

Quase dois terços dos estados agora afetados 

O surto no Alasca atingiu um plantel doméstico em Matanuska-Susitna Borough, parte da área metropolitana de Anchorage, de acordo com uma informe de 30 de abril do Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal (APHIS) do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA). A instalação abriga 30 aves.

Antes do atual surto, nenhum resultado positivo de teste de aves selvagens havia sido relatado no Alasca.

Ontem, o APHIS anunciou o primeiro surto de Oklahoma, envolvendo uma granja avícola comercial no condado de Sequoyah, na parte centro-leste do estado, na fronteira com o Arkansas. O lote afetado tinha 13.800 aves.

Oklahoma havia relatado anteriormente a detecção de H5 pelo sistema de vigilância de aves selvagens, em um pato-real encontrado morto no condado de Payne no final de março.

A gripe aviária altamente patogênica já foi confirmada em 32 estados dos EUA desde janeiro, ou quase dois terços dos estados.

Mais surtos em outros estados

Vários estados afetados anteriormente relataram mais surtos, especialmente aqueles no Centro-Oeste. Minnesota relatou mais 6 surtos, 5 deles em criações domésticas e 1 em uma fazenda comercial de criação de perus, elevando o total do estado para 66 surtos. A propagação do vírus levou à perda de mais de 2,7 milhões de aves , de acordo com o Conselho de Saúde Animal de Minnesota.

Wisconsin relatou mais 2 surtos em aves domésticas, um no condado de Fond du Lac e outro no condado de Oconto, elevando o total do estado para 10. Michigan relatou outro surto em criações domésticas  no condado de Branch. E Nebraska relatou mais um surto em um lote de 50 aves de pequeno criatório no condado de Washington.

No leste, a Pensilvânia relatou um sétimo surto no condado de Lancaster, profundamente afetado pela doença. O último surto atingiu uma granja comercial de patos que abrigava 19.300 aves.

Enquanto isso, no oeste, Colorado e Montana relataram mais surtos. No Colorado, o vírus atingiu uma fazenda comercial que abriga 1,1 milhão de aves no condado de Weld, marcando o quarto surto do estado.

Montana relatou mais três surtos, todos envolvendo criações domésticas e elevando o total do estado para oito. Os locais dos surtos mais recentes foram os condados de Fergus, Gallatin e Pondera. Entre os três locais, o vírus levou à perda de 2.230 aves.

Os últimos surtos estão relacionados à cepa de gripe aviária H5N1 da Eurásia, que já resultou na perda de 36,6 milhões de aves nos EUA.

Investigações humanas, considerações de segurança

Após o recente anúncio do primeiro caso humano de gripe aviária H5 – envolvendo um trabalhador de abatedouro no Colorado que apresentava poucos sintomas – o CDC há alguns dias emitiu um aviso da Health Alert Network com recomendações para investigações e resposta à saúde humana.

O CDC disse que é impossível determinar se o vírus H5 na amostra respiratória original do paciente decorreu de contaminação superficial transitória das passagens nasais do homem ou foi o resultado de uma infecção. A agência acrescentou que as autoridades de saúde pública estão adotando a abordagem correta, assumindo que o homem foi infectado e tomando medidas para conter e tratar o vírus.

O CDC disse que as aves liberam o vírus em sua saliva, muco e fezes, e que infecções humanas podem acontecer quando vírus suficiente entra nos olhos, nariz ou boca de uma pessoa ou é inalado. Embora o risco geral para o público seja baixo, as pessoas que têm contato prolongado e desprotegido com aves infectadas ou ambientes contaminados correm maior risco.

O CDC pede aos médicos que considerem a infecção por H5N1 em pessoas com sintomas respiratórios que tenham exposição a aves ou ambientes potencialmente contaminados. A agência pediu aos departamentos de saúde estaduais que notificassem o CDC dentro de 24 horas após a identificação de um caso sob investigação. E recomenda que as pessoas expostas a aves infectadas pelo H5N1, mesmo as que usam equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados, sejam monitoradas quanto a sinais e sintomas desde a primeira exposição, estendendo-se até 10 dias após a última exposição.

A orientação também abrange considerações de uso de EPI, inclusive para proprietários de criações domésticas, medicamentos preventivos e tratamento antiviral.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Notícias Relacionadas

Revista OvoSite

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

massaio

Entrevista: Dra. Masaio Mizuno Ishizuka

“É preciso repensar as medidas de biosseguridade para atender aos desafios contemporâneos”. Página 18.

agrosys

Sistema de Gestão e Mobilidade à frente da Agroindústria 4.0

A transformação digital através de Sistemas de Gestão tem sido essencial para alavancar todos os negócios relacionados à agroindústria. Página 14.

genetica

Genética e Ovos

A qualidade e as tecnologias empregadas permitiram à avicultura de postura brasileira atingir patamares sem precedentes. Página 33.

OvoSite_AviSite_SuiSite_PecSite_ovo (91)

Casca de ovo é base para fertilizante ecológico mais eficiente que convencionais

Processo de moagem mecanoquímica desenvolvido na UFPR cria produto com liberação controlada de nutrientes evitando desperdícios na lavoura e problemas ambientais relacionados a fertilizantes usados atualmente. Página 36.

frango

Fibras: uma alternativa na modulação intestinal das aves

A saúde intestinal depende da atuação conjunta de funções fisiológicas, microbiológicas e físicas para a manutenção do correto equilíbrio do intestino e é considerada um dos fatores de grande impacto na indústria avícola. Página 44.

revista

Tendências para o desenvolvimento de novos revestimentos para ovos

Atualmente, alternativas estão sendo testadas para prolongar a vida útil dos ovos e reduzir o desperdício de alimentos. Página 48.

abpa

Simpósio OvoSite aborda inovações na produção de ovos

O Simpósio OvoSite irá levantar as tendências para a comercialização no mercado interno e nas exportações para o setor. Página 52.

ovo

Ovo: um alimento completo

A proteína é uma das mais versáteis para consumo, porém, é preciso atenção e cuidados especiais para a prevenção da Salmella. Página 57.

Open chat
Fale agora no WhatsApp