Copagril redesenha negócios e se dedica a corte de endividamento

A Cooperativa Agroindustrial Copagril, sediada em Marechal Rondon (PR), quer fazer de 2021 um marco de transformação de sua trajetória. As medidas passam necessariamente por um reequilíbrio dos negócios de proteínas e grãos em suas atividades e por ajustes financeiros.

Em 2020, ano de seu cinquentenário, ela teve faturamento recorde de R$ 2,5 bilhões, 43% maior que o de 2019, mas o endividamento também aumentou. O crescimento foi de 22%, para R$ 626 milhões. Ricardo Sílvio Chapla, diretor-presidente da Copagril nos últimos 21 anos, afirma que o objetivo é chegar ao fim deste ano com um perfil financeiro completamente diferente e faturamento na casa de R$ 2,2 bilhões, mais em sintonia com a nova fase.

“Vamos ajustar nossas linhas de crédito, reduzir nosso passivo financeiro e alongar as dívidas”, diz. Nessa direção, a Copagril deve receber, ainda nesta semana, sugestões de realinhamento financeiro da consultoria KPMG. Há cinco meses, a cooperativa instituiu também um programa de Transformação da Cultura Copagril (TCC).

O endividamento pelo qual a cooperativa passa, segundo Chapla, foi resultado “da puxada do dólar, que elevou muito o custo de produção dos cooperados e, automaticamente, aumentou a necessidade de recursos”. Dos R$ 400 milhões que receberá da Lar Cooperativa Agroindustrial até o fim do ano pela venda de sua fábrica de rações de Entre Rios do Oeste (PR) e de uma unidade avícola em Marechal Rondon, a Copagril já tem R$ 189,6 milhões comprometidos com juros de financiamentos bancários e despesas cambiais.

Chapla afirma que o negócio com a Lar foi pensado ao longo dos últimos dois anos. A conclusão foi que a venda seria a melhor maneira de fazer caixa e, ao mesmo tempo, aumentar a competitividade da Copagril no setor de frangos. “As empresas que têm hoje mais de um abatedouro, como a Lar, que tem quatro, são mais competitivas. A nós caberá crescer com eles dando sequência no fornecimento”, diz.

Em 2021, boa parte do achatamento de receita da cooperativa virá daí, mas, na visão de Chapla, o preço a se pagar é módico para a Copagril crescer com saúde financeira. Sem a fábrica de ração de aves e o frigorífico no portfólio, a Copagril terá mais tempo de se dedicar a outros projetos. O principal deles é o de colocar em operação uma indústria de esmagamento de soja adquirida em leilão em setembro de 2019, por R$ 30 milhões, da Sperafico.

“Demoramos um ano para conseguir assumir essa indústria e daqui cinco meses esperamos que ela esteja operando”, diz Chapla. A unidade processa até 1,2 mil toneladas de soja por dia e do seu complexo fazem parte ainda uma indústria de lecitina, de gordura vegetal e uma fábrica de ração, que a cooperativa planeja direcionar à nutrição de peixes e pets. Fora esta, a Copagril mantém outra fábrica de ração de bovinos e suínos em Marechal Rondon.

No ano passado, a produção de aves da Copagril respondeu por 27,6% do seu faturamento. Na sequência ficaram produtos agrícolas e derivados (24,1%), atividade leiteira, suinocultura e produção de peixes (23,2%), vendas de insumos (13,2%) e bens de consumo (11,8%). Agora, a tendência é a área de frangos encolher e a receita vinda dos grãos aumentar.

“Hoje, nós já somos o maior fornecedor de suínos da central cooperativa Frimesa, e acredito que em seis anos nossa produção irá dobrar. No frango também podemos dobrar de tamanho atendendo a Lar. Mas, claro, na área de grãos, a indústria irá nos impulsionar”, diz.

Com atuação no Paraná e em Mato Grosso do Sul, 3,6 mil funcionários e 5,3 mil cooperados, a Copagril recebeu 4 milhões de sacas de soja em 2020. Para 2021, a previsão é de 5 milhões.

Notícias Relacionadas

Revista OvoSite

Informativo diário | cadastre-se agora e receba diariamente a principais notícias do mercado gratuitamente

Canal Mundo Agro

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

imagem_01

Ondas de calor: os benefícios do uso do spray de poliuretano na avicultura

Uma maneira eficaz de prevenir as perdas causadas pelas ondas de calor é a aplicação de spray de poliuretano para isolamento térmico nos galpões avícolas. Página 14.

imagem_02

Uso de hidroxi-selenometionina melhora a produtividade e qualidade dos ovos de poedeiras criadas em condições de estresse por calor

Experimento realizado no setor de Avicultura do Departamento de Zootecnia do Centro de Ciências Agrárias, na UFPB, indica que a suplementação adequada de selênio na forma de OH-SeMet beneficia os produtores de ovos. Página 16.

imagem_03

Atualização dos níveis de aminoácidos para poedeiras comerciais

A nutrição focada em atendimento dos aminoácidos digestíveis já é um assunto bastante estudado e há muitos anos utilizado na nutrição avícola. Página 20.

imagem_04

O Ovo como um aliado para a Saúde Cardiovascular: Evidências a partir de uma Análise Global?

O ovo, um alimento amplamente apreciado por sua praticidade, sabor e versatilidade, apresenta uma rica combinação de vitaminas e minerais essenciais. Página 28.

imagem_05

Impactos da ocorrência de Bronquite, Laringotraqueíte e Influenza Aviária na produção avícola brasileira

As infecções virais impactam as condições fisiológicas das aves, podendo provocar mortalidade e/ou morbidade. Página 30.

Fale agora no WhatsApp