Sábado, 19 de Janeiro de 2019
Mercado

O ovo em abril e no 1º quadrimestre de 2018
Campinas, 02 de Maio de 2018 - Habitualmente, o preço dos ovos nos primeiros meses do ano só começa a retroceder após o período de Quaresma. Mas na Quaresma de 2018, encerrada em 31 de março, o processo começou bem antes, em meados do mês. E em abril o processo apenas se acentuou.

Para começar – e também ao contrário do que ocorre habitualmente – o período de pagamento dos salários (primeira quinzena do mês, quando as vendas se intensificam) passou em brancas nuvens para o setor, pois os preços vigentes, em vez de experimentarem valorização, apenas recuaram - semana após semana, sem interrupção.

Diversos fatores podem estar influenciando essa ocorrência. Mas a causa primeira está na alta expansão do alojamento de pintainhas de postura observado em 2017. Ele cresceu quase 14% no ano e seus efeitos (a produção de ovos daí decorrente) ocorre em momento de retração generalizada no consumo.

Não fosse isso suficiente, também desaba sobre o setor, neste instante, um dos desdobramentos da perda (parcial) do mercado externo da carne de frango. Forçada a reduzir rapidamente sua produção, a avicultura de corte só tem como saída imediata a comercialização dos ovos férteis não incubados.

Esse efeito, tudo indica, tende a ser superado no curto prazo, pois vem ocorrendo um maciço descarte de matrizes pesadas, fato indicado pela evolução dos preços no mercado de descartes. Mas ainda que a concorrência futura seja menor, os desafios tendem a permanecer, porquanto a maior parte do aumento no alojamento de pintainhas de postura, no ano passado, esteve concentrada no segundo semestre do ano.

Mas, voltando aos preços de abril, eles foram um quarto menores que os registrados um ano atrás, no mesmo mês. Isto, em condições de produção totalmente contrárias, ou seja, com um acréscimo bastante significativo nos custos de produção. E enquanto os custos continuaram aumentando, o preço médio de abril retrocedeu mais de 14% em relação ao mês anterior.

Já a média registrada no primeiro quadrimestre de 2018 – R$67,93/caixa para cargas fechadas comercializadas no atacado da cidade de São Paulo – vem correspondendo ao menor valor dos últimos três anos. E embora ainda tenhamos dois quadrimestres à frente, dificilmente essa situação será revertida. Ou seja: para o setor de postura, 2017 vai deixar muita saudade.

(AviSite) (Redação)
Imprimir esta notícia...Enviar esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 19/01
Sexta-Feira, 18/01
Ovo: evolução de preços frente ao custo e à inflação (07:21)
Mercado segue firme e Produtores de ovos alcançam novo reajuste (06:25)
Quinta-Feira, 17/01
Felipe Pelicioni é o novo Gerente de Produto da Unidade de Aves da Ceva Saúde Animal (13:35)
Ovos: altos índices de evolução devem ser vistos com reservas (07:17)
Ovos: nova alta na abertura da segunda quinzena (07:10)
Quarta-Feira, 16/01
Produtores de ovos alcançaram novos reajustes (07:23)
Alojamento de Pintainhas de postura comercial aumenta quase 11% até outubro (07:10)
Terça-Feira, 15/01
Califórnia detecta novo caso de Newcastle, 3º em poedeiras (08:43)
Reajuste no mercado de ovos alcançou apenas os vermelhos (06:34)
Ovo x Milho: poder de compra do Produtor de ovos piorou ainda mais em dezembro (06:33)



Últimos Clippings
FRANGO/CEPEA: desaquecimento de negócios pressiona valores da carne
OVOS/CEPEA: poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda
Porto de Itajaí fecha o ano com melhor resultado desde 2011
Estudo sugere 'dieta universal' para salvar o planeta
Ministério remove 'blindagem' de superintendências estaduais

Nossos Parceiros
MSDMaxFilm
Agroceresseifun